fbpx

Celso Athayde

Celso Athayde é um produtor brasileiro, nasceu na baixada Fluminense, RJ, onde viveu até os 7 anos, aos 16 anos já havia morado em 3 favelas, em abrigo publico e na rua. Foi criado na favela do Sapo, auto ditada Celso assina três Best Sellers, é co-autor dos livros Falcão – Mulheres e o tráfico (2007), Falcão – Meninos do Tráfico e Cabeça de Porco, os dois primeiros com o Rapper Mv Bill e o últimos com MV Bill e o sociólogo Luiz Eduardo Soares. O quarto Livro é O Manual dos Basqueteiros, a primeira publicação de basquete de rua que se tem noticia. Em 1994 lançou a primeira revista de musica Black do Rio de Janeiro (revista Black Music).

Tornou-se o mais influente produtor de hip hop do Brasil através do projeto Hutúz, que faz parte do calendário cultural oficial da cidade do Rio de Janeiro e que tem eventos como: Prêmio Hutuz, Festival de Cinema Hutúz, Festival de Artes Integradas(Hutúz Rap Festival), Seminários, batalhas hip hop, batalhas de Mc’s, Dj’s, B.Boy’s, Hutuz Latino Americano, entre outras invervenções.

Criou o Cine Cufa, um festival de cinema internacional de produções audiovisuais realizadas por moradores de favelas. Criou o BRADAN, festival brasileiro de Break e o RPB, Rap Popular brasileiro, festival nacional de Musica rap, que tem como objetivo fazer o rap dialogar com as musicas regionais. Celso se descobriu cineasta, produzindo e dirigindo o documentário Falcão – Meninos do Trafico, co-dirigido por MV BILL, que mudou a história da Televisão no Brasil. Filme que foi vencedor de prêmios em 26 países. Outros filmes foram dirigido por Celso Athayde, como Três da Madruga, Di Menor, Soldado do Morro, entre outros…

Criador da Liga Internacional de Basquete de Rua Liibra, evento internacional que acontece em 12 países e nos 27 estados da federaçãol, também é fundador da CUFA (Central Única das Favelas), instituição de jovens de periferias instaladas em mais de 300 cidades e mais de 15 países.

Cuida ainda da agenda de grandes nomes do hip hop brasileiro, como Nega Gizza e MV Bill. Com Bill criou a Frente Brasileira de Hip Hop em 2003, quando pela primeira vez no mundo um chefe de estado (Lula) recebe oficialmente uma comissão de Hip Hop e cria um grupo de trabalho interministerial para tratar exclusivamente das oportunidades do hip hop.

Como consagração de suas iniciativas, recebeu condecorações, prêmios internacionais e nacionais, como o Orilaxe (2006), na categoria Direitos Humanos.

No Rio recebeu a medalha Pedro Hernesto, oferecido pela camara dos vereadores, como reconhecimento ao seu trabalho.

É um dos fundadores do movimento Recultura, Movimento para a reforma tributária e fiscal para o mercado cultural Brasileiro.

Celso é Feloow da Ashoka desde 2007 e realiza grandes manifestações esportivas e culturais em prol da inclusão social e do exercício da cidadania.

(Fonte: www.celsoathayde.com.br)

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.