fbpx

Francisco Milani (1936-2005)

Biografia

FOTO Francisco MilaniFrancisco Ferreira Milani, em arte conhecido como Francisco Milani, foi um ator, dublador, humorista e político brasileiro nascido na cidade de São Paulo (SP) no dia 19 de novembro de 1936. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 13 de agosto de 2005.

No cinema, atuou no clássico Terra em Transe (1967) de Glauber Rocha, no papel de Aldo, assessor de Vieira. Fez o papel de João Gangorra no filme Essa Mulher é Minha… E dos Amigos (1976).2 Em 2005, participou do filme O Coronel e o Lobisomem como o Doutor Serapião. Atuou, entre outros, no filme O Lado Certo da Vida Errada.

Participou de várias telenovelas, dentre elas, Selva de Pedra (1972), Roda de Fogo (1978), Elas por Elas (1982), Barriga de Aluguel (1990) e Vamp (1991), com exceção da segunda (realizada pela Rede Tupi), todas na Rede Globo. Interpretou ainda a personagem do chefe bravo no seriado Armação Ilimitada (1985). Na Tupi, além de Roda de Fogo, fez o papel de um delegado em Gaivotas, novela de 1979.

Como dublador, encarnou a voz do personagem Magnum (Tom Selleck), dentre muitos outros. Fez ainda trabalhos de narração para o Fantástico, inúmeros documentários e propagandas. Foi locutor do programa Casseta & Planeta entre 1994 e 1997.

Como humorista, interpretou o rabugento Seu Saraiva (bordão “Pergunta idiota, tolerância zero!”), no programa humorístico Zorra Total, e o esclerótico Tio Juvenal, em A Grande Família (substituindo o seu Flor, personagem de Rogério Cardoso, falecido em 2003). Na década de 90 viveu Pedro Pedreira, na Escolinha do Professor Raimundo, programa de Chico Anysio.

Entre 1984 e 1987 trabalhou como diretor do programa Viva o Gordo, estrelado por Jô Soares. Em 1988, foi diretor do programa Chico Anysio Show e em 1996 do humorístico Chico Total.

Chegou a fazer testes para a telenovela América da Rede Globo, mas por problemas de saúde teve de deixar as gravações. Seu papel, Seu Gomes, foi representado pelo também ator e dublador Walter Breda.

Na política, Milani militou no Partido Comunista Brasileiro, pelo qual chegou a ser eleito vereador no Rio de Janeiro nas eleições de 1992. Em função do golpe militar de 1964, viu-se obrigado a deixar a carreira artística, tendo trabalhado como caminhoneiro até 1973. Em 1995, filiou-se ao Partido Comunista do Brasil, partido pelo qual, no ano 2000, foi candidato derrotado a vice-prefeito na chapa de Benedita da Silva nas eleições municipais do Rio de Janeiro. É de sua autoria a lei que criou a Riofilme.

Milani morreu de falência múltipla dos órgãos provocada por câncer no reto, no Hospital Barra d’Or, na Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Seu corpo foi cremado e as cinzas jogadas ao mar.

Filmografia

2006 :: Irma Vap – O Retorno
2005 :: O Coronel e o Lobisomem …. Doutor Serapião
2005 :: O Segredo dos Golfinhos
1998 :: O Circo das Qualidades Humanas
1996 :: O lado certo da vida errada
1994 :: Josué de Castro, Cidadão do Mundo
1986 :: Vento Sul
1981 :: Eles não usam Black-Tie
1976 :: Essa Mulher é Minha… e dos Amigos
1975 :: O Padre que queria pecar
1975 :: Pecado na Sacristia
1974 :: O Último Malandro
1967 :: Terra em Transe …. Aldo
1963 :: Crime no Sacopã

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Francisco Milani (1936-2005)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.