fbpx

João Ramiro Mello (1934-2003)

Biografia

João Ramiro Mello foi um cineasta e montador brasileiro nascido em João Pessoa (PB) no ano de 1934. Foi um dos mais importantes nomes do Cinema Paraibano, sendo montador e diretor de curtas e longas-metragens, trabalhando com alguns dos mais célebres produtores do cinema nacional, como Glauber Rocha e Nélson Pereira dos Santos.

O cineasta fez parte de um grupo de jovens paraibanos que participou ativamente da febre dos cineclubes em João Pessoa, nas décadas de 1950 e 1960, e chegou a escrever críticas nos jornais locais. Ele começou no cinema como assistente de direção do curta-metragem Aruanda (1960), dirigido por Linduarte Noronha. O documentário é considerado a gênese do movimento do Cinema Novo, de acordo com Glauber Rocha, principal diretor do movimento que produzia filmes voltados a discutir a realidade social brasileira.

João Ramiro teve uma longa e prolífica produção ao lado de Vladimir Carvalho, tendo co-dirigido o filme Os Romeiros da Guia (1962) e montado vários dos filmes do cineasta, como A Pedra da Riqueza (1976), As doceiras e O Evangelho Segundo Teotônio (1984).

Ainda na década de 1960, se mudou para o Rio de Janeiro, passando a trabalhar como montador em filmes relevantes como Menino de Engenho (1965), de Walter Lima Jr., A Opinião Pública (1967), de Arnaldo Jabor, e a comédia romântica Todas as mulheres do mundo (1966), dirigido por Domingos Oliveira e estrelado por Leila Diniz, pelo qual levou o Prêmio Coruja de Ouro, do Instituto Nacional de Cinema.

Voltou para a Paraíba para montar o longa O Salário da Morte (1971), de Linduarte Noronha, que não economizou elogios para falar do velho companheiro: João Ramiro foi um montador de absoluta categoria. Excepcional. Talvez seja o melhor montador de cinema do Brasil.

Dirigiu o longa metragem O Sósia da Morte (1976) em parceria com Luiz Miranda Corrêa, a produção foi retida pela Embrafilme, mas nunca foi exibida. O filme conta a história de Narciso, professor universitário, que leva uma vida normal junto à família e mantém um relacionamento superficial com sua aluna Cláudia, até o aparecimento de um sósia, que o persegue e desconta cheques em seu nome. Ele contrata um detetive para descobrir quem é tal indivíduo e o que ele deseja.

João Ramiro Mello faleceu em 2003 em decorrência de uma cirrose.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1976 :: O Sósia da Morte
1962 :: Os Romeiros da Guia (codir. Vladimir Carvalho)

:: Filmografia como Montador ::

1984 :: O Evangelho Segundo Teotônio
1977 :: Quilombo
1976 :: A Pedra da Riqueza
1973 :: Vila Boa de Goyaz
1971 :: O Salário da Morte
1967 :: A Opinião Pública
1966 :: Maranhão 66
1966 :: Todas as mulheres do mundo
1965 :: Menino de Engenho
19 :: As Doceiras

:: Filmografia como Assistente de Direção ::

1960 :: Aruanda

Bibliografia

Livros:

Internet:

CINEMABRAZIL. http://www.cinemabrazil.com.br/usr/home/cinemab2/usr/local/mailman/archives/private/cinemabrasil/2003-April/002449.html
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. João Ramiro Mello. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/joao-ramiro-mello/
PARAÍBA CRIATIVA. João Ramiro Mello. Disponível no endereço: https://www.paraibacriativa.com.br/artista/joao-ramiro-mello/
PORTAL BRASILEIRO DE CINEMA. http://www.portalbrasileirodecinema.com.br/montagem/montadores/03_29.php

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.