fbpx

Era uma vez… (1993)

A história de uma turma de anti-heróis à procura de grandes aventuras que os tirará da miséria. Grilo e Grude trabalham num moinho. Guiados pelos livros de contos de fadas de Grilo decidem partir para se tornarem cavaleiros andantes. No caminho encontram Gralha, uma ladra condenada à tortura. Eles ajudam a moça que passa a acompanhá-los. Ela carrega em sua bolsa um sapo, acreditando que ao beijá-lo ele se transformará num príncipe. Chegam às terras do rei Turíbio, onde um mensageiro comunica que todos os doutores do reino devem salvar a princesa Luá, que sofre de um mal desconhecido: dorme profundamente. Grilo descobre que basta beijá-la para que ela acorde, apaixonando-se pelo seu salvador. Os três roubam as roupas de três doutores e dirigem-se ao palácio do rei. Grilo beija a princesa, descobrindo que, na realidade, a garota está de porre. No meio da noite a moça é acordada por uma misteriosa música. Briga com o pai, e foge voando pela janela. Dr. Grilo transforma-se no cavaleiro Ludovico Testa de Ferro, e se candidata a salvar a princesa. Com a ajuda de uma bruxa, os três chegam até o reino das fadas. Lá conhecem Llangollyn, um elfo que lhes conta que o reino está ameaçado de destruição pelas guerras do rei Turíbio, assim como o reino vizinho, da rainha Mab e de seu filho Tudor de Magmo. Descobrem que a princesa fora seduzida por Tudor. Para salvar a princesa, os heróis devem conseguir uma espada mágica com a dama da árvore, fada guardiã da espada. Tendo a posse da espada os três juntamente com Llangollyn chegam ao castelo. Ludovico luta com Tudor que se transforma em um diabólico dragão. Com a ajuda da espada mágica, derrota o monstro e devolve a princesa ao pai. Como recompensa, pede que o rei abdique do trono em nome de sua filha. A rainha Luá termina com as guerras da região. Gralha beija seu sapo que finalmente muta-se em príncipe, mas que, para desespero da moça, se casa com a rainha Luá. Os três heróis seguem seu destino felizes por possuírem a vida como maior recompensa.

Elenco

Felipe, Eduardo (Grilo)
Penna, Rodrigo (Grude)
Cotrim, Anna (Gralha)
Tonico Pereira …. ReiTuríbio
Uranga, Pablo (Tudur)
Alves, Gabriela (Pricesa Luar)
Oberdan Junior …. Llangollyn
Luiz Carlos Tourinho …. Banshee
Fetter, Andréa Fetter (Dama da árvore)
Abreu, Ovídio (Granjeiro)
Cresta, Isolda (Granjeira)
Alegre, Ricardo (Sargento)
Conti, Rodrigo (Soldado)
Minardi, Olavo (Soldado)
Jorge Cherques …. Arauto Real
Nery, Gilda (Camponesa)
Silva, Edmilson (Campones)
Ribeiro, Luciano (Campones)
Alberto, Carlos (Campones)
Máximo, Lúcia Helena (Camponesa)
Villela, Júlia (Camponesa)
Igrejas, Fabiana (Camponesa)
Ney, Cláudio (Soldado)
Pedro Carvana …. Doutor
César, Alexandre (Doutor)
Curvelo, Gilson (Doutor)
Guimarães, Silvia (Sinhá doida)
Urange, Candelária (Fada do bosque)
Gama, Alice da (Fada do bosque)
Rhodes, Waldir (Sr. Gnomo)
Corrêa, Margarida (Sra. Gnomo)
Azevedo, Márcio (Duende (boneco))
Quiá …. Duende (boneco)
Stroppiana, Bernardo (Elfo)
Spindilla, Rafael (Elfo)
Leandro, Rodrigo (Elfo)
Charles Júnior (Mandrágora)
Luiz, Wagner (Mandrágora)
Alves, Marginô (Mandrágora)
Assis, Chico Assis (Mandrágora)
Gaspar Filho …. Mestre das armas
Murilo Rosa …. Guerreiro
Molina, Raphael (Guerreiro)
Gonçalves, Wagner (Guerreiro)
Eduardo, Carlos (Guerreiro)
Dias, Carlos Alberto (Guerreiro)
Galli …. Músico
Bertong, Lui (Músico)
Wis, Marcelo (Músico)
Cristovão Neto …. Monstro
Ney, Cláudio (Monstro)
César, Alexandre (Monstro)
Delo …. Monstro

Participação especial:
Vicentina Novelli …. Rainha Mab
Zezé Motta …. Mulher na festa
Alves, Maria
Paulão

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Era uma vez… (1993) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Arturo Uranga
Argumento: Arturo Uranga
Roteiro: Arturo Uranga e Pedro Ernesto Stilpen
Diálogos: Arturo Uranga e Stil
Assistência de direção: Ney Sant’Anna, Quintano, David; Monte, Rodrigo; Buss, Jéssel; Vindicato, Marcelo
Continuidade: Pedro Carvana e Nely Neves
Produção: Bruno Stroppiana e Arturo Uranga
Direção de produção: Gerace, Luiz Antônio (Chacra); Peixe, Jane Guerra
Produção executiva: Fonseca, Tininho
Assistência de produção: Leandro, Flávio; Gouvea, Isabel; Fessel, Fábio; Manhães, Tereza
Contabilidade: Salgado, Carlos
Motorista: Sirélio; Fernando; Gaúcho; Carlos, Luiz; Japeri, Serginho; Waldir; Maciel, Roberto; Osório; Márcio; Andrade, Paulo; Hélcio; Alberto, Carlos; Manoel, Adilson; Gil
Direção de fotografia: Cézar Moraes
Assistência de fotografia: Rocha, Marcelo; Fonseca, Marcelo; Monte, Rodrigo; Dutra
Câmera: Cezar Elias e Mélio Ferreira
Fotografia de cena: Arruda, André; Vantoen Jr.
Animação: Arturo Uranga
Chefe eletricista: Luna, Tião de
Eletricista: Filinzola, Wydiemilson; Luna, Jorge de; Colmeia, Zé; Rodrigues, Jorge
Som direto: Toninho Muricy e Renato Calaça
Mixagem: Roberto Carvalho
Ruídos de sala: César, Antônio; Fonseca, Fernando Alberto
Assistente de som: Renato Calaça, Casemiro, Roberto; Petrillo, Simone
Montagem: Loureiro, Gilberto; Diegues, Isabel; Montes, Rodrigo; Diniz, Ana
Montagem de som: Carlos Cox
Direção de arte: Arturo Uranga
Figurinos: Abrantes, Samuel; Pereira, Jorge Luiz
Cenografia: Magalhães, José Carlos
Desenho de produção: Arturo Uranga
Assistência de cenografia: Girelli, Maria Matilde; César, Alexandre; Palhares, Alexandre; César; Damião
Contra-regra/acessórios de cenografia: Curvelo, Gilson
Montagem de cenário: Bittencourt, Sérgio; Bittencourt, José
Cabeleireiro: Michelotti, Luís
Maquiagem: Michelotti, Luís
Assistência de maquiagem: Capri, Marília; Messias, Miro; Capri, Marília; Messias, Miro
Costureira: Souza, Esmeralda de; Soraya; Zezé
Adereços: Girelli, Maruja; Tabone, Alzira
Arranjos musicais: Roger Henri
Música: Roger Henri
Direção musical: Roger Henri
Música original: Roger Henri
Trilha musical: Roger Henri
Companhias Produtoras: Arturo Uranga Produções Cinematográficas Ltda. | Sky Light Ltda.
Companhias Produtoras Associadas: Magnus Filmes | Líder Cine Laboratórios
Companhia distribuidora: RioFilme

Brasil | Aventura | cor | 100 min. | 35mm | 1993 | 2.930m | 24q

Dados adicionais de música:
Instrumentista: Henri, Roger – teclados; Uranga, Pablo – guitarras e Antônio, Marco e Bertoni, Lui – programa de teclados e bateria

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CRJ/90-92
MERCOSUL/94
CUIABÁ/2
FBR/29
O Estado de S. Paulo, 28.01.1994
Catálogo Riofilme
Jornal do Brasil, 09.01.1994

Fontes consultadas:
Jornal da Tarde, 19.01.1994

Livros:

Internet:

ARQUIVO NACIONAL.
CINEMATECA BRASILEIRO. Era uma vez…. Disponível no endereço: http://bases.cinemateca.gov.br/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Era uma vez… (1993). Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/era-uma-vez-1993/
RIOFILME.

Observações:

Jornal do Brasil de 09.01.1994 e Jornal da Tarde de 19.01.1994 divulgam que o filme fora lançado pela Riofilme para as principais capitais do Brasil.
Ney Sant’Anna parece grafado em algumas fontes como Ney Santana.
Alguns materiais examinados não possuem nos letreiros iniciais: Este filme foi financiado com recursos da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Secretaria Municipal da Cultura através da RIOFILME.
Participou do Festivalzinho 1996 no 29º Festival de Brasília (1996), Brasília – DF.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]