fbpx

Heloisa Millet (1948-2013)

Biografia

FOTO Heloisa MilletHeloísa Millet foi uma atriz e bailarina brasileira nascida na cidade do Rio de Janeiro no dia 14 de dezembro de 1948. Faleceu no Rio de Janeiro no dia 18 de janeiro de 2013.

Bailarina clássica, que estreou no teatro no musical Pippin, em 1974, surgiu no cenário artístico nacional ao participar, em 1976, do corpo de dança da abertura do programa Fantástico, quando foi descoberta por Ziembinski, que a convidou para viver a personagem Betina, em Estúpido Cupido (1976).

Posteriormente, atuou nas telenovelas Espelho Mágico, Te Contei?, Feijão Maravilha, Marron Glacê e Elas por Elas. Na TV, participou ainda de Terras do Sem Fim (1981) e Estúdio A…. Gildo, com Agildo Ribeiro, em 1982.

Em 1983, estrelou o musical A Chorus Line, produzido por Walter Clark, no papel de “Diana Morales”. Ainda na televisão, participou como bailarina de vários quadros especiais de dança e musicais no próprio Fantástico que a havia lançado, entre 1978 e 1979, com Carlinhos Machado, Paulette e Ronaldo Resedá.

No cinema, atuou nos filmes O Rei e os Trapalhões (1979) e As Tranças de Maria (2003).

Depois de dois casamentos, com o produtor musical Carlos Moletta (1969-1973), com quem teve um filho, Marcos Pereira Moletta, e com o maestro Edson Frederico (1975-1976).

Desde o final da década de 1990, estava afastada da televisão depois de se casar novamente, com um fazendeiro de Goiás, onde viveu até mudar-se para Delfim Moreira, em Minas Gerais, onde residia e se dedicava à pintura.

Para tratar da saúde, retornou ao Rio de Janeiro, onde veio a falecer em 18 de janeiro de 2013, aos 64 anos, vítima de câncer. Seu corpo foi enterrado no Rio de Janeiro.

Filmografia

2003 :: As Tranças de Maria …. Filó
1979 :: O Rei e os Trapalhões …. Alina

Bibliografia

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.