fbpx

Cláudio Trombini

Cláudio Belmiro Trombini, em arte conhecido como Cláudio Trombini ou Palhaço Trombetinha, é um ator brasileiro nascido em São João Nepomuceno (MG) no dia 26 de novembro de 1949.

Fruto do segundo casamento do pai, Trombini tornou-se órfão quando tinha apenas seis anos. Os pais trabalhavam na extinta Companhia de Tecidos Sarmento, mas, com a morte do patriarca, a mãe passou a atuar na catação de café. Como filho, a ajudava. Era uma vida dura, muito difícil.

Mudou-se, então para o Rio de Janeiro e, na adolescência, para Três Rios (RJ). Quando tinha 14 anos foi trabalhar nas Casas Pernambucanas, mas acabou ficando desempregado e foi para uma distribuidora para recuperar caixotes de bebidas. Mais uma vez, foi dispensado e conseguiu uma oportunidade numa funerária.

Aos 16 anos, mudou-se para a cidade de São Paulo convidado por uma irmã. Seu primeiro emprego lá foi como office boy, mas logo passou a auxiliar de escritório de advocacia. Como era um funcionário exemplar e muito querido, sempre que surgia a oportunidade para atuar, e seu patrão lhe incentivava. Em 1969, começou a fazer teatro amador, fazendo peças adultas e infantis. Fez participações em TV e cinema. A primeira foi no programa do Airton Toledo, no Canal 7, TV Record. E fez participação com Mazzaropi. No início, era figuração, depois passei a ter papéis.

Integrou alguns grupos, como o Grupo Teatral Boca Aberta. Fizemos peças como Sonho de uma noite de velório e Mais quero asno que me carregue do que cavalo que me derrube, ambas comédias. Como já era casado, e não vivia do meio artístico, ficou inviável continuar vivendo na capital paulista: a esposa não gostava da cidade para morar e queria viver perto da família.

Em 1985, retornou a Juiz de Fora vestindo a roupa do corpo e com mãos dadas com a esposa, além de um filho nos braços.

Já vivendo em Juiz de Fora, tentou ingressar na cena teatral local, mas não conseguiu. Um dia, leu num jornal um anúncio, publicado pelo Palhaço Fuzil procurando interessados a ingressar à sua trupe. Foi admitido como contrarregra. Nos primeiros dias, foi proposto a ele vestir-se de palhaço e, em toda peça, ele passou a ter uma participação. Como seu sobrenome é Trombini, ele sugeriu Trombeta. Mas depois percebeu que, para as crianças, seria melhor o diminutivo.

O entretenimento está em seu DNA de seu gene familiar, pois descobriu sem querer que era parente distante dos fundadores do Parque de Diversões Trombini, para o qual trabalha, na parte burocrática ou na portaria, quando o empreendimento vem para a região da Zona da Mata mineira.

Filmografia

2001 :: Calçadão – Onde de Tudo Acontece …. O Guarda
1978 :: O Estripador de Mulheres …. Freguês da barbearia

Bibliografia

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Cláudio Trombini. Disponível no endereço: https://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/claudio-trombini/
FACEBOOK. Cláudio Trombini (Trombetinha). Disponível no endereço: https://www.facebook.com/palhacotrombetinha/
MORAIS, Mauro. O palhaço, o que é? Cláudio Trombini, o Trombetinha, responde. https://tribunademinas.com.br/especiais/outras-ideias/08-12-2019/o-palhaco-o-que-e-claudio-trombini-o-trombetinha-responde.html

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Cláudio Trombini

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.