fbpx

Geraldo Sarno

Biografia

Autor de um clássico do cinema documental brasileiro, Viramundo (1965), sobre a migração nordestina para São Paulo, o primeiro de uma série de estudos sobre a cultura do Sertão. Começou no início dos anos 60 como integrante do Centro Popular de Cultura da Bahia (onde nasceu, em 1938). Realizou filmes em 16mm sobre a reforma agrária, entre eles Mutirão em Novo Sol (1963), que se perderam após o golpe militar de 1964. Trabalhou também o tema da religiosidade popular em Iaô (1976), sobre os cultos afro-brasileiros, e Deus é um fogo (1987), sobre o catolicismo e as esquerdas latino-americanas.

A partir de 1999, em complemento ao trabalho de reflexão estética iniciado com a revista Cinemais, realiza uma série de documentários intitulada A linguagem do cinema, composta de entrevistas com diretores brasileiros, entre eles Walter Salles, Júlio Bressane, Carlos Reichenbach, Ana Carolina e Ruy Guerra. Realizou também alguns longa-metragens de ficção.

Filmografia

2018 :: Sertânia (Em Produção)
2010 :: O Último Romance de Balsac
2008 :: Tudo Isso Me Parece um Sonho
1987 :: Deus é um fogo
1984 :: A terra queima
1980 :: Eu carrego um sertão dentro de mim
1977 :: Coronel Delmiro Gouveia
1974 :: Casa grande e senzala
1973 :: O pica-pau amarelo
1971 :: A cantoria
1970 :: Jornal do Sertão
1970 :: Padre Cícero
1969 :: Vitalino/ Lampião
1969 :: Viva Cariri!
1965 :: Viramundo

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Geraldo Sarno

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.