fbpx

Cléo Pires

Cléo Pires Ayrosa Galvão, em arte conhecida como Cléo Pires, é uma atriz brasileira nascida na cidade do Rio de Janeiro (RJ) no dia 02 de outubro de 1982.

É a filha mais velha do cantor e ator Fábio Júnior e da atriz Glória Pires. Tem como avô, o humorista Antônio Carlos Pires, como irmão o cantor e ator Filipe Galvão (Fiuk), e, como padrasto o cantor e compositor Orlando Morais.

Com sangue artístico nas veias, começou sua carreira artística em 1994, ainda muito pequena, aos 12 anos de idade, na minissérie Memorial de Maria Moura, como a jovem Maria Moura. Foi uma participação rápida, de apenas um capítulo, em que viveu a protagonista, Maria Moura, quando jovem, sendo substituído pela mãe, Glória Pires, na fase adulta da personagem.

Depois disso, distanciou-se da TV e da mídia, acreditando que não tinha vocação para seguir os passos da mãe. Cléo disse que via a mãe trabalhando dia e noite sem parar, a imprensa invadindo sua privacidade e o telefone tocando o tempo todo, e, que não desejava isso para seu futuro.

Mesmo o cinema sendo uma de suas paixões, quando perguntavam se queria ser atriz, logo pensava em novelas e teatro, coisas em que não tinha interesse, nem curiosidade. Até que, em 2003, ganhou o papel feminino principal no filme Benjamim, contracenando com Paulo José. A diretora Monique Gardenberg contou que a escolha foi por acaso, que aconteceu no banheiro de uma festa na casa da cantora Preta Gil. A cineasta ficou impressionada com a sua presença e sua sensualidade espontânea, à flor da pele. Depois de muito treinar e muitos ensaios, já que nunca havia feito cinema antes, rodou a película, cujo roteiro foi baseado no livro homônimo de Chico Buarque.

Assim que finalizou o trabalho e viu o resultado, apaixonou pela profissão e decidiu que era isso mesmo o que queria. Mesmo sem nunca ter feito um curso de interpretação, pela sua atuação, recebeu elogios e concorreu a vários prêmios na categoria de Melhor Atriz, vencendo o Festival do Rio.

No mesmo ano ganha papel de destaque na novela América, no papel de Lurdinha, a garota que se apaixona por um homem muito mais velho, interpretado por Edson Celulari. Foi o passo que faltava para se encaminhar sua carreira para o sucesso. Nas novelas seguintes, vê seus personagens em ascensão como em Cobras & Lagartos (2006), interpretando Letícia; Ciranda de Pedra (2008), como Margarida; Caminho das Índias (2009), no papel de Surya Ananda, etc.

Em 2008, foi uma das protagonistas do filme Meu nome não é Johnny.

20 :: O Segundo Homem (Em Produção)
20 :: O Amor Dá Voltas (Em Produção)
2021 :: Me Tira da Mira (Em Finalização)
2020 :: Terapia do Medo
2019 :: Legalidade
2018 :: O Amor dá voltas
2016 :: Mais Forte que o Mundo: A história de José Aldo
2015 :: Operações especiais
2015 :: Qualquer Gato Vira-lata 2
2014 :: Rio, Eu te Amo (Episódio: Inútil Paisagem)
2013 :: O Tempo e o Vento
2011 :: Qualquer Gato Vira-lata
2009 :: Lula, o Filho do Brasil
2008 :: Meu nome não é Johnny
2003 :: Benjamim

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Cléo Pires. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/cleo-pires/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]