fbpx

Grande Sertão (1965)

Sinopse

Riobaldo, afilhado de fazendeiro, vai dar aulas a Zé Rebelo que é chefe de um bando armado contratado pelo governo para acabar com os jagunços do sertão. Neste grupo, Riobaldo toma conhecimento da justiça própria do sertão. Quando Riobaldo resolve se afastar desse “mundo”, conhece Diadorim, um membro do bando de Joca Ramiro, jagunço conhecido por sua justiça. Na travessia do Planalto Central, Joca Ramiro é assassinado por Hermógenes, traidor de seu próprio grupo. A todo custo Diadorim quer vingar a morte de seu chefe. O grupo vai passando por uma frequente troca de líderes. Durante todo esse tempo a atração de Riobaldo por Diadorim, um jagunço que esconde de todos ser mulher, só aumenta. No entanto, Riobaldo se divide entre outras duas mulheres: Nhorinhá, prostituta com quem manteve relações sexuais, e Otacília, moça de família, que conhece durante as viagens. Fugidos dos soldados, o grupo de Riobaldo abriga-se na fazenda de sêo Habão, que quer todos os jagunços como escravos em sua lavoura. Então, Riobaldo decide fazer um pacto com o diabo. Em seguida, torna-se chefe do bando. Na batalha final, para desespero de Riobaldo, Diadorim é morto, mas assassina Hermógenes. Só então, é revelada sua identidade feminina. No fim da história, Riobaldo casa-se com Otacília e torna-se fazendeiro.

Elenco

Valle, Maurício do
Clara, Sônia
Soares, Joffre
Mello, Graça
Gonçalves, Milton
Bulbul, Zózimo
Marques, Gilberto
Luiz, Generino
Souza, Ivan de
Goulart, Glória
Santos, João dos
Mundim, Olegário
Dito – menino
Picchi, Luigi
Soldados do Regimento de Cavalaria da Polícia Militar de Minas Gerais
Peões de Lagoa Formosa (MG)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Grande Sertão (1965) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Geraldo Santos Pereira e Renato Santos Pereira
Roteiro: Pereira, Geraldo Santos; Pereira, Renato Santos
Adaptação: Pereira, Geraldo Santos; Pereira, Renato Santos
Estória Baseada no romance Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa.
Assistência de direção: Souza, Ivan de
Continuidade: Azevedo, Rubens de
Produção: Pereira, Geraldo Santos; Pereira, Renato Santos
Assistência de produção: Pinto, Aluízio de Almeida; Lourenço, Agencilo
Direção de fotografia: Rosa, José
Câmera: Primavera, Marcelo
Assistência de câmera: Souza, Ronaldo de; Rosa, Edson
Operador: Primavera, Marcello
Chefe eletricista: Silva, Antônio F. da
Direção de som: Hack, Ernst
Montagem: Valverde, Rafael Justo
Assistente de montagem: Erita, Lúcia
Desenhos de letreiros de apresentação: Ziraldo
Maquiagem: Marques, Gilberto
Música: Gnatalli, Radamés
Companhia(s) produtora(s): Companhia Cinematográfica Vera Cruz
Companhia(s) co-produtora(s): Vila Rica Cinematográfica Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Produções Cinematográficas Herbert Richers S.A.

Dados adicionais de música
Regente Maestro: Gnatalli, Radamés

Bibliografia

Fontes de Referência

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/FIBRA
LRB/CP
CENS/IV
RB/AN65
JN/Imigrantes – Alemães II

Fontes consultadas:
ACPJ/I
CENS/II
CA/AF

Livros:

RAMOS, Fernão Pessoa (org.). História do cinema brasileiro. São Paulo: Art Editora, 1981.
_________; MIRANDA, Luiz Felipe A. de. (Org.). Enciclopédia do cinema brasileiro. São Paulo: Senac São Paulo, 2000.
ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: Veredas. : , .
SILVA NETO, Antônio Leão da. Dicionário de Filmes Brasileiros: longa-metragem. São Paulo, Ed. do Autor, 2002.

Jornais e Periódicos:

Jornal Diário Mercantil
Jornal Diário Regional
Jornal do Brasil
Jornal do Comércio
Jornal O Dia
Jornal O Globo
Jornal O Pharol
Jornal Panorama
Jornal Tribuna da Tarde
Jornal Tribuna de Minas

Internet:

ANCINE. Disponível em: http://sad.ancine.gov.br/obrasnaopublicitarias/pesquisarCpbViaPortal/pesquisarCpbViaPortal.seam. Acesso em: 18.01.18.
http://www.ancine.gov.br/ – Agência Nacional do Cinema – Brasil
http://www.cinemateca.org.br/ – Cinemateca Brasileira – Brasil
http://www.cinemabrasileiro.net – Cinema Brasileiro – Brasil
http://www.cinemateca.gov.br – Cinemateca Brasileira – Brasil
http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br – História do Cinema Brasileiro – Brasil

Instituições Consultadas:

Arquivo da Cinemateca Brasileira
Arquivo Histórico da Universidade Federal de Juiz de Fora
Biblioteca da Universidade Federal de Juiz de Fora
Biblioteca da Universidade Salgado de Oliveira de Juiz de Fora

Observações:
CENS/IVinforma: “suprimir a seqüência da matança dos cavalos”.
ACPJ/I aponta a cenografia de ; montagem de e acrecenta ao elenco , , , , , e .
Nos letreiros do filme ao lado do nome de Agencilo Lourenço aparece entre parênteses: , provavelmente seu apeido. Encarregado da produção:

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.