fbpx

Lázaro Faria

Biografia

Lázaro Raimundo Faria, em arte mais conhecido como Lázaro Faria, é um diretor de fotografia brasileiro nascido em Lambari (MG) em 08 de dezembro de 1956.

Iniciou sua carreira como produtor de rádio, cinema e televisão em Belo Horizonte.

Mudou-se para a Bahia em 1976. Dirigiu e fotografou seu primeiro filme em 1977, o curta Arembepe e não para mais, constituindo sólida filmografia, quase sempre com temas ligados a cultura afro, uma especialidade sua, sendo hoje profundo conhecedor do espírito do povo baiano.

No cinema publicitário, destacou-se como RTVC em importantes agências, como a Divisão, primeira agência do importante publicitário Sergio Amado e Sydney Resende, e na Norton Propaganda do saudoso Geraldo Alonso e a Propeg de Rodrigo Sá Menezes, dirigindo mais de mil comerciais para clientes importantes como Correios e Telégrafos, Governo da Bahia e de Pernambuco, Fundação Roberto Marinho, etc. Recebeu muitos prêmios ao longo de sua carreira, destacando-se o Prêmio Profissionais do Ano, da Rede Globo, em 1988, 1989 e 1990, Prêmio Colunistas e sendo indicado também para Cannes onde ganha o Leão de Ouro.

Em 1989, dirigiu a fotografia do média O Superoutro, aclamado como o último filme do Cinema Novo e em seguida participa da produção e faz a direção de fotografia aérea do filme Baile Perfumado. Produz, dirige e fotografa, em 2000, na bitola 16mm, a série Orixás da Bahia, sobre os mais importantes Orixás do Candomblé, veiculada na TVE e TVs a cabo internacionais.

Seu primeiro longa, Cidade das Mulheres (2005), trata a vida das mulheres de terreiro da Bahia conhecidas por mulheres do partido alto. O filme ganha o prêmio Tatu de Ouro de melhor filme da 32 Jornada de Cinema da Bahia e Prêmio BNB de melhor documentário.

Atualmente, está envolvido com a produção de Maracas, primeiro filme de ficção sobre Carmen Miranda, do filme Dois de Julho a Guerra da Independência da Bahia e do Projeto Roda do Mundo, com previsão de filmagens em mais de 20 países onde chegou a capoeira, além de produzir o Bahia Afro Film Festival, que acontece todos os anos em Cachoeira.

Filmografia

Filmografia: 1977- Arembepe (CM); 1978- Ilha da Maré (CM); 1979- Futebol na Praia (CM); 1980- A Comunidade no Poder (CM); 1981- O Cometa Harley (CM); 1982- Lágrima de Crocodilo (CM); 1983- Minha Vó em Pituaçu (CM); Anjos e Demônios (CM); 1986- Ecologia e o Polo Petroquímico de Camaçary (CM); 1988Centenário da Abolição (CM); 1989- O Superoutro (MM) (fot.); 1992-Cosme e Damião (CM); Ya Omi Karodo (CM); 1994-Mensageiro (CM); 1998- Satytananda (CM); 2000-O Segredo do Faraó (CM); Orixás da Bahia (CM); 2001-Lua Violada (CM) (fot.); Moacir de Ogum (CM); Amazonias (CM); 2002-Mãe Bida (CM); 2003-Okaronjé (CM); O Corneteiro Lopes (CM) (dir.); 2005- Cidade das Mulheres (dir., fot.) (cofot. Maoma Faria); Mandinga em Manhattan (MM) (dir., fot.) (cofot. Maoma Faria); 2006-Seu Mané Quem Quer e o Demo (CM); 2007-A Psicanálise e o Filme (CM); 2008- O Negro e o Cinema (CM); 2009-Mandinga en Colombia (MM); 2010- Saudação.

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antônio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/lazaro-faria/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.