fbpx

Jom Tob Azulay

Biografia

Jomico Azulay, em arte mais conhecido como Jom Tob Azulay, é um cineasta, diretor de fotografia e produtor brasileiro de curtas, longas e documentários nascido no Rio de Janeiro (RJ) em 1941. Formado em direito pela UFRJ, Jom Tob Azulay foi diplomata entre 1967 e 1974. Estudou cinema em Los Angeles entre 1971 e 1974. No ano de 1975 funda a AeB Produções e passa a trabalhar com cinema.

Inicia sua carreira no cinema como fotógrafo de comerciais e documentários. Dedica-se ao documentário musical. Faz a fotografia de Ritmo alucinante (de Marcelo França, 1975) sobre o rock no Brasil. Estreia na direção em 1974 no curta Exu-Mangueira. Logo depois produz e dirige seu primeiro longa, o filme Os Doces Bárbaros (1976), documentário que registra a turnê brasileira do conjunto formado por Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa e Caetano Veloso. Dirige também o semi-documentário sobre a turnê O Luar de Gilberto Gil, Corações a mil (1982), primeira produção brasileira em dolby-stereo. Em 1979, é premiado pela fotografia de Muito Prazer (1979), filme de David F. Neves, no XII Festival de Brasília; além de ser o produtor executivo de diversos filmes, como os longas O homem e o cinema (1977), último filme de Alberto Cavalcanti e A difícil viagem (1982), de Geraldo Moraes; entre outras produções.

Com Gilberto Gil, filma Corações a Mil, em 1983, primeira produção nacional em Dolby Stereo. Produz e dirige O Judeu, primeira co-produção luso-brasileira, filmada em Portugal e estreada em 1995. Em 1993 é o produtor brasileiro do documentário It’s all true, que reconstitui o filme inacabado de Orson Welles rodado em 1942 no Brasil. Trabalhou como produtor delegado de O Testamento do Senhor Napumoceno (1997) do diretor português Francisco Manso e produtor executivo de Estorvo (2000), de Ruy Guerra.

Atuou politicamente assumindo, de 2002 a 2007, na Direção de Relações Internacionais e Superintendente de Assuntos Estratégicos da Agência Nacional de Cinema (ANCINE). Em 2010, estreia no Canal Brasil a série Cinco Vezes Machado em que é o diretor geral.

Filmografia

Filmografia: 1974-Exu-Mangueira (CM) (dir.); 1975- Euphrasya (CM) (dir.); 1976-A Exposição Craô (CM) (dir.); 1977-Os Doces Bárbaros (dir.); Ritmo Alucinante (co-fot. Gilberto Loureiro); 1979-Alquimista de Maio (CM) (dir.); Muito Prazer (fot.); Carioca, Suburbano, Mulato Malandro: João Nogueira (CM) (dir.); O Torneio Amílcar Cabral (CM) (dir., fot.) (codir. Fernando Cabral e Flora Go
mes e cofot. Fernando Cabral, Mário da Silva, Flora Gomes e Sunah na N’hada); 1981-Estações Rodoviárias (CM) (dir.); Ilha Grande (CM) (dir.); Matadouros (CM) (dir.); 1983-Corações a Mil (dir.); 1986-Caminhos da Arquitetura Brasileira (dir.); 1987/96-O Judeu (Brasil/Portugal) (dir.); 1994-Nina’s Pressage (CM) (dir.).

:: Filmografia como Diretor ::

1995 :: O Judeu
1982 :: Corações a mil
1978 :: Os Doces Bárbaros

:: Filmografia como Produtor ::

1997 :: O Testamento do Senhor Napumoceno
1995 :: O Judeu
1993 :: It’s all true
1982 :: Corações a mil
1982 :: A difícil viagem
1978 :: Os Doces Bárbaros
1977 :: O homem e o cinema

:: Filmografia como Produtor Executivo ::

2000 :: Estorvo

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de fotógrafos do cinema brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.