fbpx

Fronteiras do Inferno (1959)

Sinopse

POSTER Fronteiras do infernoUm garimpo, na fronteira Brasil-Bolívia, é dominado por um homem que, cercado de capangas, impede que os diamantes saiam dali. Com a chegada de um forasteiro, os homens pensam em fugir. Ele é visto com desconfiança por todos. Um diamante muito valioso é encontrado, mas desaparece junto com o forasteiro, que é perseguido.

Elenco

Merinov, Victor (Stanislav Gavriluk)
Vasconcelos, José Mauro de
Varnoviski, Sérgio
Vedovato, José
Julio, José
Souto, Hélio
Duarte, Aurora
Gravriluk, Stanislau
Luigi Picchi
Pedrão

Participação especial:
Castellani, Lyris – bailarina
Ruth de Souza
Brah, Lola
Fazio, Bárbara

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Fronteiras do Inferno (1959) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Walter Hugo Khouri
Argumento: Walter Hugo Khouri
Roteiro: Walter Hugo Khouri
Assistência de direção: Tofani, Sérgio
Continuidade: Amaral, Milton
Produção: Konstantin Tkaczenko e Michel Lebedka
Produtor associado: Pinnacle Production Inc. – Nova Iorque
Direção de Fotografia: Konstantin Tkaczenko
Câmera: Konstantin Tkaczenko
Assistência de câmera: Owintschenko, Eugênio
Operador: Pfister, George
Foco: Owistchenko, Eugênio
Direção de som: Kostiw, Bogdan; Warnovski, C.
Montagem: Coimbra, Jaime; Braun, Lúcio
Cenografia: Walter Hugo Khouri e Pierino Massenzi
Assistencia de cenografia: José Vedovato
Responsável por construções: Vedovato, José
Contra-regra/acessórios de cenografia: Peter Overbeck
Montagem de cenário: Vedovato, José
Vestuário: Bonadei, Aldo
Trilha musical: Simonetti, Henrique
Companhia Produtora: Distribuidora de Filmes Sino Ltda.
Companhias Distribuidoras: Fama Filmes S.A. | Distribuidora de Filmes Sino Ltda. | Paris Film

Prêmios

:: Prêmio da Associação Brasileira de Cronistas Cinematográficos 1959, de Melhor Ator para Luigi Picchi.
:: Prêmio Saci 1959, de Melhor Atriz Secundária para Ruth de Souza.
:: Prêmio Governador do Estado de São Paulo 1959, de Melhor Diretor, Melhor Argumento e Melhor Roteiro para Walter Hugo Khouri e de Melhor Ator para Luigi Picchi.
:: Prêmio de Melhor Diretor no 2º Festival de Curitiba, 1959..
:: Prêmio Cidade de São Paulo, 1959 conferido pelo Júri Municipal de Cinema de Melhor Argumento para Walter Hugo Khouri.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
LRB/CP
FCB/FF
CENS/I
AV/ICB
ACPJ/CB 10
ALSN/DFB-LM

Fontes consultadas:
ACPJ/I

Livros:

Internet:
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Fronteiras do Inferno. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/fronteiras-do-inferno/

Observações:
Segundo a revista Visão de 06.05.1960, o filme foi revelado em laboratório americano, com dupla versão português e inglês.
AV/ICB e LRB/CP acrescentam Walter Hugo Khouri na montagem e Oirino em cenografia.
ACPJ/I acrescenta: Sergio Ricci como assitente de direção; Carlos A. S. Barros e George Pfister como câmeras; Hans Olsen na sonografia; Carlos Coimbra na edição e no elenco Harry Dukat; Nelson Oliver; Aldo Perecin; Marlene França; Milton Amaral e José J. Spievak.
ACPJ/CB10 acrescenta em sua ficha técnica: Walter Hugo Khouri nos diálogos; Carlos Alberto de Souza Barros em colaboração no argumento; Milton Amaral como assistente de direção; Pinacle Productions como a companhia produtora e afirma que o filme foi realizado entre abril e maio de 1958.
Fronteiras, como todo mundo sabe, foi um filme de encomenda, feito em condições muito precárias, a fim de sobreviver por alguns meses sem ter que voltar à televisão. Foi realizado em duas versões, português e inglês, em menos de 40 dias, com apenas 32 latas de negativo Eastmancolor para as duas versões e um péssimo serviço de laboratório. Quando recebi a proposta a condição sine qua non era de que fosse um filme sobre garimpo, com uma história já existente, infantil e primária. Estando parado já alguns meses depois de Estranho Encontro, e sem perspectivas, aceitei. Gostaria apenas de ter tido melhores condições, mais tempo e liberdade de poder fazer outra história.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Fronteiras do Inferno (1959)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.