fbpx

Josias Teófilo

Josias Saraiva Monteiro Neto, em arte conhecido como Josias Teófilo, é um cineasta, escritor e fotógrafo brasileiro nascido em Recife (PE) no dia 27 de agosto de 1987. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco em 2010.

Como jornalista, foi colaborador da Revista Continente de 2011 a 2015, onde escreveu principalmente sobre arte e entrevistou diversas personalidades como Hélène Grimaud, Boris Schnaiderman, Phillipe Jarrousky, Marlos Nobre, João Moreira Salles, Paulo Mendes da Rocha, entre outros.

Seu primeiro curta-metragem, Quarteto Simbólico (2011), sobre o arquiteto modernista Delfim Amorim, feito como projeto de conclusão de curso de jornalismo, exibido em diversos festivais e mostras pelo país, recebendo o prêmio de melhor documentário de formação do Festcine no Recife, além de fazer parte da coleção de DVDs Antologia do Cinema Pernambucano e do programa de matérias de faculdades de arquitetura.

Em 2015, realizou o longa-metragem O Jardim das Aflições, sobre o filósofo e guru ideológico da ultra-direita brasileira Olavo de Carvalho. O documentário, filmado na Virgínia (EUA), foi financiado através de crowdfunding, obtendo mais de 350 mil reais em doações privadas (sem recursos públicos). O filme foi selecionado para a mostra competitiva do festival Cine PE em 2017 e esteve envolto numa polêmica de repercussão nacional quando sete cineastas resolveram retirar seus filmes do festival em protesto contra a presença de O Jardim das Aflições e Plano Real. O ato produziu um acalorado debate na mídia nacional em que se posicionaram importantes figuras do cinema e da cultura nacional e terminou por provocar o adiamento do festival. O filme foi consagrado no festival Cine PE com três prêmios: melhor filme do júri oficial, melhor filme do júri popular e melhor montagem. O filme esteve em cartaz durante nove semanas em circuito comercial e foi exibido em mais de vinte cidades brasileiras.

Como escritor, é autor do ensaio biográfico O Cinema Sonhado, vencedor do Prêmio Antônio de Brito Alves de melhor ensaio da Academia Pernambucana de Letras. O livro trata da vida do seu avô, Pedro Teófilo Batista, que foi cineasta e inventor autodidata, tendo realizado dois filmes em 35mm no final da década de 1960 no Recife, e foi elogiado pelo crítico literário Rodrigo Gurgel no texto Três livros para compreender o Brasil.

:: Filmografia como Diretor ::

2021 :: Nem Tudo se Desfaz
2017 :: O Jardim das Aflições
2011 :: Quarteto Simbólico (CM)

:: Filmografia como Roteirista ::

2017 :: O Jardim das Aflições
2011 :: Quarteto Simbólico (CM)

:: Filmografia como Produtor ::

2017 :: O Jardim das Aflições

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

2011 :: Quarteto Simbólico (CM)

:: Filmografia como Montador ::

2011 :: Quarteto Simbólico (CM)

TEÓFILO, Josias. O Cinema Sonhado. : Lavra, 2013.

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Josias Teófilo. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/josias-teofilo/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.