fbpx

Cleumo Segond

Cleumo Segond Carvalho Cruz, em arte mais conhecido como Cleumo Segond, é um cineasta e diretor de fotografia brasileiro nascido no Rio de Janeiro. Estudou Cinema na Universidade Federal Fluminense (UFF).

Começou a carreira como assistente de câmera de Lauro Escorel, Antonio Luis Mendes Soares, Walter Carvalho, Dib Lutfi, Nonato Estrela, entre outros.

Como diretor de fotografia começou com curtas e médias-metragens em película. Assinou a primeira fotografia de um filme produzido pela própria UFF, em 1982, no curta O Cru e o Cozido, em parceria com Ivan Bittencourt, sob a direção de Carlos Eduardo Pereira, filme.

Em 1985, dirigiu seu primeiro filme, o documentário também curto Violurb, que trata da violência urbana, que, ampliado para 35mm, foi visto por mais de 500 mil pessoas.

Em 1991, mudou-se para São Paulo onde trabalhou na área de documentários, institucionais e comerciais. Realizou vários documentários pela TV Cultura de São Paulo.

Entre outros filmes que participou, destacam-se filmes como Profeta das Cores, Melhor Documentário no Festival de Brasília de 1995. Depois realizou vários documentários pela TV Cultura de São Paulo de 1997 a 2000.

Em 1997, fez a fotografia de seu primeiro longa, o documentário O Velho – A História de Luiz Carlos Prestes, de Toni Venturi, depois A Negação do Brasil (2000), de Joel Zito Araújo, ambos premiados em vários festivais nacionais e internacionais.

Na televisão, trabalha na TV Cultura de São Paulo como diretor de fotografia do Núcleo de Documentários de 1998 a 2000, realizando vários trabalhos incluindo a série Caminhos e Parcerias, direção de Neide Duarte e Ricardo Soares, ganhadora dos prêmios de jornalismo, como o Prêmio Wladimir Herzog, UNICEF e Ethos. Além da TV Cultura, realizou diversos outros documentários para o National Geographic, Discovery e produtoras independentes para TV.

Recebeu dois prêmios de melhor fotógrafo, pelo video Na Garupa de Deus, de 2003, no Festival de Cinema e Vídeo do Ceará, e Ao Sul de Setembro (2005), de Amauri Tangará, no Festival de Cuiabá de 2006.

Em 2012, fotografou os longas documentários O Dia que Durou 21 Anos e Raça, exibidos nos cinemas.

Desde 2011, atua como professor no curso de direção de fotografia na Academia Internacional de Cinema (AIC) de São Paulo e realiza workshops e oficinas de direção de fotografia pelo Brasil. Recententemente, assumiu o cargo de coordenador e professor do curso de direção de fotografia da AIC Rio.

:: Filmografia como Diretor ::

1985 :: Violurb (CM)

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

2018 :: Marcel (CM)
2018 :: Meu Amigo Fela
2015 :: O Destino do Changri-lá
2012 :: Raça
2012 :: O Dia que Durou 21 Anos
2006 :: Um Olhar Sobre os Quilombos do Brasil
2005 :: Ao Sul de Setembro
2005 :: Babaú na Casa do Cachaça – Verde e Rosa Blues (CM)
2005 :: O Profeta das Águas,
2004 :: Jequitinhonha. Rio, Trilhas e Caminhos (CM)
2004 :: Rê! Rê Rêê! Rê! (CM)
2003 :: Incompatibilidade de Gênios (CM)
2003 :: Na Garupa de Deus (MM)
2003 :: O PT Faz História (MM)
2000 :: A Negação do Brasil (cofot. Adrian Cooper)
1999 :: A Terceira Morte de Joaquim Bolivar
1999 :: Histórias do Flamengo (cofot. Francisco Torturra, Nélio Ferreira, Beto Campos, João Gonçalves da Rocha e Liercy de Oliveira)
1997 :: O Velho – A História de Luiz Carlos Prestes
1996 :: Histórias do Mar (CM)
1995 :: O Profeta das Cores (CM)
1989 :: Guerras (CM)
1986 :: Impresso a Bala (CM) (cofot. Juliano Serra)
1986 :: O Vigilante Rodoviário (CM) (cofot. Roberto Petti)
1982 :: O Cru e o Cozido (CM) (cofot. Ivan Bittencourt)

:: Filmografia como Assistente de Câmera ::

1991 :: O Fio da Memória
1986 :: A Cor do seu Destino
1984 :: Quilombo

:: Filmografia como Fotografia Adicional ::

2014 :: Os Advogados contra a Ditadura: por uma questão de Justiça (cofot. Lúcio Kodato, Xeno Veloso e Vladimir Seixas)

:: Filmografia como Fotógrafo de Cena ::

1991 :: O Fio da Memória

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]