fbpx

José Joffily

Biografia

José Joffily Bezerra Filho, em arte mais conhecido como José Joffily é um cineasta, produtor, roteirista e diretor de fotografia, ator e fotógrafo brasileiro nascido em João Pessoa (PB) no dia 27 de novembro de 1945. É filho do escritor e historiador José Joffily Bezerra de Melo.

Embora tenha nascido na cidade de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba, José Joffily foi criado na cidade do Rio de Janeiro, onde formou-se Bacharel em Direito pela UFRJ. Trabalhou como fotógrafo freelancer para diversas revistas, entre elas O Cruzeiro, Realidade e Placar.

Iniciou suas atividades cinematográficas em 1975, como fotógrafo de still no filme O Casamento, de Arnaldo Jabor e operador de câmera no curta Catete a Meu Ver, de Sebastião de França.

Em 1977, estreia como fotógrafo no curta P.S.: Te Amo, de Sérgio Rezende. No mesmo ano dirige seu primeiro filme, o curta Praça Tiradentes e Alô Tetéia. Começou a se destacar depois da repercussão de seus curtas-metragens Curta-seqüência: galeria Alaska e Copa Mixta, ambos de 1979.

No início dos anos 80, José Joffily realizou o vídeo Voando com os pés no chão.

Como diretor de Fotografia, passa a ser bastante requisitado inicialmente em curtas como Raimundo Fagner (1977), Ato Delituoso Impune (1981), A Fabulosa Amazônia (1982), etc., e depois em longas como Até a Última Gota (1980), de Sérgio Rezende.

Ainda nos anos de 1980, participou de roteiros de longas-metragens, entre eles: O sonho não acabou (1981), de Sergio Rezende, Parahyba, mulher macho (1982), de Tizuka Yamasaki, baseado num livro de seu pai, o historiador José Joffily Bezerra de Melo; Avaeté – A semente da vingança (1985), de Zelito Viana – assumindo também a fotógrafo adicional -, A cor de seu destino (1986), de Jorge Durán, Terra para Rose (1988), de Tetê Moraes, e Rei do Rio (1985), de Fábio Barreto. Em 1985, convidado pelo produtor Joaquim Vaz de Carvalho, dirigiu seu primeiro longa, Urubus e papagaios (1985), uma comédia ambientada numa cidade do interior baseada num romance de Josué Guimarães. Em seguida, começou a produzir seus próprios filmes e fez o policial A maldição do Sampaku (1991/94), prêmios de melhor filme pelo júri popular e pelo júri oficial no Festival de Brasília, entre outros prêmios.

A partir dos anos de 1990, José Joffily prioriza a direção nos seus trabalhos. Produziu, escreveu e dirigiu Quem matou Pixote? (1996), sobre a vida de Fernando Ramos da Silva – o protagonista de Pixote, a lei do mais fraco, de Hector Babenco –, premiado nos festivais de Gramado e Havana.

Em 2001, dirigiu e produziu o documentário O chamado de Deus, sobre os jovens vocacionados da Igreja Católica, Prêmio Margarida de Prata da CNBB e melhor documentário no Festival de Brasília.

Em 2002 produziu e dirigiu o longa Dois perdidos numa noite suja, vencedor dos prêmios de melhor direção e roteiro em Brasília.

Em 2005, lançou no É Tudo Verdade o documentário Vocação do poder, feito em parceira com Eduardo Escorel, sobre a campanha eleitoral de seis candidatos a deputado no Rio de Janeiro. No Festival do Rio, exibiu o longa de ficção Achados e Perdidos, vencedor do prêmio de melhor filme no 10º Festival de Miami.

Seu próximo longa-metragem, Olhos azuis (lançado em 2009), recebeu os prêmios de melhor filme, melhor roteiro (Paulo Halm e Melanie Dimantas), melhor atriz (Cristina Lago), melhor ator codjuvante (Irandhir Santos), melhor som e melhor montagem no Festival Paulínia de Cinema de 2009. No mesmo ano, escreveu o roteiro de Sonhos Roubados (2009), de Sandra Werneck, em parceria com Michelle Franz, Mauricio Dias, Sandra Werneck, Paulo Halm e Adriana Falcão.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

2015 :: Caminho de volta (codir. Pedro Rossi)
2014 :: Cine Paissandu: histórias de uma geração
2013 :: Mão na luva
2011 :: Prova de Artista
2009 :: Olhos Azuis
2007 :: A Paixão Segundo Callado
2006 :: Achados e Perdidos
2005 :: Vocação do Poder (codir. Eduardo Escorel)
2002 :: Mini Cine Tupy (CM)
2002 :: Dois Perdidos Numa Noite Suja
2000 :: O Chamado de Deus
1996 :: Quem Matou Pixote?
1993 :: O Homem Sentado na Escada (CM) (codir. José Roberto, Marcellus Agostini, Marcelo Hipólito, Marcelo Santiago e Suzana Silva)
1991 :: A Maldição do Sanpaku
1985 :: Urubus e Papagaios
1981 :: A Fabulosa Amazônia (CM)
1980 :: Voando Com os Pés no Chão
1979 :: Curta-Seqüência: Galeria Alaska (CM)
1979 :: Copa Mixta (CM)
1978 :: Alô Tetéia (CM)
1977 :: Praça Tiradentes (CM)

:: Filmografia como Produção Executiva ::

1993 :: Lamarca
1988 :: P.S.W., Uma Crônica Subversiva

:: Filmografia como Roteirista ::

2015 :: Caminho de volta
2011 :: Prova de Artista
2009 :: Sonhos Roubados
2008 :: O Senhor do Labirinto, de Geraldo Motta
1996 :: O Guarani
1988 :: Terra Para Rose
1987 :: Vai Trabalhar Vagabundo 2 – A Volta
1986 :: A Cor do Seu Destino
1986 :: Geléia Geral, de Sandra Werneck
1985 :: Avaeté, A Semente da Vingança, de Zelito Viana
1984 :: A Filha dos Trapalhões
1984 :: Rei do Rio
1982 :: Parayba, Mulher Macho
1981 :: O Sonho Não Acabou

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

2015 :: Caminho de volta (cofot. Pedro Rossi)
1981 :: Ato Delituoso Impune (CM) (fot.)
1981 :: Lygytymah Dephezah (CM) (fot.)
1980 :: Até a Última Gota (fot.)
1980 :: Na Era do Álcool (CM) (fot.) (cofot. Eduardo Clark)
1980 :: Nascimento e Morte – História dos Anos 80 (CM) (fot.)
1979 :: A Venda (CM) (fot.)
1979 :: As Paralelas (CM) (fot.)
1979 :: Babilônia Revisitada (CM) (fot.)
1979 :: Copa Mixta (CM) (dir., fot.)
1979 :: Era Uma Vez (CM)
1979 :: Na Realidade (CM)
1978 :: Alô Teteia (CM)
1978 :: Associação dos Moradores de Guararapes (CM)
1978 :: Circos e Sonhos (CM)
1978 :: Duas Histórias Para Crianças (CM)
1977 :: Palmas e Bolas (CM)
1977 :: P.S.: Te Amo (CM)
1977 :: Raimundo Fagner (CM)

:: Filmografia como Operador de Câmera ::

1981 :: A Mulher Sensual

:: Filmografia como Ator ::

1996 :: Nos Tempos do Cinematógrafo
1988 :: Por Dúvida das Vias

Peça Teatral

1999 :: Raul Fora da Lei, de Raul Seixas

Prêmios

:: Troféu Candango de Melhor Diretor, no Festival de Brasília, por “Dois Perdidos Numa Noite Suja” (2003).
:: Troféu Candango de Melhor Filme, no Festival de Brasília, por “A Maldição do Sanpaku” (1992).
:: Troféu Kikito de Ouro de Melhor Filme, no Festival de Gramado, por “Quem Matou Pixote?” (1996).
:: Troféu Kikito de Ouro de Melhor Roteiro, no Festival de Gramado, por “Quem Matou Pixote?” (1996).
:: Troféu Candango de Melhor Roteiro, no Festival de Brasília, por “A Cor do seu Destino” (1986).

Bibliografia

Livros:

MONTEIRO, Candida Maria. Inquietações Cinematográficas: conversas com José Joffily. Rio de Janeiro: Editora Reflexão/Editora PUC-Rio, 2014.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]