fbpx

Copacabana me Engana (1968)

Comédia debochada que anunciou um novo caminho no cinema brasileiro. Marquinhos é um jovem alienado que sonha em ter um Mustang vermelho. Ele inicia um romance com uma mulher madura.

Copacabana Me Engana é um filme brasileiro de 1968 do gênero comédia, dirigido por Antônio Carlos da Fontoura, e com roteiro de Armando Costa, Antônio Carlos da Fontoura e Leopoldo Serran.

Curiosidade é que as vozes de Carlo Mossy e de Paulo Gracindo são dubladas. A do primeiro, por questões do seu grande sotaque à época, foi dublado por Rodney Gomes, um grande dublador brasileiro, e do segundo por Hugo Carvana.

Elenco

Odete Lara …. Irene
Carlo Mossy …. Marquinhos
Paulo Gracindo …. Alfeu
Lícia Magna …. Isabel
Ênio Santos …. Leôncio
Joel Barcellos …. Macalé
Marcos Anibal …. Pedrinho
Renato Landim
Armando Costa
Vítor Albuquerque …. Patota de Copacabana
Edu Mello …. Patota de Copacabana
Yolanda Cardoso …. Caso do pai de Marquinhos
Maria Gladys …. currada da Barra
Emmanuel Cavalcanti …. Sindicalista
José Medeiros …. Currado na Barra
Luiz Marinho …. Sindicalista
Mário Fiorani
Marcos Palmeira
Lícia Magno …. Isabel, mãe de Marquinhos
Ênio Santos …. Lêoncio, o pai
Vitor Albuquerque …. patota do superbacana
Edu Mello …. patota do superbacana
Luis Mendonça

Participação especial:
Cláudio Marzo …. Hugo, seu irmão

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Copacabana me Engana (1968) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Antônio Carlos da Fontoura
Argumento: Armando Costa, Antônio Carlos da Fontoura e Leopoldo Serran
Roteiro: Armando Costa, Antônio Carlos da Fontoura e Leopoldo Serran
Assistência de direção: Macêdo, Gilberto; Costa, Armando
Continuidade: Fiorani, Marilu Prado
Produção: Fontoura, Antonio Carlos da
Direção de produção: Fiorani, Mário; Matoso, José Aluisio; Barbosa, Zeca
Produção executiva: Fiorani, Mário
Produtor associado: Achcar, Dalal
Direção de fotografia: Affonso Beato
Câmera: Jorge Bodanzky
Assistência de fotografia: Stein, Ricardo
Assistência de câmera: Stein, Ricardo
Fotografia de cena: Lynch, Douglas
Eletricista: Russo
Maquinista: Lidio
Técnico de som: Viana, Aloisio
Mixagem: Viana, Aloisio
Efeitos sonoros: José, Geraldo
Montagem: Mário Carneiro
Assistente de montagem: Kusnetzoff, Hugo
Montagem de som: Mário Carneiro
Direção de arte: Antônio Carlos da Fontoura
Figurinos: Antônio Carlos da Fontoura
Letreiros: Dulce, Maria; Bandeira, Marília
Companhia(s) produtora(s): Difilm; Canto Claro Produções Artísticas Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Difilm – Distribuição e Produção de Filmes Brasileiros Ltda.

Financimento/patrocínio: CAIC

Canção
Título: Baby
Autor da canção: Veloso, Caetano
Intérprete: Costa, Gal e Veloso, Caetano

Bibliografia

Internet:

CINEMATECA BRASILEIRA. Disponível no endereço: http://www.cinemateca.org.br. Acesso em: 03 de jun. de 2011.

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-cat
Guia de Filmes, 20
Press-release
Embrafilme/NC80
Programadora Brasil/5
Embrafilme/Catálogo 1986
Site, Ancine, disponível em: http://sad.ancine.gov.br/obrasnaopublicitarias/pesquisarCpbViaPortal/pesquisarCpbViaPortal.seam, acesso em: 22.02.2018.

Fontes consultadas:
RG/Filmografia
ACPJ/II
FBR/4
FBR/16

Observações:
ACPJ/II informa como câmera; cenografia de Jorge Bodanzky; letreiros de e .
Os letreiros do filme não indicam os nomes de Luís Marinho e de José Medeiros no elenco. Ao informar a CAIC, os letreiros grafam: “produzido com auxílio da “.
Programadora Brasil/5 informa que a obra participa do , intitulado

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Copacabana me Engana (1968)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.