fbpx

Gésio Amadeu (1947-2020)

Gésio Amadeu foi um ator brasileiro nascido em Conceição do Formoso (hoje Santos Dumont), em Minas Gerais, no dia 14 de junho de 1947.

Aos seis anos de idade já cantava no coral da igreja. Aos oito anos, foi morar com uma família de libaneses. Após cumprir o serviço militar, mudou-se para São Paulo, indo morar na casa de Bráulio Pedroso. Pelas mãos do grande diretor, Gésio chegou à televisão em 1968, para um pequeno papel na novela Beto Rockfeller, megassucesso da teledramaturgia brasileira, ao lado de Luiz Gustavo e Plínio Marcos.

Fez radionovelas, teatro e até cantou na noite para sobreviver. Com talento e simpatia, começou a ser chamado para diversos outros papéis, sempre coadjuvantes, mas não menos importantes para o sucesso de cada novela. Entre outras produções televisivas, atuou em A Cabana do Pai Tomás (1969), Éramos Seis (1977), O Direito de Nascer (1978), Gaivotas (1979), etc. Trabalhou em outras emissoras como TV Cultura e TV Bandeirantes, até chegar à Rede Globo, onde estreia em Sinhá Moça, no papel do escravo negro Fulgêncio, papel que fora do ator João da Cunha, no filme homônimo da Vera Cruz, em 1953.

Fez pouco cinema, sendo sua estreia em 1970 no filme A Moreninha, no papel de Rafael, dirigido por Glauco Mirko Laurelli.

No teatro participou de várias montagens, como Memórias Póstumas de Brás Cubas, Fogo na Terra, Jesus Cristo Superstar, Macbeth, Gaiola das Loucas, A Sopa de Pedra, Os Negros e Eles não Usam Black-Tie – onde sua atuação o levou a participar do filme homônimo (Eles não Usam Black-Tie), grande sucesso com direção de Leon Hirszman.

Na extinta TV Manchete, participou de A História de Ana Raio e Zé Trovão (1990), Floradas na Serra (1991) e O Fantasma da Ópera (1991). No SBT, participou de Sangue do meu Sangue (1995), Os Ossos do Barão (1997) e Chiquititas Brasil (1997). Na TV Record, fez Vidas Cruzadas (2000) e Essas Mulheres (2005). De volta à Rede Globo, brilhou como o Tio Barnabé, na nova versão do Sítio do Pica-Pau Amarelo e o Capita de Paraíso (2009).

De seu casamento com Gabriela, teve três filhos, Ana, Mário e Miriam.

Gésio Amadeu faleceu aos 73 anos, no dia 05 de agosto de 2020, em São Paulo, vítima do Coronavírus. O ator estava internado desde o dia 23 de junho de 2020, no Hospital Sancta Maggiore, na Mooca, Zona Leste de São Paulo. Em nota, o hospital afirmou que Amadeu faleceu em decorrência de falência múltipla de órgãos.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

2017 :: Histórias & Estórias
:: Paúra
2005 :: As Vidas de Maria
1981 :: Eles não Usam Black-Tie
1980 :: O Médium: a verdade sobre a reencarnação
1971 :: Longo Caminho da Morte
1970 :: A Moreninha

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

1998 :: Atlântico Negro – Na Rota dos Orixás
1975 :: Jouez Encore, Payez Encore

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

G1. Gésio Amadeu, ator de ‘Sinhá Moça’, ‘Renascer’ e ‘A viagem’, morre aos 73 anos vítima da Covid-19. Disponível no endereço: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/08/05/ator-gesio-amadeu-morre-aos-73-anos-vitima-da-covid-19.ghtml
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Gésio Amadeu. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/gesio-amadeu/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.