fbpx

Fernando Teixeira

Biografia

Fernando Antonio Teixeira, em arte conhecido como Fernando Teixeira, é um ator, diretor de teatro, dramaturgo e professor brasileiro nascido em Conceição (PB) no dia 05 de outubro de 1942. É um dos grandes nomes do teatro paraibano.

Queria ser músico, por causa do tio, que era maestro. Começou sua carreira no teatro, no início dos anos 1960, como ator e depois diretor e dramaturgo. Em 1968, fundou o grupo Bigorna, o mais antigo em atividade hoje na Paraíba, com um trabalho voltado para a produção de espetáculos e o estudo do universo teatral.

Dirigiu e atuou em mais de 40 peças, com destaque para A Navalha na Carne (1969), Auto da Compadecida, Papa Rabo, Anayde, 15 anos depois, Quinze Anos Depois (1998), Fogo Morto (2001), Esparrela (2008).

Estreou no cinema em 1979, no curta-metragem Perdiquem: Civilização de Reis.

Seu primeiro longa foi Parahyba Mulher Macho (1983), de Tizuka Yamasaki, mas teve seu papel de destaque em 2006, em Baixio das bestas, de Claúdio Assis, como pequenas produções do audiovisual paraibano – a última lhe garantiu o prêmio de melhor ator no Festival Comunicurtas pela atuação no curta-metragem O Hóspede, de Anacã Agra e Ramon Porto Mota.

Nos anos 1990, foi para São Paulo se reciclar, fez cursos de especialização, inspirado, principalmente, na obra do diretor polonês Grotowski, na procura da maneira correta de tirar do ator o seu melhor, e não apenas transformá-lo em um boneco, segundo ele mesmo diz.

Autodidata, torna-se professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e passa a lecionar Educação Artística em várias escolas de João Pessoa. Teixeira também foi um dos idealizadores da construção do Teatro Lima Penante, que pertence à UFPB e em seguida cria o projeto Vamos Comer Teatro, que permite o acesso livre do público a espetáculos que se apresentam na casa.

Recentemente, completando 70 anos de idade, Fernando Teixeira já celebra meio século de atividade teatral, que acabou se desdobrando em trabalhos no cinema e no audiovisual paraibano.

Filmografia

2019 :: Ainda temos a imensidão da noite
2019 :: A Noite Amarela
2019 :: Ambiente Familiar
2017 :: Rebento
2017 :: O Nó do Diabo
2016 :: Os Incontestáveis
2016 :: Deserto
2016 :: Aroeira
2016 :: Aquarius
2015 :: O Sinaleiro
2009 :: Olhos Azuis
2008 :: A Inesperada Visita do Imperador
2008 :: Bezerra de Menezes: O Diário de Um Espírito
2006 :: Canta Maria
2006 :: Baixio das bestas
:: O Hóspede
2005 :: Por Trinta Dinheiros
2004 :: Espelho d’Água (Uma Viagem no Rio São Francisco)
2003 :: Transubstancial (CM)
1998 :: Era Arariboia um Astronauta? (CM)
1995 :: A Árvore da Marcação
1983 :: Parahyba Mulher Macho
1979 :: Perdiquem: Civilização de Reis (CM)

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Fernando Teixeira. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/fernando-teixeira/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.