fbpx

Desabafo (2016)

Trailer

Sinopse

Desabafo conta a história de três casais em crise, vivendo momentos cruciais em suas vidas. Cada família representando uma classe social e um grupo de valores, um conjunto de objetivos. A tediosa opulência da riqueza, a frustração de uma classe média focada em metas, a difícil tarefa de lidar com as limitações impostas pela pobreza. De alguma forma, essas vidas representam a todos nós. Juntas as histórias revelam o quadro de uma sociedade em declínio.

Filme, dirigido por Márcio B. Venturi e estrelado por Inez Viegas e Fernando Alves Pinto, é uma adaptação da peça teatral Extravagância Brasileira, do dramaturgo Wilson Sayão. O enredo é dividido em três episódios com as histórias de três famílias de classes sociais distintas.

O primeiro episódio, chamado Caviar e Champagne, é uma comédia que retrata a vida de um casal que vive de rendas, sofre de tédio, e que bebe muito para passar o tempo e suportar a crise que enfrenta.

Na sequencia nos deparamos com Sanduíche e Coca-Cola, episódio dramático que mostra um casal de classe média morando em um condomínio com vários apartamentos e muita área de lazer e que, mesmo criando dois filhos, não consegue ocupar o vazio de seus corações.

Pão e Água, que encerra o longa, é uma tragédia que ilustra as dificuldades da classe baixa. A constante falta de recursos, aliada a uma repentina (mas usual) demissão do emprego misturadas a exigente rotina de cuidar de um filho recém-nascido, consomem as forças físicas e psíquicas de um casal da periferia, e isso os leva a ultrapassar muitos limites.

Inez Viegas, que não só protagoniza o filme como também é sua produtora, teve contato com o texto de Wilson Sayão, quando era integrante do grupo teatral Tá Na Rua, dirigido por Amir Hadad. No início dos anos 1990, o renomado diretor levou ao palco a peça Extravagância Brasileira com o titulo Uma Casa Brasileira com Certeza, e Sayão recebeu o Prêmio Shell de melhor texto naquela ocasião. Sobre o texto, aliás, nas palavras de Hadad: é um estudo em profundidade, um corte transversal da estratificação social brasileira.

Com intensa participação em cinema, Fernando Alves Pinto já conta 33 filmes em sua carreira, destacando-se Dois Coelhos (de Afonso Poyart), Terra Estrangeira (1995), de Walter Salles Jr.), e Quase Dois Irmãos (2004), de Lúcia Murat.

A direção de fotografia é de Daniel Talento e montagem de Felipe Lacerda. A trilha original é de João Macdowell e Cleyde Afonso, que assina a produção executiva. Ainda constam do casting Ricardo Rama (direção de produção), Lua Veiga (direção de arte), Nathalia Amorim (figurino), Rosa Bandeira (maquiagem), Luigi Porto (desenho de som), Daniel Lins e Breno Soares (produção de finalização) e co-produção de Tia Maria Filmes, Canal Imaginário e Square Pixel.

O longa-metragem Desabafo foi realizado com um micro orçamento, com produção iniciada com crowdfunding, que acabou ganhando o selo do Canal Brasil.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Desabafo (2016) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Márcio Venturi
Argumento original: Wilson Sayão
Roteiro: Inez Viegas
Produção: Inez Viegas
Produção executiva: Cleyde Afonso
Direção de produção: Ricardo Rama
Direção de fotografia: Daniel Talento
Direção de arte: Lua Veiga
Figurino: Nathalia Amorim
Maquiagem: Rosa Bandeira
Montagem: Felipe Lacerda
Trilha Original: João Macdowell
Desenho de som: Luigi Porto
Produção de finalização: Daniel Lins e Breno Soares
Co-produção: Tia Maria Filmes | Canal Imaginário | Square Pixel Filmes
Distribuição: Elo Company
Exibição: Canal Brasil

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Desabafo. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/desabafo/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Desabafo (2016)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.