fbpx

Cine Brasília – Brasília – DF

História

A história do Cine Brasília está definitivamente ligada à de Brasília. Inaugurado dentro da programação que comemorou a transferência da capital do país, em 22 de abril de 1960, o cinema desde então incorporou-se ao lazer dos pioneiros, oferecendo maior conforto e novas oportunidades de entretenimento. Por isso, freqüentemente os 607 lugares estavam ocupados por uma platéia participativa que manifestava, com vaias e aplausos, a sua opinião sobre os filmes exibidos.

Antes mesmo de ser inaugurado, foi arrendado à Companhia Cinematográfica Luiz Severiano Ribeiro. Projetado por Oscar Niemeyer para ser o cinema da Unidade de Vizinhança, junto ao complexo que teria ainda urna quadra de esportes situado na Asa Sul, Entrequadra Sul 106/107, no DF, o Cine Brasília foi erguido sob o aval da Novacap pela Companhia Construtora Pederneiras S/A, pertencendo originalmente àquela empresa.

Na programação inaugural foram projetados grandes sucessos de bilheteria tais como Anáguas a Bordo, com Gary Grant, A Canoa Furou, com Jerry Lewis e O Discípulo do Diabo, com Kirk Douglas e Burt Lancaster, entre outros.

No ano de 1965, tempo em que o nosso cinema tinha uma produção constante e de qualidade, mas convivia com a repressão, ditadura e falta de dinheiro, os produtores e diretores solicitavam apoio do governo, assim como hoje.

Nesse clima aconteceu em Brasília, de 15 a 22 de novembro daquele ano, a primeira Semana do Cinema Brasileiro, que depois passou a se chamar Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A ideia era trazer o cinema nacional até a capital da República e ao mesmo tempo proporcionar o encontro entre cineastas, produtores e técnicos da área, além de ser um espaço para pressionar o Congresso Nacional para a criação de um Instituto Nacional de Cinema.

Em sessões de gala feitas só para convidados onde era exigido traje a rigor, eram exibidos filmes que no dia seguinte seriam reprisados em sessões abertas ao público em geral. O Cine Brasília era novamente disputado pelos políticos e intelectuais de Brasília saudosos do glamour do Rio de Janeiro.

Em 1975, o cinema passou por urna reforma total: instalações elétricas, revestimentos das paredes, pisos, poltronas, projetores, sistema de som, ar-condicionado, etc. Com os filmes A Pedra da Riqueza, de Vladimir Carvalho e Lição de Amor, de Eduardo Escorel, em 07 de julho de 1976, a população candanga teve seu cinema de arte reinaugurado.

O Cine Brasília, além de ser a sala de exibição sede do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, mantém em sua programação lançamentos de filmes nacionais, mostras estrangeiras, semanas temáticas, debates, lançamentos de livros, exposições de pinturas, fotografias, cartazes e outros; intercâmbio e cooperação com as embaixadas, escolas públicas e universidades, contribuindo com projetos de formação de platéia e enriquecimento de nossa cultura.

Um dos projetos de maior sucesso na história cultural do DF é, sem dúvida, o Escola vai ao Cinema, que tem levado ao cinema, e muitos pela primeira vez, milhares de alunos da rede pública de ensino, nas sessões matinais.

Dados Técnicos:

Capacidade: 607 lugares

Som: Dolby Stereo Digital

Tela: 14.00 x 6.30 metros

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.