fbpx

Cine Eldorado – Rio Preto – SP

Histórico

Inaugurado em 1990, o Cine Eldorado localiza-se na rua Bernardino de Campos, entre as ruas Mirassol e Independência, este último endereço de cinema de rua da cidade de Rio Preto (SP) corre o risco de ser extinto em 2012.

Desde que o Grupo Chainça assumiu a admistração, em 1998, não é a primeira vez que o espaço ameaça trancar as portas. Em maio de 2003, por exemplo, o jornal Diário da Região publicou que o fechamento poderia ocorrer por falta de público.

É justamente a baixa demanda que condenou os Cines Bandeirantes e República, em Catanduva, a parar de funcionar até o fim do mês que vem. Por aqui, entretanto, o motivo é outro. Segundo a sócia-proprietária da empresa cinematográfica, Patrícia Helena Zago, o possível encerramento das atividades estaria ligado a uma determinação dos donos do prédio, que teriam a intenção de demolir esta e as construções vizinhas para criar um complexo comercial.

A reportagem do Diário da Região tentou entrar em contato com os proprietários do imóvel. Porém, Walter Spotti Neto, um dos representantes dos negócios da família, preferiu não se manifestar sobre o assunto. Patrícia explica que o comunicado pegou a equipe de surpresa, há cerca de 20 dias, pedindo a desocupação em três meses.

“A gente descobriu que esse projeto de reforma do quarteirão existe há dois anos. Ficamos chocados, porque fizemos várias reformas e não sabíamos de nada”, emenda o gerente de marketing do cinema, Christian Gilberto Trombetta.

Recentemente, foram feitas adequações na fachada e nas instalações elétricas e hidráulicas. Ainda havia projetos de melhoria em desenvolvimento, como a aquisição de um projetor digital (hoje, as produções são rodadas em película 35 mm) e a criação de um café, que serviria de ponto de encontro para debates.

Trombetta acrescenta que, até o momento, a única alternativa para evitar o fim proposta pelos proprietários seria o reajuste do aluguel em inviáveis 550%. A sugestão do Grupo Chainça era modernizar a estrutura, ampliando a capacidade de espectadores para viabilizar custos mais altos. Mas não houve acordo. “Nós nos sentimos lesados. Por que não incluir o cinema em um polo cultural? A resposta foi bastante desagradável: porque comercialmente não haveria lucro”, diz Patrícia.

Galeria

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.