fbpx

Gitirana (1976)

Sinopse

O dia-a-dia, sem poesia, do nordestino, contado com base em diversas estórias de cordel, e ligadas entre si pela mesma personagem, cuja vida, de repente, sofre violenta modificação, tendo que se afastar de sua terra, quando da construção de uma gigante barragem.

Documentário de longa-metragem dirigido pelos cineastas Jorge Bodanzky e Orlando Senna.

Elenco

Participação especial:
Conceição Senna
Habitantes de Juazeiro da Bahia
Habitantes de Petrolina
Habitantes de Juazeiro do Norte

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Gitirana (1976) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Jorge Bodanzky e Orlando Senna
Roteiro: Jorge Bodanzky e Orlando Senna
Produção: Gauer, Wolf
Direção de produção: Tappen, Achim; Engel, Otto
Direção de Fotografia: Jorge Bodanzky
Assistência de câmera: Mou
Engenharia de som: Conceição Senna
Som direto: Tappen, Achim
Montagem: Grundmann, Eva
Cenografia: Orlando Senna
Música: Tappen, Achim
Companhia Produtora: Stopfilme
Companhia co-produtora: TV Alemã
Companhia Distribuidora: CDI – Cinema Distribuição Independente

Locação: Joazeiro da Bahia; Petrolina; Juazeiro do Norte – CE

Brasil | Documentário | pb | 16mm | 90 min. | 1976

Bibliografia

Fontes utilizadas:
ALSN/DFB-LM
FNPM/PCN
Press-release
CB/Recorte Documentação, P456

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Gitirana. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/gitirana/

Observações:
O filme participou dos festivais de Cannes, Berlin e Nancy e co-produzido por um canal de TV alemão.
Algumas fontes informam que a bitola é de 35 mm e filmado em preto-e-branco.
O filme foi impedido pela Censura de estrear no país por mais de cinco anos, mas participou de alguns festivais no exterior. Não há fontes informando sobre estréia em circuito comercial, embora tenha Certificado do INC e CONCINE, mesmo depois do fim da censura; há apenas algumas projeções especiais. Exibido no MASP, em 04.02.1980, na mostra As Perspectivas do Cinema Brasileiro.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Gitirana (1976)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.