fbpx

Fernando Pimenta

Biografia

Fernando Pimenta é um artista gráfico brasileiro. É responsável pela arte de centenas de cartazes de filmes, além de aberturas e vinhetas.

Se há 30 anos o cinema nacional se fez ver e se fazer conhecer se deve em boa parte a uma figura singular. O carioca Fernando Pimenta nunca dirigiu um filme, mas seu traço e suas ideias estão presentes em mais de 200 cartazes de divulgação de obras ficção e documentários brasileiros. São deles, por exemplo, os posters de divulgação de Câncer (Glauber Rocha); Pra Frente Brasil (Roberto Farias); Bye Bye Brasil (Cacá Diegues), O homem da capa preta (Sérgio Rezende), Pixote (Hector Babenco); Engraçadinha (Haroldo Marinho Barbosa), Eu Sei que vou te Amar (Arnaldo Jabor), O Quatrilho (Fábio Barreto), entre outros filmes que marcaram diversos movimentos da cinematografia brasileira, do cinema novo aos filmes da Boca do Lixo, do cinema da retomada à produção atual.

Premiado em festivais no Brasil e no exterior, Pimenta é do tempo que fazer cartaz era quase um trabalho de artista plástico, misturado com um pouco de diretor. “A gente mandava fazer uma logomarca (às vezes até em escultura tridimensional), depois fotografava, chamava o ator no estúdio e também fotografava e até os caracteres eram na foto. Depois tinha que recortar tudo isso na tesoura e colar”, conta.

Pimenta começou por acaso na área. Eu trabalhava numa agência de publicidade como manchador, (“o cara que faz o layout”), e um dia fui numa festa de maluco e me convidaram para ser ator num filme. Me envolvi também com a produção e tinha um amigo que sabia de cinema, porque eu não entendia nada e tinha que aprender. Então pintou um cara brasileiro que recém tinha voltado da Alemanha, quando deu a anistia. Ele era diretor de produção da Embrafilme e me pediu um cartaz, relata.

O artista gráfico fez o primeiro e começaram as solicitações. Eu vinha de agência, sabia fazer campanha, outdoor, vinheta, abertura, diz. Pimenta então ganhou uma concorrência na extinta Embrafilme para produzir os cartazes do cinema nacional. Quando saí, demitido, montei um escritório e a demanda do Brasil continuou lá, era uma loucura, relembra. O Luiz Carlos Barreto (para quem Pimenta produziu diversos cartazes), instalou um telefone vermelho dentro do escritório para ter uma ligação direta, diverte-se.

Na era digital, Pimenta até tentou resistir, mas teve que se render. Seus cartazes estão todos reunidos no livro “O Cinema Brasileiro em Cartaz”. “Tem uns 30% que são bacanas, uns 10% são geniais e o resto é um perrengue, mas coloco todos, é a obra de um ser parte da cultura brasileira”, diz Pimenta, sempre franco até demais. Pimenta também é o autor de diversas aberturas e vinhetas de cinema e de cartazes estrangeiros, como Morango e Chocolate, Minha Marido de Batom, entre outros. É um dos principais criadores dos cartazes do blumenauense Sylvio Back.

Publicações

PIMENTA, Fernando. O Cinema Brasileiro em Cartaz. Rio de Janeiro: Pimenta Design, 2006.

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Fernando Pimenta. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/fernando-pimenta/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

2 comentários sobre “Fernando Pimenta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.