fbpx

Harald Schultz (1909-1966)

Biografia

Harald Schultz é um diretor de fotografia brasileiro nascido em Porto Alegre (RS) em 1909. Estudou na Alemanha entre 1915 e 1924. Logo cedo interessa-se pela vida e costumes dos povos indígenas. Tornou-se aluno do Marechal Rondon e Curt Nimuendaju.

Em 1934, começou a filmar documentaries curtos como Visita da Primeira Divisão Naval a Porto Alegre (1934), Estância de São Pedro (1939) e Curt Nimuendaju e Icatu (1942). A partir de 1939, passa a acompanhar as expedições do SPI – Serviço e Proteção ao Índio, como fotógrafo.

Em 1945, já morando em São Paulo, iniciou sua série de filmes sobre tribos indígenas brasileiras, sendo o primeiro Dança ao Culto aos Mortos, feito na tribo Umutina, todos feitos em 16mm e coloridos, hoje depositados no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. A esse projeto, dedica toda a sua vida, deixando, além dos filmes, fotografias e artigos que ajudam a compreender a vida dos povos indígenas brasileiros.

Faleceu em 1966, aos 57 anos de idade.

Filmografia

Filmografia: 1934 – Visita da Primeira Divisão Naval a Porto Alegre; Vistas da Coudelaria da Fazenda Nacional de Saicã; 1939 – Estância de São Pedro; 1942 – Curt Nimuendaju e Icatu (codir. Nilo de Oliveira Vellozo); 1945 – Dança de Culto aos Mortos (Umutina); Posto Indígena Ir 7; 1949 – Queimada, Corrida de Revezamento Ritual Com Toras de Madeira, Cerimônia Matinal, Preparando Um Grande Bolo de Mandioca Para Festa (Kraô, Tocanins); 1950 – Tratamento de Doentes (Tukurina, Alto Solimões); 1951 – Expedição de Pesca e Festa (Caxinauá); 1955 – Kalapalo, Luta Livre (Zona da Fonte do Xingu); 1959 – Crochetando Ornamentos de Penas, Escarificação, Cerãmica: Fazendo Uma Panela Para Cozinhar, Dança de Máscaras Aruanã, Trançando Uma Pequena Esteira Com Rebordo Forte (Javaé); Trançando um Ornamento de Penas Para a Cabeça (Karajá); Trançando Uma Máscara Kokrit, Dança de Máscaras Kokrit, Fazendo Uma Flecha, Expedição de Caça de Dois Grupos Cerimoniais, Expedição de Pesca, Trançando Um Cesto, Fiando Um Fio de Algodão, Tecendo Um Cinturão Para Carregar Crianças (Kraô, Tocantins); 1960 – Comer, Beber e Fumar: Homem Com Botoque (Txucarramãe); Fabricação de um Botoque; Fazendo uma Flecha; Obtenção de Plantas Aquáticas, Cultivo de Campo Queimado, Pesca Por Envenenamento de Água (Suyá); Pescando Por Envenenamento de Água, Pescando Um Pirarucu Com Arrastão, Trançando Uma Esteira Grande (Karajá); 1962 – Fazendo um Pano de Casca (Tucuna); Fazendo Um Colar de Javali, Cultivo de Campo Queimado, Obtenção de Fogo, Trançando Um Cesto, Fazendo Uma Tanga de Fibras de Casca (Erigpagtsá, Alto Juruena); 1963 – Costumes, Artes e Técnicas de Indígenas; 1964 – Fabricando Um Cocar, Fazendo Um Colar, Fazendo Um Enfeite de Cabeça Para Meninos, Pintando o Corpo, Buscando Água, Jogo de Luta Javari, Luta Romana, Obtenção de Sal de Plantas Aquáticas, Fazendo Uma Tábua Para Ralar Mandioca, Procissão de Máscaras das Figuras Sapokuyaná, Trançando Um Leque Para Fogo, Colheita e Preparo de Mandioca, Cozendo Bejus, Obtenção do Corante Uruçu (Uaurá, Alto Xingu); 1965 – Apontando os Dentes, Cozendo Tortinhas, Fazendo Brinquedos de Folhas de Palmeira, Juntando e Preparando Tartarugas, Perfurando o Lóbulo da Orelha, Pintura do Corpo, Preparando Frutas de Palmeira, Trançando um Cesto (Kraô, Tocantins).

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.