fbpx

Carmen Miranda (1909-1955)

Biografia

Maria do Carmo Miranda da Cunha, em arte mais conhecida como Carmen Miranda, foi uma cantora e atriz luso-brasileira. Nasceu na Aldeia de Marco de Canaveses, Província do Porto, em Portugal, no dia 09 de fevereiro de 1909. É uma das maiores estrelas que o Brasil já teve, numa carreira artística meteórica que transcorreu no Brasil e Estados Unidos entre as décadas de 1930 e 1950. Trabalhou no rádio, no teatro de revista, no cinema e na televisão. Faleceu na cidade de Los Angeles no dia 05 de agosto de 1955.

Filha de José Maria Pinto da Cunha (1887-1938) e Maria Emília Miranda (1886-1917), vem para o Brasil em 1910, com mãe e a irmã Olinda, para juntar-se ao pai, já estabelecido no Rio de Janeiro como barbeiro.

Estudou num colégio de freiras, mas, muito jovem, teve que abandonar os estudos para trabalhar, pois a família passava por necessidades. Tinha cinco irmãos, sendo Aurora Miranda a única que seguiu os passos da irmã e também era atriz.

Carmen adorava cantar e, em 1929, teve sua primeira oportunidade, pelas mãos do compositor baiano Josué de Barros, que a incluiu entre as atrações de um recital de caridade no Instituto Nacional de Música.

Em pouco tempo, passou a ser requisitada pelas emissoras de rádio. Nesse mesmo ano, gravou seu primeiro disco, Não Vá Embora, mas o sucesso arrebatador aconteceu em 1930, com a música Pra você Gostar de Mim, mais conhecida depois como Taí. A partir daí, tornou-se a figura mais importante da MPB, pois, além de cantar, dança, rebola, agita os braços, faz trejeitos sensuais etc.

Teve a oportunidade de estreou no cinema em 1930, no filme Degraus da Vida, mas infelizmente tornou-se uma produção inacabada.

Em 20 de janeiro de 1936, estreou o filme Alô, Alô Carnaval com a famosa cena em que ela e Aurora Miranda cantam Cantoras do Rádio. No mesmo ano, as duas irmãs passaram a integrar o elenco do Cassino da Urca de propriedade de Joaquim Rolla. A partir de então as duas irmãs se dividiram entre o palco do cassino e excursões frequentes pelo Brasil e Argentina.

Depois de uma apresentação para o astro de Hollywood Tyrone Power em 1938, aventou-se a possibilidade de uma carreira nos Estados Unidos. Carmen recebia o fabuloso salário de 30 contos de réis mensais no Cassino da Urca e não se interessou pela ideia.

Em 1939, o empresário estadunidense Lee Shubert, de Nova York, e a atriz Sonja Henie assistiram o espetáculo de Carmen no Cassino da Urca. Depois de um espetáculo no transatlântico Normandie, Carmen assinou contrato com o empresário. A execução do contrato não foi imediata, pois a cantora fazia questão de levar o grupo musical Bando da Lua para a acompanhar, mas o empresário estava apenas interessado em Carmen. Depois de voltar para os Estados Unidos, Shubert aceitou a vinda do Bando da Lua. Carmen partiu no navio Uruguai em 04 de maio de 1939, às vésperas da Segunda Guerra Mundial.

Em 29 de maio de 1939, Carmen estreou no espetáculo musical Streets of Paris, em Boston, com êxito estrondoso de público e crítica. As suas participações teatrais tornaram-se cada vez mais famosas. Em 05 de março de 1940, fez uma apresentação perante o presidente Franklin D. Roosevelt durante um banquete na Casa Branca.

Em 10 de julho de 1940, retornou ao Brasil, onde foi acolhida com enorme ovação pelo povo carioca. No entanto, em uma apresentação no Cassino da Urca com a presença de políticos importantes do Estado Novo, foi apupada pelos que a consideravam “americanizada”. Entre os seus críticos havia muitos que eram simpatizantes de correntes políticas contrárias aos Estados Unidos.

FOTO-Carmen-Miranda-02Dois meses depois, no mesmo palco, Carmen foi aplaudida entusiasticamente por uma plateia comum. No mesmo mês, gravou seus últimos discos no Brasil, onde respondeu com humor às acusações de ter esquecido o Brasil e ter-se americanizado. Em 03 de outubro, voltou aos Estados Unidos e gravou a marca de seus sapatos e mãos na Calçada da Fama do Teatro Chinês, de Los Angeles.

Fez shows e filmes, tornando-se atriz de primeira linha em Hollywood. Chegou a receber o maior salário até então pago a uma mulher nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos era chamada The Brazilian Bombshell.

Foi casada com Dave Sebastian, de 1947 a 1955.

No cinema americano estreou com o filme Serenata Tropical (Down Argenti ne Way), em 1940, seguindo-se Minha Secretária Brasileira (Springti me in the Rockies), em 1942; Copacabana (Idem), em 1947, e Morrendo de Medo (Scared Stiff), de 1953, seu último filme, perfazendo, ao todo, entre Brasil e Estados Unidos, 21 títulos.

Entre 1942 e 1953, atuou em 13 filmes em Hollywood e nos mais importantes programas de rádio, televisão, casas noturnas, cassinos e teatros norte-americanos. A Política de Boa Vizinhança, implementada pelos Estados Unidos para buscar aliados na Segunda Guerra Mundial, incentivou a imigração de artistas latino-americanos. Apesar de ter chegado nos Estados Unidos antes da criação da Política de Boa Vizinhança, Carmen Miranda sempre foi identificada como a artista de maior sucesso do projeto.

Seu estilo eclético faz com que seja considerada precursora do tropicalismo, movimento cultural brasileiro surgido no final da década de 1960.

Faleceu no dia 05 de agosto de 1955, aos 46 anos de idade, nos Estados Unidos, fulminada por um ataque cardíaco. Ninguém brilhou, nem mostrou tanto o Brasil lá fora como ela. Seu nome tornou-se uma lenda e um mito internacional, sendo cultuada até os dias de hoje.

Em 1969, Jorge Ileli fez Carmen Miranda e, em 1995, Helena Solberg fez Banana Is My Business, ambos documentários em sua homenagem.

Em 2005, o escritor Ruy Castro lançou o livro Carmen: Uma biografia, com discografia completa e enorme riqueza de detalhes sobre sua vida e carreira.

Filmografia

:: Filmografia como Atriz ::

1953 :: Scared Stiff (Morrendo de Medo)
1950 :: Nancy Goes to Rio (Romance Carioca)
1948 :: A Date with Judy (O Príncipe Encantado)
1947 :: Copacabana
1946 :: If I’m Lucky (Se Eu Fosse Feliz)
1945 :: Doll Face (Sonhos de Estrela)
1944 :: Something for the Boys (Alegria, Rapazes)
1944 :: Greenwich Village (Serenata Boêmia)
1944 :: Four Jills in a Jeep (Quatro Moças num Jipe)
1943 :: The Gang’s All Here ou The Girls He Lef Behind (Entre a Loura e a Morena)
1942 :: Springtime in the Rockies (Minha Secretária Brasileira)
1941 :: Week-end in Havana (Aconteceu em Havana)
1941 :: That Night in Rio (Uma Noite no Rio)
1940 :: Down Argentine Way (Serenata Tropical)
1940 :: Laranja-da-China (canta: O que é que a Baiana Tem)
1939 :: Banana-da-Terra (canta: O que é que a Baiana Tem e Pirulito)
1936 :: Alô, Alô, Carnaval (canta Cantoras do Rádio)
1935 :: Alô, Alô, Brasil (canta Primavera no Rio)
1935 :: Estudantes (canta Sonho de Papel e Bateu-se a Chapa)
1933 :: Voz do Carnaval (canta Moleque Indigesto)
1932 :: Carnaval Cantado de 1932 no Rio (canta: Bombo-lê, Bombo-lá)
1930 :: Degraus da Vida (Inacabado)

:: Filmografia como Ela Mesmo ::

2010 :: Programa Casé – O que a gente não inventa, não existe
1994 :: Carmen Miranda: Bananas is my Business (Brasil/EUA/Inglaterra)
1977 – Os Incríveis Anos 1950 (MM)
1972 – Coisas do Arco da Velha (CM)
1970 – Brasileiros em Hollywood (CM)
1969 – Carmen Miranda (CM)
1956 – Funerais de Carmen Miranda (CM)

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

AUGUSTO, Sérgio. Este Mundo é um Pandeiro: a Chanchada de Getúlio a JK. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
BARSANTE, Cássio. Carmen Miranda. : Elfos, 1994.
BRITO, Dulce Damasceno de. O ABC de Carmen Miranda. : , 1986.
CASTRO, Ruy. Carmen: Uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
CASTRO, Ruy. Uma biografia de Carmen Miranda por Ruy Castro. : , .
GIL-MONTERO, Martha. Carmen Miranda: a pequena notável. : Record, .
JUNIOR, Abel Cardoso. Carmen Miranda: a cantora do Brasil. : , .
MENDONÇA, Ana Rita. Carmen Miranda foi a Washington. : Record, .
NASSER, David. A vida trepidante de Carmem Miranda. : , .
SAIA, Luiz Henrique. Carmen Miranda. : Brasiliense, 1984.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.
STERNHEIM, Alfredo (org.). Dulce Damasceno de Brito: Lembranças de Hollywood. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Carmen Miranda. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/carmen-miranda/
WIKIPEDIA. http://pt.wikipedia.org/wiki/Carmen_Miranda

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados