fbpx

Cinema Icaraí – Niterói – RJ


Cinema Icarai - 1946

Retombado, pelo Governador do Estado, o Cinema Icaraí (c.1956) em Niterói-RJ. Tombado em 2001, e destombado em 2006 pela Câmara de Vereadores, a obra – em estilo Art Déco – conforma, com a atual Reitoria da UFF – antigo Cassino Hotel Balneário Icarahy –, um importante conjunto arquitetônico. Com quatro pavimentos, o edifício abriga apartamentos residenciais e a sala de exibição, para 811 espectadores.

O projeto original do Cassino (c.1939) é do arquiteto Luiz Fossati que também assinou o famoso Trampolim da Praia de Icaraí (1936-37), em concreto armado, e o Cassino Hotel Quitandinha, em Petrópolis (a.1940).

Construído na década de 30 quando o Cassino Icaraí ainda funcionava, o Cinema Icaraí sempre foi uma referência na minha vida. Todas as vezes que passava pela Praia de Icaraí de ônibus voltando da escola lembrava-me de conferir que filme estava passando.

Encontrei essa foto acima de 1946 quando o cinema era ainda jovem com menos de dez anos de construído, o ano em que o Presidente Dutra resolvera fechar os Cassinos no Brasil deixando desempregados centenas de músicos e cantores.

Reparem à direita da foto que o Edifício Álvares de Azevedo, na esquina desta rua com a praia, ainda estava na fundação.

Fiquei curioso a respeito do que estava passavando na época e dei uma pesquisada. Trata-se do filme Devoção, de Curtis Bernhardt com Ida Lupino e Olivia de Haviland. Abaixo o pôster usado na publicidade do filme.

Desde agosto de 1907, funcionava ao ar livre no Jardim Icaraí, hoje praça Getúlio Vargas, o Cinematógrapho Icarahy, que utilizava energia elétrica cedida gratuitamente da Cia. Cantareira e Viação Fluminense.

Em 30 de setembro de 1916 em uma bem montada casa no local do atual Cinema Icaraí começaram as exibições – com os filmes “O crime da meia noite” e “Uma causa célebre”.

O prédio atual foi construído nas décadas de 30/40 dá seguimento à tradição de exibições de filmes no local. Ele compõe um importante reduto artístico da cidade inserido na vida cultural de Niterói juntamente com a Reitoria da UFF, que abriga o Centro de Artes (Galeria de Arte, Fotografia, Espaço Livre, Cinema, Orquestra Sinfônica Nacional e Teatro).

É um dos últimos prédios em nossa cidade com traços da influência da arquitetura Art Déco, muito utilizado nos tempos áureos do cinema americano de Hollywood, além de testemunhar o desenvolvimento urbano de Niterói.

O Cinema Icaraí é testemunha da construção de uma capital cultural e política para o Estado do Rio de Janeiro e marca arquitetonicamente essa história.

Considerando ainda a afeição que os niteroienses, de diversas gerações, possuem pelo Cine Icaraí, o município através da Lei 1838/2001 promove o seu tombamento, preservando-se assim definitivamente a sua condição, uso e a Praça Getúlio Vargas acima citada.

Foto do Cinema Icarai - 2008

No entanto, em 2005, o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural – CMPC – em reunião com representantes do Grupo Severiano Ribeiro, proprietário do imóvel e do cinema á época, toma ciência de que este não deseja mais manter o cinema aberto por questões comerciais, em especial a disputa com os espaços de cinema Multiplex.

Nesse sentido, em negociação, o CMPC flexibilizou o interior do prédio de modo a permitir a construção de mais salas, tornando o cinema viável economicamente.

Mas mesmo assim, a graças ao lobby da indústria imobiliária, deixando de fora o CMPC das decisões, foi promulgada a Lei 2381, em agosto de 2006, que “destomba” parcialmente o Cinema Icaraí ao preservar apenas a fachada frontal do prédio e permite a construção de um edifício de 14 andares de apartamentos, o que desfigura o prédio, além disso, passa a entender como cultura lan house e outros tipos de lojas.

A Prefeitura Municipal de Niterói vetou o Projeto de Lei de destombamento e o Conselho Municipal de Patrimônio Cultural deu parecer unânime o contrário.

Porém, a Câmara de Vereadores derrubou o veto do prefeito.

Desde então, os moradores do município têm realizado manifestações públicas em defesa do Cine Icaraí. Já são mais de oito mil assinaturas e praticamente todas as entidades do movimento social organizado estão nessa luta, o que demonstra uma vontade pública de ter de volta, sem descaracterização arquitetônica, o Cine Icaraí.

Mais do que isso, o Cine Icaraí é em nossa cidade um patrimônio cultural integral, entendido pelo valor arquitetônico e pelo seu uso como cinema. É a síntese de patrimônio imaterial e material, onde um enriquece e dá significado ao outro.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Cinema Icaraí – Niterói – RJ

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.