fbpx

13º Festival Curta Taquary – Festival Internacional de Curta-metragem

Evento

A 13ª edição do Festival Curta Taquary – Festival Internacional de Curta-metragem aconteceu em Taquaritinga do Norte, agreste de Pernambuco. Porém, este ano, o evento foi realizado de forma virtual. Com o isolamento social, por conta da pandemia da Covid-19, a organização disponibilizou toda a programação on-line para o público.

Nesta edição, foram sete mostras competitivas, uma especial e outra internacional com 82 produções selecionadas. Ao total, 744 curtas se inscreveram. O homenageado deste ano foi o Projeto ViAção Paraíba, ação para formação crítica na linguagem cinematográfica, coordenado pelo cineasta Torquato Joel.

O corpo de jurados foi formado por profissionais do audiovisual, de atores, diretores, jornalistas e técnicos. Na Mostra Brasil, avaliaram os filmes: Helga Queiroz, Victor de Melo e Eduardo Morotó; a mostra Primeiros Passos contou com Suzy Lopes, Lucia Caus e Daniel Dode; Amanda Nascimento, Frederico Machado e Albert Tenório formaram o júri da mostra Universitária; Graci Guarani, Laís Vieira e Geraldo Cavalcanti avaliaram os curtas da Criancine; na mostra Curtas Fantásticos, o júri foi composto por Danny Barbosa, Clarissa Kuschnir e Jeorge Pereira; Maria Ceiça, Labelle Rainbow e Bertrand Lira participaram da mostra Diversidade; Katia Mesel, Meire Fernandes e Pablo Giorgio na mostra Dália da Serra; e o Júri da Crítica foi formado por Tatiana Lima, Igor Gomes, Rômulo Sckaff e Sihan Felix.

Premiação

Conheça os vencedores do Curta Taquary 2020:

MOSTRA BRASIL

Melhor Figurino: Baile, por César Martins
Melhor Direção de Arte: Sangro, por Guto BR
Melhor Som: Tempestade, por Lucas Caminha e Nicolau Domingues
Melhor Edição: Aos Cuidados Dela, por Tom Butcher Cury
Melhor Roteiro: Baile, escrito por Cíntia Domit Bittar
Melhor Fotografia: Aos Cuidados Dela, por Gabriel Barrella
Melhor Atriz: Patricia Saravy, por Baile
Melhor Ator: Marcos Yoshi, por Aos Cuidados Dela
Melhor Direção: Marcos Yoshi, por Aos Cuidados Dela
Melhor Filme: Aos Cuidados Dela, de Marcos Yoshi (SP)

MOSTRA DIVERSIDADE

Melhor Figurino: Os Últimos Românticos do Mundo, por Maria Esther Albuquerque
Melhor Direção de Arte: Minha História é Outra, por Ana Clara Tito
Melhor Som: Minha História é Outra, por Ricardo Mansur e Pedro Moraes
Melhor Edição: Selma Depois da Chuva, por Cíntia Domit Bittar
Melhor Roteiro: Aquele Casal, escrito por William de Oliveira
Melhor Fotografia: Minha História é Outra, por Lílis Soares
Melhor Direção: Loli Menezes, por Selma Depois da Chuva
Melhor Ator: Luiz Bertazzo, por Aquele Casal
Melhor Atriz: Selma Light, por Selma Depois da Chuva
Melhor Filme: Aquele Casal, de William de Oliveira (PR)

*Menção Honrosa: Homens Invisíveis, de Luis Carlos de Alencar (RJ); pelo tratamento de uma temática contundente e pouco abordada que traz à luz a discriminação violenta sofrida pelos homens trans num país onde estatisticamente existe o maior número de assassinatos da comunidade LGBTQ+.

CURTAS FANTÁSTICOS

Melhor Figurino: 1996, por João Vitor Lusvardi
Melhor Direção de Arte: 1996, por Aline Freitas
Melhor Som: O Menino que Morava no Som, por Adam Matschulat, Priscilla Botelho e Thiago Hora
Melhor Edição: O Menino que Morava no Som, por Felipe Soares
Melhor Roteiro: O Pequeno Chupa-Dedo, escrito por Emanuel Lavor
Melhor Fotografia: 1996, por Léa Nogueira e Yuly Amaral
Melhor Direção: Felipe Soares, por O Menino que Morava no Som
Melhor Ator: Wellington Abreu, por Escola Sem Sentido
Melhor Atriz: Camila Guerra, por O Pequeno Chupa-Dedo
Melhor Filme: Toda Sombra Parece Viva, de Leandro Afonso (SP)

*Menção Especial: Invasão Especial, de Thiago Foresti (DF); pela urgência discursiva, pela necessidade de dar visibilidade ao tema e de, ser o momento (agora, no dia 25 de abril de 2020) daquela comunidade ainda correr o risco de invasões ainda maiores, por conta do nosso atual governo!

MOSTRA CRIANCINE

Melhor Figurino: A Vida é Coisa que Segue, por Isadora Martins
Melhor Direção de Arte: Trincheira, por Nina Magalhães
Melhor Som: Trincheira, por Paulo Silva e Pedro Macedo
Melhor Edição: Acalanto, por Bako Machado
Melhor Fotografia: Antes que Vire Pó, por Hellen Braga
Melhor Roteiro: Trincheira, escrito por Paulo Silver e Rafael Barbosa
Melhor Atriz: Janja Rosa, Antes que Vire Pó
Melhor Ator: Gabriel Nunes Xavier, por Trincheira
Melhor Direção: Paulo Silver, por Trincheira
Melhor Filme: Trincheira, de Paulo Silver (AL)

*Menção Honrosa: Histórias de Yayá – Episódio 1: A Concha, de Reinaldo Sant´ana (RJ); dada a importância da sua abordagem acerca da cultura africana na formação da identidade cultural brasileira e, sobretudo, por nos fazer refletir sobre o feminicídio do qual padecem, principalmente, as mulheres negras, vítimas de uma sociedade brasileira patriarcal constituída por um sistema de relações sociais racista, machista, misógina e sexistas.

MOSTRA PRIMEIROS PASSOS

Melhor Figurino: Adalgiza, por Andressa Burgos e Solange Cirqueira
Melhor Direção de Arte: Barbas de Molho, por Eduardo Padrão
Melhor Som: O Verbo Se Fez Carne, por Karkará Tunga Tarairiú
Melhor Edição: Quântica, por Daniel Lupo
Melhor Roteiro: Volta Seca, escrito por Roberto Veiga
Melhor Fotografia: Amanhã, por Daniel Lupo, Marco Rempel e Paulo Faria
Melhor Direção: Ani Cires, por O Lucas Chamou o Mar
Melhor Ator: Vinicius de Oliveira, por Volta Seca
Melhor Atriz: Tânia Granussi, por Volta Seca
Melhor Filme: Deus Tê de Boa Sorte, de Jacqueline Farias (PE)

MOSTRA DÁLIA DA SERRA

Melhor Figurino: Rio Mar, por Jeila Alicia Gericó
Melhor Direção de Arte: Ana Terra, por Direção Coletiva
Melhor Som: A Menina da Ilha, por Mary Abrantes e Afonsino Albuquerque
Melhor Edição: Elemento Suspeito, por Leticia Lakatos
Melhor Fotografia: Ser Tão Nossa, por Antonio Fargoni
Melhor Roteiro: A Menina da Ilha, escrito por Fernanda Rocha, Emily, Victoria, Mairlla e Benjamim
Melhor Atriz: Michelle Maciel, por Ser Tão Nossa
Melhor Ator: Jerzeel Messias, por O Menino que Tinha Medo do Rio
Melhor Direção: A Menina da Ilha, por Coletivo Cinema no Interior
Melhor Filme: A Menina da Ilha, por Coletivo Cinema no Interior (PE)

*Prêmio Especial do Júri | Melhor Documentário: Ana Terra, de Direção Coletiva (AL), e Mbya Arandu – Saber Guarani, de Produção Coletiva (RS); pela diversidade e pertinência das temáticas, que abordam o meio ambiente, a liberdade da mulher, a inclusão, preconceito, bullying e o poder.

MOSTRA UNIVERSITÁRIA

Melhor Figurino: Rebento
Melhor Direção de Arte: Rosa, por Matheus Leite Pereira, Giovanni Coutinho Braga, Josué Pedro Soares e Marcelle Chaves Ferreira Pinto
Melhor Som: Rosa, por Jalver Bethônico
Melhor Edição: Copacabana Madureira, por Pedro de Aquino
Melhor Roteiro: Rebento, escrito por Vinicius Eliziário
Melhor Fotografia: Pega-se Facção, por Sylara Silvério
Melhor Direção: Leonardo Martinelli, por Copacabana Madureira
Melhor Atriz: Fernanda Albuquerque e Larissa Porto, por Abraço, e Jéssica Moura, de Rebento
Melhor Ator: Pedro Riccardo e Gabriel Piedade, por Rebento
Melhor Filme: Copacabana Madureira, de Leonardo Martinelli, e Rosa, de Matheus Leite Pereira (MG)

*Menção Honrosa (roteiro): Reduto, de Michel Santos (BA)

JÚRI DA CRÍTICA

Mostra Criancine: Trincheira, de Paulo Silver (AL)
Mostra Primeiros Passos: Adalgiza, de Karen Furbino (SP)
Mostra Dália da Serra: Ana Terra, de Direção Coletiva (AL)
Mostra Universitária: Cão Maior, de Filipe Alves (DF) e Copacabana Madureira, de Leonardo Martinelli (RJ)
Mostra Diversidade: Os Últimos Românticos do Mundo, de Henrique Arruda (PE)
Mostra Curtas Fantásticos: 1996, de Rodrigo Brandão (MG)
Mostra Brasil: Caranguejo Rei, de Enock Carvalho e Matheus Farias (PE) e Tempestade, de Fellipe Fernandes (PE)

*Menção Especial: Escola Sem Sentido, de Thiago Foresti (DF)

JÚRI POPULAR

Melhor Filme: Ana Terra, de Direção Coletiva (AL) (7.153 votos)

JÚRI POPULAR | PREFERÊNCIA DO PÚBLICO

CURTAS FANTÁSTICOS (2.275 votos):
1º: O Pequeno Chupa-Dedo, de Emanuel Lavor e Pedro Buson (DF) (57.04%, 1.297 votos)
2º: O Menino que Morava no Som, de Felipe Soares (PE) (18.21%, 414 votos)
3º: Glória, de Yaminaah Abayomi e Nádia Oliveira (RJ) (8.44%, 192 votos)

CRIANCINE (6.965 votos):
1º: A Vida é Coisa que Segue, de Bruna Schelb Corrêa (MG) (31.55%, 2.196 votos)
2º: Nana & Nilo em Dia de Sol e Chuva, de Sandro Lopes (RJ) (24.97%, 1.738 votos)
3º: Os Pelúcias, de Sérgio Gambier e Vivian Altman (SP) (14.20%, 988 votos)

PRIMEIROS PASSOS (2.796 votos):
1º: Quântica, de Tati Lenna (SP) (43.77%, 1.223 votos)
2º: Volta Seca, de Roberto Veiga (PE) (21.19%, 592 votos)
3º: Barbas de Molho, de Leanndro Amorim e Eduardo Padrão (PE) (11.60%, 324 votos)

DIVERSIDADE (4.475 votos):
1º: Os Últimos Românticos do Mundo, de Henrique Arruda (PE) (54.19%, 2.425 votos)
2º: Minha História é Outra, de Mariana Campos (RJ) (38.10%, 1.705 votos)
3º: Iracema, Mon Amour, de Cesar Teixeira (CE) (3.87%, 173 votos)

UNIVERSITÁRIA (7.996 votos):
1º: Rebento, de Vinicius Eliziario (BA) (29.68%, 2.373 votos)
2º: Abraço, de Matheus Murucci (RJ) (28.64%, 2.290 votos)
3º: Pelano!, de Chris Mariani e Calebe Lopes (BA) (17.21%, 1.376 votos)

MOSTRA BRASIL (2.001 votos):
1º: Caranguejo Rei, de Enock Carvalho e Matheus Farias (PE) (46.32%, 926 votos)
2º: A Ética das Hienas, de Rodolpho de Barros (PB) (19.81%, 396 votos)
3º: Como Ficamos da Mesma Altura, de Laís Santos Araújo (AL) (18.71%, 374 votos)

SESSÃO ESPECIAL (1.725 votos):
1º: Tambor ou Bola, de Sergio Onofre (AL) (42.66%, 735 votos)
2º: Desassossego, de Fabi Penna (SC) (33.60%, 579 votos)
3º: Menino Azul, de Odécio Antonio (PB) (19.44%, 335 votos)

DÁLIA DA SERRA (16.889 votos):
1º: Ana Terra, de Direção Coletiva (AL) 42.36%, 7.153 votos)
2º: A Menina da Ilha, de Coletivo Cinema no Interior (PE) (9.54%, 1.611 votos)
3º: Reinado Imaginário, de Hipólito Lucena (PB) (9.41%, 1.589 votos)

INTERNACIONAL (29 votos):
1º: Migrante, de Ezequiel Dalinger e Daniel Iezzi (Argentina) (47.83%, 11 votos)
2º: Palenque, de Sebastián Pinzón (Col’ômbia/EUA) (13.04%, 3 votos)
3º: Edifício, de Alejandra Jaramillo (Chile) (8.70%, 2 votos)
– Extrañas Criaturas, de Cristóbal León e Cristina Sitja Rubio (Chile) (8.70%, 2 votos)
– La Vida en Mi, de Carolina Ramirez (Chile) (8.70%, 2 votos)
– Performance en Ovejero “Un Violador en tu camino”, de Carolina Bravo, Caroline Pavez e Omar Lavin (Chile) (8.70%, 2 votos)

FILMES COM MAIOR NÚMERO DE VOTOS:

Ana Terra: 7.153 votos
Os Últimos Românticos do Mundo: 2.425 votos
Rebento: 2.373 votos

TOTAL NÚMERO DE VOTOS: 45.151

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.