fbpx

Jeferson De

Biografia

Jeferson De é um cineasta e roteirista brasileiro nascido na cidade de Taubaté (SP) no ano de 1969. Formado em cinema pela ECA-USP, é militante da causa negra no cinema brasileiro.

Cinéfilo desde a infância, Jeferson De é filho de um torneiro mecânico e técnico do time de futebol local, que foi seu grande incentivador. Ele ia até Caçapava, uma cidade vizinha, e trazia até a quadra de esportes do clube um projetor 16mm e também o projecionista. Esticava um lençol e passava filmes para todo mundo, relembra Jeferson.

O jovem começou a estudar Filosofia, na USP, mas acabou se transferindo para o curso de Cinema, da ECA (Escola de Comunicação e Artes). No período de faculdade, trabalhava como servente de café no cineclube – o que lhe deu novas oportunidades de aperfeiçoar o olhar cinéfilo. Ali, tornou-se admirador de Woody Allen, Martin Scorsese, Roman Polanski e, claro, Spike Lee.

Em 2003, fundou a produtora Barraco Forte, que produz, entre outras coisas, reportagens e projetos de ficção para a televisão. No mesmo ano, dirigiu o curta-metragem Carolina, vencedor do prêmio de melhor curta-metragem e Prêmio da Crítica no Festival de Gramado.

Em 2005, lançou o manifesto Dogma Feijoada, uma análise histórica sobre a produção audiovisual dos negros no Brasil, que depois gerou o livro Dogma Feijoada e o Cinema Negro Brasileiro. Dirigiu quatro curtas-metragens, trabalhou também como editor e finalizador em produções para a TV de canais como MTV e SBT.

Sua estreia em longas-metragens foi em 2010 com o filme Bróder, cujo roteiro foi selecionado para o VI Laboratório de Roteiros do Instituto Sundance. O filme recebeu o Prêmio da Crítica de Melhor Longa-metragem, além dos prêmios de Melhor Direção de Arte, de som e fotografia no Festival de Paulínia de 2010.

Jeferson De ganhou o prêmio de Melhor Diretor do Festival de Gramado 2010 por Bróder (também eleito Melhor Filme), talvez seja o cineasta mais engajado numa causa dentro do atual panorama brasileiro. Nascido em Taubaté (SP), ele trilhou o que acredita ser contrário ao seu determinismo social. Negro, assumiu a bandeira de sua origem dentro da arte em que escolheu se expressar – os filmes. Mal comparando, tornou-se o Spike Lee brasileiro.

Há sete anos, desenvolveu com colegas cineastas (e negros) o chamado Dogma Feijoada. Inspirado no movimento dinamarquês Dogma 95 (capitaneado por Lars Von Trier e Thomas Vinterberg), o documento é composto por sete itens que tentam dar novo rumo à abordagem dos negros no cinema brasileiro.

Na carreira de curta-metragista, Jeferson De seguiu à risca os preceitos do Dogma Feijoada, em trabalhos como Distraída para a Morte (2001) e Carolina (2003).

O negro é sempre o outro no nosso cinema. O cineasta brasileiro é o homem branco, adulto, do Rio ou de São Paulo. Mas a gente não é uma vila, a gente é o Brasil, e só essas pessoas contam a história nas suas próprias visões do que narram, diz. O problema não é ter preto escravo, mas, sim, a falta de profundidade: ou os negros são muito grandiosos ou muito marginais. Não se relativiza.

Um dos preceitos do Dogma Feijoada, fundado e defendido por Jeferson De, é que o protagonista do filme deve necessariamente ser negro. Eis que, em sua estréia no longa-metragem, Jeferson convidou Caio Blat para ser o personagem principal. Ser ou não ser negro não pode ser medido pelo tom de pele, diz ele. Eu quis levar essa questão para o cinema: o que é um branco convencido de que é negro.

A equação parece não fazer sentido, mas Jeferson garante que Bróder toca fundo no tema – e, mais que isso, representa um tipo visionário de cinema negro no Brasil. O longa de estreia de Jeferson De foi elogiado no Festival de Berlim, levou o Prêmio da Crítica no Festival de Paulínia e saiu do Festival de Gramado consagrado. Levou mais de um ano desde a pré-estreia para chegar aos cinemas brasileiros – e, mesmo assim, chegou a somente em 45 salas.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

2019 :: M8 – Quando a Morte Socorre a Vida
2017 :: Correndo atrás
2015 :: O Amuleto
2010 :: Bróder
2008 :: Jonas, só Mais Um (CM)
2004 :: Narciso Rap
2003 :: Carolina
2001 :: Distraída para a Morte
1999 :: Gênesis 22

:: Filmografia como Roteirista ::

2019 :: M8 – Quando a Morte Socorre a Vida
2017 :: Correndo atrás
2015 :: O Amuleto
2010 :: Bróder

:: Filmografia como Produtor ::

2008 :: Jonas, só Mais Um (CM)

:: Filmografia como Montador ::

2017 :: Correndo atrás
2010 :: Bróder

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

DE, Jeferson. Jeferson De: Dogma Feijoada – O Cinema Negro Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo/Fundação Padre Anchieta, 2005. 232p.

Internet:

BLOG JEFERSON DE. http://jefersonde.blogspot.com.br/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. . Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/
MIRANDA, Marcelo. http://pipocamoderna.virgula.uol.com.br/conheca-jeferson-de-de-mano-a-broder/40337

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Jeferson De

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.