fbpx

Durval Discos (2002)

Trailer

Sinopse

Um filme sobre uma loja de discos: inclusive, uma história com seu lado A e seu lado B. Trabalha a passagem da era dos anacrônicos discos para os “modernos” compact-dics, discorre sobre antigos álbuns que acabaram não sendo relançados em seu formato digital e sobre o dono da loja – Durval – que, em 1995, vende discos dos anos 70 em Pinheiros, por questões puramente afetivas e não comerciais. O amparo de Durval por ter parado no tempo (numa cidade que a única constante é a mudança contínua) se encontra na forte relação com sua mãe – quase umbilical. Sua linguagem se baseia em longos planos que não tem pressa para passar sua mensagem ao espectador. Mas esta história vai até mais ou menos a metade do filme: seu lado B é humor negro, associado à uma trilha sonora no mínimo frenética, com cenas surreais, que fazem o espectador ter ataques de agonia.

Com o patrocínio do Banespa (já pertencente ao Grupo Santander Banespa), BNDES, Nossa Caixa, Sayerlack, o filme é uma produção da Dezenove Som e Imagens e da Africa Filmes, com co-produção do Governo do Estado de São Paulo (através do Programa Integração Cinema e TV, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Cultura em conjunto com a TV Cultura) e teve apoio institucional da Prefeitura do município de São Paulo (Lei 10.823/80). Para sua finalização, Durval Discos recebeu recursos da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, através da Riofilme.

O filme começa com um grande plano-sequência de abertura, filmado entre as esquinas das ruas Capote Valente e Teodoro Sampaio, em São Paulo.

Elenco

Ary França
Etty Fraser
Marisa Orth
Letícia Sabatella
André Abujamra
Theo Werneck

Apresentando:
Isabela Guasco

Participação especial:
Rita Lee

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Durval Discos (2002) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Anna Muylaert
Roteiro: Anna Muylaert
Produção: Sara Silveira e Maria Ionescu
Música: André Abujamra
Direção de Fotografia: Jacob Solitrenick
Direção de arte: Ana Mara Abreu
Figurino: Marisa Guimarães
Montagem: Vania Debs
Estúdio: Dezenove Som e ImagensÁfrica Filmes
Distribuição: Riofilme

Duração: 96 minutos

Trilha Sonora:

01. Mestre Jonas – Os Mulheres Negras
02. Que Maravilha – Jorge Ben
03. Maracatu Atômico – Gilberto Gil
04. Madalena – Elis Regina
05. Irene – Caetano Veloso
06. Ovelha Negra – Rita Lee
07. Back In Bahia – Gilberto Gil
08. Alfômega – Caetano Veloso
09. Besta É Tu – Novos Baianos
10. Xica da Silva – Jorge Ben
11. London,London – Gal Costa
12. Pérola Negra – Luiz Melodia
13. Mestre Jonas – Sá, Rodrix e Guarabyra

e ainda: * Tim Maia – Imunização Racional (Que Beleza) (esta música é tocada duas vezes no filme, apesar de não estar na trilha sonora oficialmente.)

Bibliografia

Fontes de Referência

http://www.durvaldiscos.com.br/ – Site Oficial do Filme Durval Discos – Brasil

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

5 comentários sobre “Durval Discos (2002)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.