fbpx

Felipe Carone (1920-1995)

Felipe Carone foi um ator brasileiro nascido em São Paulo (SP) no dia 25 de julho de 1920.

De origem libanesa, depois de ser industrial de tecidos e de se incompatibilizar com a carreira de cantor lírico, resolveu fazer teatro amador no Clube Monte Líbano, onde conheceu o ator Armando Bógus.

Estreou profissionalmente em 1956, na peça Moral em Concordata, ao lado de Maria Della Costa. Mais tarde, formou o Pequeno Teatro de Comédia, com Antunes Filho, Nelson Duarte, Armando Bógus e outros. A companhia montou peças de sucesso no final dos anos 1950, como O Diário de Anne Frank e Alô 36-5499.

Apareceu pela primeira vez na televisão em 1962, na TV Record, no programa Gente como a Gente. Em 1963, fez sua primeira novela, Gente como a Gente, seguindo-se Renúncia, contracenando com Francisco Cuoco, em 1964.

Passou para a TV Excelsior e depois para a Globo, estreando na segunda fase da novela A Grande Mentira, em 1969, permanecendo nessa emissora por mais de vinte anos, tendo feito inúmeras outras como: Pigmalião 70 (1970), O Cafona (1971), Bandeira 2 (1972), Uma Rosa com Amor (1972), Um dia, o Amor (1975), O Pulo do Gato (1978), Chega Mais (1980), Plumas & Paetês (1980), De Quina pra Lua (1985), Top Model (1989), Meu Bem, Meu Mal (1991), Despedida de Solteiro (1992) e Mulheres de Areia (1993), sua última novela, embora tenha ainda participado do episódio À Deriva, do programa Você Decide, em 1994.

Teve brilhante participação também em vários programas humorísticos como O Planeta dos Homens, Viva o Gordo, além das séries Plantão de Polícia e Mário Fofoca.

Estreou no cinema, em 1959, no filme Moral em Concordata. Atuou também em A Compadecida (1969) e Johnny Love (1987), entre outros.

Sua última peça de teatro foi Além da Vida, obra psicografada por Chico Xavier, e que permaneceu doze anos em cartaz.

Faleceu vítima de câncer no esôfago, no Rio de Janeiro, aos 74 anos de idade, em 27 de março de 1995. Deixou esposa, Odete, e os filhos Felipe Jr., Ricardo e Cláudia.

1988 :: O Diabo na Cama
1987 :: Johnny Love
1977 :: Entre sem Bater
1977 :: A árvore dos sexos
1976 :: E… as Pílulas Falharam
1976 :: Guerra é Guerra (Episódio: Núpcias com Futebol)
1975 :: O Roubo das Calcinhas
1975 :: Uma Mulata para Todos
1973 :: Obsessão
1973 :: Banana Mecânica
1972 :: Um Marido sem… é Como um Jardim sem Flores
1972 :: Os Mansos (Episódio: O Homem dos Quatro Chifres)
1971 :: Lua de mel e amendoim
1969 :: A Compadecida
1959 :: Macumba na Alta
1959 :: Moral em Concordata

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Felipe Carone. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/felipe-carone/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Felipe Carone (1920-1995)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.