fbpx

Cine Sabesp abre em Pinheiros

A Sabesp inaugurou o Cine Sabesp, em 16 de junho de 2010.

A companhia é a nova patrocinadora do espaço na Rua Fradique Coutinho, 361, em Pinheiros, uma sala que começou a funcionar, em 1959, como Cine Fiametta e, posteriormente, como Sala Cinemateca, tornou-se ponto de encontro de pessoas ligadas ao cinema e interessadas pelo assunto. A sala tem 271 lugares, ar-condicionado, bilheteria informatizada, som Dolby digital, acesso para deficientes e programação especializada.

O espaço, também, quer ser um difusor da importância da educação ambiental, a exemplo do que a empresa já realiza na Estação do Conhecimento Sabesp, na estação Pinheiros da CPTM. Como lá, o Cine Sabesp trará, na sala de espera, telas de LCD de 22 polegadas que mostrarão, de forma simplificada, como a empresa faz a captação da água na natureza, tratamento e distribuição. Depois, a captação do esgoto, tratamento e devolução na natureza.

A sala ainda dará especial atenção à inclusão social, com realização de promoções para estudantes de escolas públicas, que poderão participar, dentro da programação especial do projeto Escola no Cinema, de sessões gratuitas mensais. Também haverá incentivo a projetos como o Clube do Professor. Funcionários da empresa pagarão meia-entrada em qualquer dia e sessão. Haverá, ainda, sessões especiais para o Projeto Família Sabesp, com programação infantil para filhos de funcionários e programações especiais de filmes patrocinados pela Sabesp em horários alternativos.

Além disso, o cinema foi pensado para demonstrar o incentivo da Sabesp às produções do mercado cinematográfico paulista. No local próximo ao café, denominado i Cine, os frequentadores poderão utilizar óculos que simulam uma tela de 60 polegadas com os trailers dos filmes patrocinados pela empresa.

Outra preocupação foi interagir com o público e resgatar a história da sala de cinema: em dois computadores com tela touch, os frequentadores poderão assistir a depoimentos e também deixar sua mensagem – de até 15 segundos – sobre alguma experiência ou recordação que tenham da sala de cinema ou de filmes nela exibidos, desde a inauguração. Os depoimentos selecionados farão parte de um banco de história oral sobre o cinema que poderão ser vistos no local e pela internet.

Reconhecimento
“Ficamos felizes em ter a Sabesp coroando este compromisso de seguir estimulando as platéias com a assinatura de uma sala de cinema: o Cine Sabesp. Agora a sinergia Sabesp-cinema é total!”, afirma Leon Cakoff, idealizador da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e sócio do Circuito Cinearte, juntamente com Adhemar Oliveira, Renata de Almeida e Patrícia Durães.

“A Sabesp destaca-se com o seu nobre compromisso de investir no fomento cinematográfico paulista. É a marca que garante a presença e o destaque do cinema de São Paulo no Brasil e no mundo”, complementa Renata de Almeida, também diretora da Mostra Internacional de São Paulo.

“Sou grato pelo generoso patrocínio da Sabesp, que propiciou, majoritariamente, a execução do filme Meninos de Kichute”, afirma o cineasta Luca Amberg, cujo filme foi exibido em sessão especial na abertura do Cine Sabesp. O longa entra em cartaz no fim de 2010.

Para Adhemar Oliveira, “ao assinar o patrocínio da tradicional sala de cinema da Rua Fradique Coutinho, a Sabesp reafirma o compromisso com a qualidade de vida da população paulistana e com a produção cultural do cinema, área em que é uma das maiores fomentadoras.” Ele também destaca a importância de o cinema ser de rua: “Cada sala de cinema de rua preservada é uma garantia de preservação urbana, ao mesmo tempo em que contribui para a diversidade cultural de nossa gente”, finaliza.

Atualmente, existem aproximadamente 50 filmes com patrocínio da Sabesp em fase de produção e finalização, prestes a serem lançados no circuito comercial.

História
O espaço do Cine Sabesp já faz parte da história do bairro de Pinheiros e imediações.

Inaugurada em 1959, a sala já teve outros nomes e patrocinadores. Naquele ano, era conhecido como Cine Fiametta. Nos anos 80, foi arrendado e alugado pela Companhia Cinematográfica Franco-Brasileira. Em seguida ganhou o nome de Sala Cinemateca e exibiu uma cópia raríssima de Joana d’Arc (1929), de Carl T. Dreyer. Nos anos 90, se tornou ponto de encontro de pessoas ligadas ao cinema e interessadas pelo assunto. A partir de 2000, tornou-se sala dos provedores de internet, servindo como vitrine para importantes festivais e mostras de cinema. O último nome da sala foi Cinema da Vila.

(Fonte: Sabesp)

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.