fbpx

Eternamente Pagú (1988)

Sinopse

A história de Patricia Galvão, ativista política, literária e artística, que escandalizou a sociedade burguesa brasileira na primeira metade do século. Torna-se musa da poesia modernista, vive um romance com Oswald de Andrade, filia-se ao Partido Comunista e quase é deportada para a Alemanha Nazista. Depois de uma viagem ao exterior, volta ao Brasil, é presa e, ao sair, rompe com o partido e se dedica ao teatro de vanguarda.

Filme dirigido por Norma Bengell, estrelado por Carla Camurati, Antônio Fagundes, Otávio Augusto e grande elenco.

Elenco

Carla Camurati …. Pagú
Antônio Fagundes
Pádua, Nina de (Sidéria)
Góes, Esther
Villaça, Paulo (Pai de Pagú)
Faini, Suzana
Norma Bengell …. Elsie Houston
Otávio Augusto
Galvão, Patrícia
Pitanga, Antônio
Sílvia, Maria
Kito Junqueira
Moron, Breno
Goulart, Beth
Picchi, Marcelo
Gregório, Carlos
Lago, Eduardo
Coelho, Ariel

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Eternamente Pagú (1988) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Norma Bengell
Argumento: Almeida, Márcia de
Roteiro: Almeida, Márcia de; Carneiro, Geraldo e Norma Bengell
Assistência de direção: Nercessian, Sônia
Produção executiva: Del Cueto, Jayme; Janequine, Agostinho
Direção de fotografia: Soares, Antônio Luiz Mendes
Fotografia de cena: Almeida, Márcia de; Carneiro, Geraldo e Norma Bengell
Montagem: Paris, Dominique
Montagem de som: Goulart, Walter
Direção de arte: Meyer, Alexandre
Figurinos: Prieto, Carlos; Nercessian, Sônia
Cenografia: Meyer, Alexandre
Música: Santos, Turíbio; Gnatalli, Roberto
Companhias Produtoras: Flai Cinematográfica Ltda.; Sky Light Cinema; Maksoud Plaza; Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Companhia Distribuidora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Prêmios

Sol de Ouro, Júri Popular, Melhor Fotografia para Soares, Antônio Luiz Mendes e Melhor Atriz Coadjuvante para Góes, Esther no IV Rio Cine Festival, 1988, Rio de Janeiro, RJ.
Melhor Atriz para Carla Camurati no II Festival de Cinema de Natal, 1988 – RN.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Concine/88*
CB/Recorte Documentação, P.1988-7/138, Folha de S. Paulo de 09.04.1988
ALSN/DFB-LM

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Eternamente Pagú (1988)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.