fbpx

João Gilberto (1931-2019)

Biografia

João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, em arte conhecido como João Gilberto, foi um cantor, compositor e violonista brasileiro nascido na cidade de Juazeiro, na Bahia, no dia 10 de junho de 1931.

Filho de pai comerciante e músico amador de Juazeiro, João Gilberto foi enviado para um colégio interno de Aracaju, onde inicia o estudo do violão, como autodidata, aos 14 anos. Após concluir os estudos secundários, atuou como cantor em estações de rádio de Salvador até ser convidado a integrar o conjunto vocal carioca Os Garotos da Lua, e muda-se para o Rio de Janeiro em 1949. Depois de um ano, foi expulso do conjunto em razão dos constantes atrasos e faltas aos ensaios.

Influenciado pela voz de Orlando Silva, João Gilberto adotou um estilo que explora sua potência vocal. Gravou o primeiro disco solo, em 78 rpm, em 1952, com as canções Quando Ela Sai (Alberto Jesus e Roberto Penteado) e Meia Luz (Hianto de Almeida e João Luiz). Integrou esporadicamente outros grupos, como o Quitandinha Serenaders e Anjos do Inferno, entre 1953 e 1954.

Em 1953, João Gilberto teve a composição Você Esteve com o Meu Bem (parceria com Russo do Pandeiro) gravada por Marisa Gata Mansa, cantora que ele namora. Nesse período, circulou pelo ambiente musical carioca e entra em contato com artistas considerados precursores da bossa nova, como Newton Mendonça, Tom Jobim, Billy Blanco, Lúcio Alves, Dick Farney, Dolores Duran, Sylvia Telles e Maysa. Interessou-se especialmente pela música dos pianistas Johnny Alf e João Donato e do violonista Luiz Bonfá, cuja forma de execução do samba em seus respectivos instrumentos influenciou João Gilberto na construção do estilo singular de interpretação que desenvolve entre 1955 e 1957, época em que reside em Porto Alegre e na cidade mineira de Diamantina.

De volta ao Rio de Janeiro, participou em 1958 da gravação do LP Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso, em que mostra pela primeira vez uma batida de violão que se torna característica da bossa nova. No mesmo ano, lança um disco em 78 rpm, com o baião Bim Bom, de sua autoria, e Chega de Saudade, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, que dá nome ao seu primeiro LP, de 1959, considerado um dos marcos da fundação da bossa nova.

Depois de lançar os LPs O Amor, o Sorriso e a Flor, 1960, e João Gilberto, 1961, apresentou-se, em 1962, ao lado de Tom Jobim, Vinicius de Moraes e o grupo vocal Os Cariocas no histórico show Encontro, produzido por Aloysio de Oliveira. Ainda em 1962, realiza show no Carnegie Hall, em Nova York, com Tom Jobim, Roberto Menescal e Carlos Lyra.

Em seguida João Gilberto mudou-se para os Estados Unidos e grava com o saxofonista Stan Getz o LP Getz/ Gilberto, em 1964, com o piano de Tom Jobim, voz de Astrud Gilberto (esposa de João Gilberto), na faixa Garota de Ipanema, e o baixo de Tião Neto. A bateria foi executada por Milton Banana, instrumentista convidado por João Gilberto para fazer, como na gravação de Bim Bom, de 1958, a transposição da batida da bossa nova, tarefa que dificilmente algum baterista norte-americano pode realizar nessa época.

Durante quase 20 anos viveu fora do Brasil, lança os LPs João Gilberto, em 1973, e Amoroso, em 1977. Retornou ao país no início dos anos 1980, e produz os álbuns Brasil – João Gilberto, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, este coma participação de sua filha Bebel Gilberto e de Rita Lee. Desde então se apresenta no Brasil e no exterior e lança discos como o Live at Montreaux, 1986, e João, Voz e Violão, 2003, produzido por Caetano Veloso. Em 2008, realizou uma turnê pelo Brasil e Nova York em comemoração dos 50 anos da bossa nova. Preparou-se para gravar três canções para o filme O Gerente, de Paulo César Saraceni, em 2010.

Como compositor, João Gilberto teve canções interpretadas por dezenas de artistas: Minha Saudade, por Alaíde Costa, João Donato, Rosinha de Valença e Lula Galvão; Bim Bom, por Adriana Calcanhotto, Caetano Veloso e Bebel; Hô-Bá-Lá-Lá, por Sylvia Telles, João Donato, Jorge Bem e Baden Powell; Um Abraço no Bonfá, por Pepeu Gomes e Marco Pereira; e Valsa (Como São Lindos os Youguis/ Bebel), pelos Novos Baianos. Em 2009, Itamara Koorax e Juarez Moreira gravaram um CD com toda a obra autoral de João Gilberto.

Enfrentando problemas de saúde há alguns anos, recluso, João Gilberto foi interditado judicialmente pela filha, Bebel Gilberto, no fim de 2017. A interdição motivou uma disputa familiar entre Bebel e João Marcelo, que são meio-irmãos. Em nota, divulgada na época, a advogada de Bebel disse que a intervenção foi motivada por problemas de saúde e complicações financeiras do cantor.

O músico e compositor João Gilberto faleceu em casa, aos 88 anos, no Rio de Janeiro (RJ) no dia 06 de julho de 2019.

Filmografia

2018 :: Onde Está Você, João Gilberto? (Suiça/Alemanha/França)
2009 :: Filhos de João – O Admirável Mundo Novo Baiano
1996 :: Bahia de todos os sambas (Itália). Direção de Leon Hirzman.
1981 :: Brasil. Direção de Rogério Sganzerla
1962 :: Copacabana Palace (Itália, França, Brasil). Direção de Steno.
1958 :: Pista de Grama (Brasil, 1958). Direção de Haroldo Costa

Bibliografia

Livros:

BRITO, Brasil Rocha. Bossa nova (1960). In: CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.
FISCHER, Marc. Ho-ba-la-lá – À Procura de João Gilberto. São paulo: Companhia das Letras, 2011.
GARCIA, Walter. Bim bom: a contradição sem conflitos de João Gilberto. 1. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
GAVA, José Estevam. A linguagem harmônica da Bossa Nova. 2 ed. São Paulo: Ed. UNESP, 2008.
MAMMÌ, Lorenzo. João Gilberto e o projeto utópico da bossa nova. Novos Estudos Cebrap, n. 34, nov. 1992.
MARCONDES, Marcos Antônio. Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica, popular. 2. ed., rev. ampl. São Paulo: Art Editora : Itaú Cultural, 1998. 912 p. R780.981 M321e 2.ed.
MEDAGLIA, Júlio. Balanço da bossa nova (1966). In: CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.
NAVES, Santuza C. Da Bossa Nova à Tropicália. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

Periódicos:

GALVÃO, Vinícius Queiroz. João Gilberto volta com 4 shows em SP, Rio e BA. Folha de São Paulo, São Paulo, 16 abril. 2008. Ilustrada. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1604200816.htm. Acesso em: 03 jan. 2011.
KFOURI, Maria Luiza. Discos do Brasil. Disponível em: http://www.discosdobrasil.com.br/discosdobrasil/indice.htm. Acesso em: 19 jul. 2010.
MELLO, Zuza Homem de. João Gilberto. 1. ed. São Paulo: Publifolha, 2001. (Folha Explica).
TORRES, Sérgio. CD lançado no exterior reúne obra autoral do cantor. Folha de São Paulo, São Paulo, 15 mar. 2010. Ilustrada. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1503201015.htm. Acesso em: 20 set. 2010.
TORRES, Sérgio. João Gilberto grava novas canções para filme ‘O Gerente’. Folha de São Paulo, São Paulo, 15 mar. 2010. Ilustrada. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u706913.shtml. Acesso em: 19 set. 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. João Gilberto. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/joao-gilberto/
INSTITUTO MOREIRA SALES. Acervo de música. Disponível em: http://ims.uol.com.br/. Acesso em: 20 jul. 2010.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “João Gilberto (1931-2019)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.