fbpx

José de Almeida

Biografia

José de Almeida, conhecido no meio cinematográfico como Zezé, é um diretor de fotografia brasileiro nascido em Guaxupé (MG), em 1934.

Ainda jovem, resolve tentar a sorte em São Paulo e, em 1951, consegue emprego na Vera Cruz, como auxiliar de carpinteiro na construção de cenários. Também faz figuração em alguns filmes da companhia como Tico-Tico no Fubá (1952); Sinhá Moça (1953); Florada na Serra (1954), etc. Deslumbrado pelo mundo mágico do cinema, ao acompanhar de perto o funcionamento da chamada Hollywood brasileira e, apaixonado por tudo que viu, resolve seguir carreira no cinema, inicialmente como eletricista, em filmes como A Estrada (1955), de Oswaldo Sampaio; O Capanga (1958), de Alberto Severi; depois maquinista em Lampião, Rei do Cangaço (1962), de Carlos Coimbra; eletricista em ABC do Amor (1966), episódio O Pacto, de Eduardo Coutinho; Na Onda do Iê-Iê-Iê (1966), de Aurélio Teixeira; e Até Que o Casamento nos Separe (1968), de Flávio Tambellini; entre outros. Firma-se como chefe eletricista em Cuidado, Espião Brasileiro em Ação (1966), de Victor Lima; Macunaíma (1969), de Joaquim de Pedro de Andrade; Os Maridos Traem…E as Mulheres Subtraem!, de Victor di Mello. Assistente de fotografia do fotógrafo Leonardo Bartucci em diversos curtas, e, incentivado por Roberto Farias que o presenteia com diversos livros sobre fotografia, resolve ser fotógrafo.

Em 1969, substitui David Drew Zingg e finaliza a fotografia de Memória de Helena, de David E. Neves. Seu primeiro filme como diretor de fotografia sozinho é Um Homem Sem Importância (1970), de Alberto Salvá.

Sobre esse filme, Zezé comenta: Foi uma experiência muito especial, pois tive que resolver, durante sua filmagem, todos os problemas de fotografia. Foi uma prova de fogo. Além do pouco tempo para as filmagens – somente uma semana – contava com um mínimo de material (apenas 11 latas de negativos), que, por sua vez, era de qualidade híbrida. Tornou-se difícil dar unidade à fotografia. Creio que seria interessante salientar que nossa câmera tinha apenas uma lente – uma zoom que ia de 35 a 135 mm (trecho da entrevista de José de Almeida concedida à revista Filme Cultura n° 21, editada pelo Instituto Nacional de Cinema (INC), em agosto de 1972).

Inicia a partir daí sólida carreira de fotógrafo, sendo premiado em 1972 com o Coruja de Ouro do INC, como Melhor Fotógrafo em Preto e Branco, pelos filmes Um Homem Sem Importância (1970), de Alberto Salvá; e A Volta pela Estrada da Violência (1972), de Aécio de Andrade.

Seu último filme cadastrado como fotógrafo data de 1982, o episódio A Prisão de J. Carmo Gomes, integrante do longa Insônia, direção de Luiz Paulino dos Santos.

Filmografia

1982 :: Insônia (episódio: A Prisão de J. Carmo Gomes).
1979 :: Quanto mais Pelada Melhor
1978 :: Os Melhores Momentos da Pornochanchada
1978 :: O Namorador (cofot.. Luiz Beja);
1978 :: Elke Maravilha contra o Homem Atômico
1978 :: Assim Era a Pornochanchada
1978 :: Manicures a Domicílio
1978 :: As Taradas Atacam
1978 :: As 1001 Posições do Amor
1978 :: Bonitas e Gostosas
1977 :: O Garanhão no Lago das Virgens (cofot.. Affonso Vianna)
1976 :: Confissões de uma Viúva Moça
1976 :: As Mulheres que Dão Certo;
1975 :: Com as Calças na Mão
1975 :: Crime e Castigo
1974 :: Um Varão entre as Mulheres
1974 :: As Mulheres que Fazem Diferente (episódio: Uma Delícia de Mulher)
1973 :: O Fraco do Sexo Forte (cofot.. Ferdinand Balata);
1972 :: A Volta pela Estrada da Violência
1972 :: As Quatro Chaves Mágicas;
1970 :: Lúcia McCartney, Uma Mulher de Programa
1970 :: Um Homem Sem Importância
1970 :: Projeto Rondon (CM)
1970 :: O Jovem no Campo (CM)
1970 :: Prevenção contra Acidentes de Trabalho (CM)
1970 :: Funcionário Público (CM)
1969 :: Memória de Helena (cofot.. David Drew Zingg)

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de fotógrafos do cinema brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.