fbpx

Celly Campello (1942-2003)

Biografia

Célia Benelli Campello, em arte conhecida como Celly Campello (ou Cely Campello), foi uma cantora brasileira nascida em São Paulo (SP) no dia 18 de junho de 1942.

Ainda criança muda-se para Taubaté, onde passa toda a sua infância e adolescência. Aos cinco anos faz sua primeira aparição, apresentando-se num espetáculo mirim de balé, dançando Tico-Tico no Fubá. Aos seis, apresenta-se como cantora mirim na Rádio Cacique de Taubaté. Passou a ser uma das estrelinhas do programa Clube do Guri, na Rádio Difusora. Aos doze já ganha um programa próprio na mesma Rádio Cacique e, aos quinze, em 1958, mudou-se com o irmão Tony Campello para São Paulo para gravar seu primeiro disco, Hand Some Boy, compacto simples que tem do outro lado seu irmão cantando Forgive Me.

Em 1959, gravou Estúpido Cupido e estoura em todo o Brasil, chamando a atenção do cômico Mazzaropi, que a convida para participar do filme Jeca Tatu, esmerada produção do famoso produtor/ator. Devido ao sucesso, Cely volta no ano seguinte e participou de Zé do Periquito, também produção de Mazzaropi.

No mesmo ano, os irmãos Campello ganham um programa na TV Record, o Cely e Tony em Hi-Fi. Ainda em 1959, ela ganha seu primeiro prêmio: o Troféu Chico Viola, que venceria nos anos seguintes até 1962. Também recebeu o Troféu Roquette Pinto em 1959, 1960 e 1961.

Em 1960, foi eleita a Rainha do Rock pela Revista do Rock. Seguem-se outros sucessos como Banho de Lua, Túnel do Amor, Biquíni de Bolinha Amarelinha, Lacinhos Cor-de-Rosa, etc. Celly dividia as paradas de sucesso com nomes como Sérgio Murilo, Carlos Gonzaga, Ronnie Cord, Baby Santiago e Dan Rockabilly.

Em janeiro de 1962, no auge da fama, Cely abandonou a carreira para se casar com o contador José Eduardo Gomes Chacon, seu namorado desde a adolescência, atitude até hoje não compreendida pelos fãs. A decisão surpreendeu até seu irmão, Tony Campello, pelas mãos de quem Celly alcançou o sucesso. Em 1965, três anos depois de abandonar a cena musical, surge o movimento Jovem Guarda, que consolida o rock no País. Após o fim precoce de sua carreira, Cely Campello fez apenas dois retornos ocasionais à cena musical. Uma vez foi quando cantou no Festival da Música Popular de Juiz de Fora, em 1972.

Em 1976, um de seus maiores sucessos inspira a novela Estúpido Cupido, da Rede Globo, e Celly tenta retomar a carreira, mas os tempos são outros e ela não obtém êxito. Mesmo tendo gravado o disco Cely Campello (1976) e feito algumas turnês, sua carreira passou a resumir-se a apresentações esporádicas pelo interior de São Paulo. Celly sempre declarou que nunca se arrependeu da decisão de trocar a fama pela vida de dona de casa e mãe de família.

Musa do rock nacional pré-Jovem Guarda, ela morreu dia 04 de março de 2003, aos 60 anos, em Campinas, em decorrência de um câncer de mama. Deixou dois filhos, Cristiane e Eduardo, além de dois netos.

Filmografia

1959 – Jeca Tatu
1960 – Zé do Periquito
1976 – Ritmo Alucinante

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. . Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.