fbpx

Inferno no Gama (1993)

Sinopse

POSTER Inferno no GamaCristina, jovem e bonita, ao sair do colégio é brutalmente assassinada por um bando de marginais. Régis, ao passar pelo local, vê o corpo e se aproxima. A partir daquele momento, sua vida se transforma num inferno, ao ser confundido com um dos assassinos.

Elenco

Afonso Brazza
Claudette Joubert
Luiz, João
Vieira, Eury
Luiz, Anthonio
Bebê, João
Teodoro, Adimário
César, Edson
Rodrigues, Nabor
Santos, João dos
Silva, Carlete
Mário, José
Soares, Adilton
Marcolino, Aldenires
Romeiro, Maria
Pereira, Anthonio
Florentino Neto
José, Eurides
Santos, Domingão
Aguiar, Robson
Romeiro, Reginaldo
Gonçalves, Francisco
Romeiro, Madalena
Brazza, Camila
Leocádia
José, Roni
Neres, Vanderlei
Santos, José
Pascoal, Manoel
Machado, Irene
Souza, Wanderley de
Santos, Joselito
Feitosa, Pedro
Gugu
Elmo

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Inferno no Gama (1993) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Afonso Brazza
Argumento: Afonso Brazza
Produção: Afonso Brazza
Direção de produção: Afonso Brazza Filho
Direção de fotografia: Borges, Henrique
Câmera: Borges, Henrique
Assistência de câmera: Afonso Brazza e José Afonso Brazza Filho
Eletricista: José Afonso Brazza Filho, Luiz, João; Neres, Vanderley
Técnico de som: Nobile, Pedro
Engenharia de som: Nóbile, Pedro Luiz
Montagem: Wanny, Walter e Afonso Brazza
Trilha musical: Lacerda, Sérgio e Afonso Brazza
Companhia Produtora: A.F.B. Studio

Brasil | cor | 75 min. | 1993

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
ALSN/DFB-LM
Jornal do Brasil, 11.08.1993, p. 13

Observações:
Outras fontes grafam o nome da companhia produtora como A.E.B. Stúdio
Os letreiros do filme não apontam José Afonso Brazza Filho como eletricista e nem Afonso Brazza como assistente de câmera.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.