fbpx

Cássia Kiss

Cássia Kiss Magro, em arte também conhecida como Cássia Kiss (ou ainda Cássia Kis), é uma atriz brasileira nascida na cidade de São Caetano do Sul (SP) no dia 06 de janeiro de 1958. É tia do modelo internacional Márcio Kiss. Como atriz, é célebre por seus trabalhos no cinema e nas telenovelas.

Descendente de húngaros, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro aos 16 anos, onde chegou a vender sanduíche natural na praia, antes de ser famosa.

Foi aluna da Fundação das Artes, uma das melhores escolas de música e arte da América Latina. Depois passou a fazer escola de teatro, com Silnei Siqueira. Chegou a matricular-se na faculdade de Matemática, porém optou mesmo pelo teatro.

Iniciou sua carreira no teatro amador, integrando-se em um grupo que apresentava espetáculos na periferia e participava de festivais amadores. Durante dez anos, fez vários trabalhos em teatro, incluindo espetáculos infantis em escolas. Foi convidada pelo diretor Ulysses Cruz para integrar a sua companhia amadora, substituindo a atriz Haydée Figueiredo na peça Alice, O Que Uma Menina Bonitinha como Você Faz num País como Esse, de Paulo Afonso Grisolli. Depois, atuaria na peça Coronel dos Coronéis (1980), de autoria de Maurício Segall, muito elogiada na época.

Fez sua estréia na televisão em 1979, na novela Cara a Cara, da TV Bandeirantes. Na trama, interpretou a empregada doméstica da personagem de Fernanda Montenegro. Ainda em São Paulo, chegou a trabalhar em anúncios comerciais. Em 1981, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Seu primeiro trabalho profissional no Rio foi no espetáculo Quem Governa o Rei?, de Paulo Afonso Grisolli. No início, para complementar seu orçamento doméstico, trabalhava na cozinha de um restaurante natural, em troca de alimentação e dinheiro para condução. Ainda no início dos anos 1980, por intermédio do ator Luiz Armando Queiroz, fez um teste e foi aprovada para trabalhar no elenco do programa As Aventuras do Tio Maneco, da TV Educativa.

Estreou na TV Globo em 1983, atuando em dois episódios do Caso Especial.

Depois de várias experiências no teatro, estreou no cinema em 1984, no filme Memórias do Cárcere. No ano seguinte, fez o papel de uma freira na minissérie Padre Cícero, e, logo em seguida, foi convidada pelo diretor Wolf Maya para trabalhar na novela Livre para Voar, quando viveu uma solteirona sisuda. Seu primeiro personagem de maior repercussão veio em 1985, na novela Roque Santeiro, em que interpretou Lulu, mulher do negociante Zé das Medalhas.

A partir daí, sua carreira estourou em novelas de sucesso como Por Amor (1998), Esplendor (2000), Porto dos Milagres (2001), Um só Coração (2004) e a minissérie Mad Maria (2005), todas pela TV Globo.

Tornou-se ainda mais conhecida por sua atuação em Vale Tudo, de 1988, que mobilizou os telespectadores em torno do assassinato da vilã Odete Roitman. A surpresa veio no último capítulo da trama: a assassina era ninguém menos do que Leila, sua personagem.

Em 1990, transferiu-se para a TV Manchete, onde trabalhou na novela Pantanal, na qual interpretou Maria Marruá. Nos palcos, participou da peça Pantaleão e as Visitadoras. No mesmo ano, voltou para a TV Globo, a tempo de protagonizar, ao lado de Victor Fasano e Cláudia Abreu, a novela Barriga de Aluguel. Na trama, a atriz viveu o drama de uma mãe que decide alugar a barriga de uma mulher mais jovem, para realizar o sonho de ter seu filho.

Entre seus papéis preferidos, aponta a personagem central de Mamãe Coragem, em 1992, um dos episódios do Você Decide. Na história, interpretou uma catadora de lixo, mãe de cinco filhos, cujo dilema é vender ou não uma das cinco crianças para salvar as demais.

Em 1993, despontou na telinha como Ilka Tibiriçá, a cômica solteirona cheia de trejeitos e com visual anos 1960, da novela Fera Ferida. Em 2001, a vilã Adma da novela Porto dos Milagres, obteve grande repercussão na mídia, tanto por parte do público quanto da crítica, tendo recebido o Prêmio Contigo! de Melhor Atriz.

Nos anos 2000, além do trabalho em novelas, voltou a participar de minisséries da TV Globo. Trabalhou em Um Só Coração, de 2004, em Mad Maria, de 2005, e em JK (2006), quando viveu uma mulher reprimida pelo marido (em outro de seus grandes momentos na TV); além de Cobras e Lagartos (2006), Eterna Magia (2007) e Paraíso (2009), como Mariana Godoy.

Em 2009, viveu a carola Mariana na segunda versão de Paraíso, em que sua personagem era esposa de Antero e mãe da protagonista Maria Rita.

No cinema, esteve em mais de 15 filmes, tendo atuações constantes e competentes, entre eles Bicho de Sete Cabeças (2000), de Laís Bodanzky (pelo qual ganhou o Troféu Passista, de Atriz Coadjuvante no Festival de Recife, e o Prêmio Qualidade Brasil 2001. de Melhor Atriz); Tapete Vermelho (2005) e Meu Nome no é Johhny (2008).

Cássia Kiss é considerada uma das maiores atrizes brasileiras de todos os tempos. Seus personagens ficaram marcados através de sua interpretação magistral, poucas atrizes conseguem ser tão versáteis e tão realistas em suas interpretações.

Sempre preocupada com as questões sociais, participou, em 1989, de uma campanha do Ministério da Saúde brasileiro, sobre a prevenção do câncer de mama. Em 2006, foi madrinha, no Brasil, da Semana Mundial do Aleitamento Materno, promovida pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pelo Ministério da Saúde.

Foi vegetariana estrita durante 22 anos, e em 2007 declarou que teve problemas com bulimia.

Entre os anos de 1992/1999, foi casada com o publicitário João Alberto Fonseca, com quem teve dois filhos, Joaquim Maria (1996) e Maria Cândida (1997). Depois, casou-se com o jornalista Sérgio Brandão, com quem teve outros dois filhos, Pedro Gabriel (2003) e Pedro Miguel (2004). Casou-se, então com o psiquiatra João Baptista Magro Filho.

Com grande força de interpretação, é uma das grandes atrizes da atualidade.

Filmografia

:: Filmografia como Atriz ::

2021 :: O Pastor e o Guerrilheiro (Em Finalização)
2021 :: O Auto da Boa Mentira (Episódio: Vidente)
2017 :: REAL – O plano por tras da história
2016 :: Redemoinho
2014 :: Encantados
2013 :: Boa Sorte
2012 :: Amazônia Caruana
2011 :: Bróder
2010 :: Chico Xavier – O Filme …. Iara
2009 :: Os Inquilinos
2008 :: Meu Nome Não é Johnny …. Juíza
2008 :: Chega de Saudade …. Marici
2008 :: A Festa da Menina Morta …. Mãe
2007 :: Não por Acaso …. Iolanda
2006 :: Ódiquê? …. Mãe de Paulinho
2005 :: Tapete Vermelho …. Tia Malvina
2001 :: Bicho de Sete Cabeças …. Meire Souza
2001 :: A hora marcada …. Clarisse
2000 :: Condenado à Liberdade …. Beatriz Vilhena
2000 :: O Circo das Qualidades Humanas
1991 :: A Grande Arte …. Mercedes
1987 :: O País dos Tenentes
1985 :: Ele, o Boto
1984 :: Memórias do Cárcere

:: Filmografia como Ela Mesma ::

2018 Como você me vê?

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Cássia Kiss. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/cassia-kiss/
WIKIPEDIA. Cássia Kiss. Disponível no endereço: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1ssia_Kiss

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]