fbpx

Joel Zito Araújo

Joelzito Almeida de Araújo, em arte conhecido como Joel Zito Araújo, é um cineasta, roteirista, escritor e pesquisador brasileiro nascido na cidade de Nanuque (MG) no dia 10 de novembro de 1954. É um dos responsáveis pela implantação do chamado Cinema Negro, tanto na ficção quanto no documentário, com filmes que debatem o racismo e a desigualdade entre negros e brancos. O tema também se encontra em suas pesquisas universitárias, particularmente, na presença dos afrodescendentes no audiovisual.

É doutor em Ciências da comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP) e fez pós-doutorado no departamento de rádio, TV e cinema e no departamento de antropologia da University of Texas, em Austin, nos Estados Unidos.

Dirigiu documentários de curta e média-metragem tematizando o negro na sociedade brasileira, dentre os quais destacam-se São Paulo abraça Mandela (1991), Retrato em preto e branco (1993), Ondas brancas nas pupilas pretas (1995) e A exceção e a regra (1997).

Em 1999, finalizou seu primeiro longa para a televisão, o documentário O efêmero estado União de Jeová, sobre Udelino de Matos, um homem que, nos anos 1950, tentou formar um estado camponês com a população de maioria negra no norte do Espírito Santo. Dois anos depois, lançou A negação do Brasil, sobre a trajetória do personagem negro nas novelas brasileiras, com impressionante trabalho de pesquisa que deu origem a um livro homônimo. Foi escolhido melhor filme brasileiro do É Tudo Verdade daquele ano, tendo sido também selecionado pra vários festivais pelo mundo, entre eles o festival de cinema latino de Madri e o festival de documentários do Porto.

Em 2004, finalizou seu primeiro longa-metragem de ficção, As Filhas do Vento, que ganhou oito prêmios no Festival de Gramado, entre eles: melhor filme segundo a crítica, melhor diretor, ator e atriz. Na Mostra de Cinema de Tiradentes, foi escolhido melhor filme pelo público e participou ainda de festivais na Índia, na França, na África do Sul e em Camarões. Em 2009, lançou o documentário Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

2021 :: O Pai da Rita
2012 :: Raça
2009 :: Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado
2004 :: As Filhas do Vento
2003 :: Vista A Minha Pele
2000 :: A Negação do Brasil
1999 – O Efêmero Estado União de Jeová (TV)
1997 – A Exceção e a Regra (MM)
1995 – Ondas Brancas nas Pupilas Negras (MM)
1994 – Eu, Mulher Negra (MM)
1993 – Retrato em Preto e Branco (MM)
1991 – Almerinda, Uma Mulher de Trinta (MM)
1991 – São Paulo abraça Mandela (MM)
1990 – Alma Negra da Cidade (MM)
1989 – Memórias de Classe (MM)

Prêmios

– Com Memórias de Classe, Prêmio de melhor roteiro – Festival Ford/Anpocs, Rio de Janeiro – 1989.
– Por Almerinda, Uma Mulher de Trinta, Prêmio de melhor documentário sobre memória nacional do Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão, 1992.
– Roteiro premiado pelo Concurso Nacional de Documentários do Ministério da Cultura de 1999, por A Negação do Brasil.
– Prêmio Melhor Filme da Competição Brasileira do 6o. Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) – 2001, por A Negação do Brasil.
– Prêmio Melhor Pesquisa do 6o. Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) – 2001, por A Negação do Brasil.
– Prêmio Quanta para o melhor documentário brasileiro – – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) – 2001, por A Negação do Brasil.
– Prêmio “Gilberto Freire de Cinema” no 5o. Festival de Cinema do Recife – 2001, por A Negação do Brasil.
– Prêmio “Melhor Roteiro de Longa Documentário” no 5o. Festival de Cinema do Recife – 2001, por A Negação do Brasil.
– Filhas do Vento foi vencedor de 8 kikitos em 6 categorias no Festival de Cinema de Gramado (agosto/2004)Kikito para o Melhor Filme escolhido pela crítica; Kikito para o Melhor Diretor – Joel Zito Araújo; Kikito para o Melhor Ator – Milton Gonçalves; 02 Kikitos para Melhor Atriz – Ruth de Souza e Lea Garcia; Kikito de Melhor Ator Coadjuvante – Rocco Pitanga; 02 Kikitos de Melhor Atriz Coadjuvante – Taís Araújo e Thalma de Freitas.
– Vencedor do 8ª Mostra de Cinema de Tiradentes, MG – 2005. – Melhor Filme pelo júri popular, por Filhas do Vento.
– Vencedor do Paratycine – 2º. Festival de Cinema de Paraty, RJ – 2005. – Melhor Roteiro, por Filhas do Vento.
– Vencedor do Festival de Cinema de Macapá, 2005. Melhor ator e melhor atriz, por Filhas do Vento.
– Recebeu menção honrosa com o filme Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado no FIC – X Festival Internacional de Cinema de Brasília. Novembro 2008
– Prêmios: Melhor filme e Melhor Diretor de longa-metragem, votação do público, na 9ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE 9)com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.
– Prêmios: Melhor Documentário (votação do público) e Menção Honrosa do Júri do VII Mostra Vidas na Tela – Natal. 2009, com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.
– Prêmios: Melhor Longa-metragem e Melhor Documentário do III Bahia Afro Film Festival, Maio/2010., com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.
[editar]Curiosidades
– Cineasta, escritor, professor, diretor e roteirista de filmes, vídeos educacionais e institucionais, programas e campanhas eleitorais de TV. Criador e diretor dos filmes A Negação do Brasil, Filhas do Vento & Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado.
– Publicou o livro A Negação do Brasil: o negro na telenovela brasileira, pela Editora Senac, e vários artigos sobre a mídia e a questão racial brasileira. Entre eles:
1. Mídia e produções de subjetividade: questões do racismo – In: Mídia e Psicologia: produção de subjetividade e coletividade/Conselho Federal de Psicologia. – Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2009.
2. O Negro na Telenovela Brasileira: Uma Síntese. The Afro-Brazilian mind: contemporary Afro-Brazilian literary and cultural criticism. Pgs 257-270. Africa World Press, Inc. Trenton, NJ. 2007.
3. Le noir dans les feuilletons televises. In: Cinémas d’amérique latine – Revue annuelle de l’Association Rencontres Cinemas d’Amerique Latine de Tolouse-França(ARCAL). – no. 15. pags 17-27. 2007
4. A Força de um desejo: a persistência da branquitude como padrão estético audiovisual. Revista USP, no. 69 – maio/junho/julho 2006.
5. As ameaçadoras bandeiras da negritude. Jornal O Globo, 29/05/2005. Rio de Janeiro.
6. 40 anos de servidão involuntária. Revista Carta Capital, no. 216, 20/11/2002.
7. A Estética do Racismo – In: Mídia e Racismo. Org. Silvia Ramos – Rio de Janeiro, Pallas, 2002. –
– Professor Convidado do Departamento de Radio-TV-Film da University of Texas – Austin (agosto/2001 a junho/2002) e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi-Morumbi, São Paulo (2000-2001).
– Coordenador pedagógico do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Cinema em Cuiabá (Out/2006 a Out/2008). Universidade de Cuiabá e MISC – Museu de Imagem e do Som de Cuiabá.
– Curador e organizador de várias mostras de Cinema Negro no Brasil. Consultor e parceiro brasileiro do Festival “3 Continents Human Rights” da África do Sul. Co-organizador da Mostra Cinema Raízes Negras Latino-americanas na Caixa Economica Federal RJ.
– Retrato em Preto e Branco (roteiro e direção) um documentário sobre a mídia e relações raciais no Brasil. Selecionado para vários festivais no exterior, entre eles: 1ère Muestra Europeenne de Videos Latino-Americaines, França / 1993. Chicago Latino Film Festival, 1994 nos EUA. IV Encontro Latino Americano de Vídeo, Peru, nov. 1993.
– A Exceção e a Regra (roteiro e direção) documentário sobre como o sistema jurídico brasileiro acolhe as vítimas de racismo, 1997. Selecionado para o Festival Nacional de Vídeo “Brasilidade”, organizado pela Cinemateca do MAM-RJ e Goethe-Institut – Rio de Janeiro.
– Ondas Brancas nas Pupilas Negras (roteiro, produção e direção). Documentário didático sobre imagem dos negros na mídia, 1995.
– Eu, Mulher Negra (roteiro e direção). Vídeo-documentário educativo sobre saúde da mulher negra para o CEBRAP – 1994.
– São Paulo abraça Mandela (roteiro, produção e direção). Documentário sobre a visita de Nelson Mandela à cidade de São Paulo – 1991.
– Alma Negra da Cidade (roteiro e direção). Documentário sobre a afirmação da comunidade negra no espaço urbano de São Paulo. Realizado para a TV Gazeta, em 1990.
– Vista a minha Pele (roteiro, produção e direção). Realizado para o projeto “Educar para a Igualdade Racial – Experiências de promoção da igualdade racial/étnica no ambiente escolar”. Uma parceira da UNICEF, Ministério da Justiça e a Ong paulista CEERT. 2003.
– Fez roteiro e direção de O Efêmero Estado União de Jeová. Documentário de longa-metragem para Televisão sobre o sonho messiânico de curta duração de Udelino de Matos, que tentou formar um estado camponês com a população de maioria negra do norte do Espírito Santo nos anos 50. Uma co-produção com a TV Gazeta (Rede Globo) do Espírito Santo. 1999. 62 min.
– Filhas do Vento (argumento, produção e direção), longa-metragem de ficção. Um dos seis roteiros premiados pelo Concurso de Longas de Ficção de Baixo-orçamento do Ministério da Cultura. Dez/2001.

Bibliografia

Links de Referência

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Joel Zito Araújo. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/joel-zito-araujo/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Joel Zito Araújo

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.