fbpx

Léa Garcia

Biografia

Léa Lucas Garcia de Aguiar, em arte conhecida como Léa Garcia, é uma atriz brasileira nascida no Rio de Janeiro (RJ) no dia 11 de março de 1933.

Nascida na Praça Mauá, no Rio de Janeiro, Léa Garcia tornou-se atriz em um momento da história em que esse não era um trabalho comum para mulheres negras. Filha de Stela Lucas Garcia e José dos Santos Garcia, passou a morar com sua avó aos 11 anos, quando sua mãe morreu.

Desde jovem, demonstrou o desejo de se envolver com o universo artístico, mas em outro campo. Queria cursar Letras para ser escritora. Porém, em 1951, formou-se em Contabilidade.

Contrariando os pais, começou a estudar danças folclóricas com a professora Mercedes Batista. Seu destino mudou ao conhecer Abdias Nascimento. O dramaturgo e ativista apresentou a ela a sua estante de livros e sugeriu a leitura das tragédias gregas. Depois, a convenceu a subir no palco pela primeira vez, na peça Rapsódia Negra (1952), do próprio Abdias, iniciando ali sua carreira no Teatro Experimental do Negro (TEN). A partir de então, a paixão pelas artes cênicas se impôs. Casando-se, logo depois, com Abdias do Nascimento, com quem teve dois filhos.

Estreou no cinema em 1959 no filme Orfeu do Carnaval e ficou internacionalmente conhecida. Fez mais de uma dezena de filmes, quase todos abordando a temática do negro no Brasil, como em Ganga Zumba (1964), Quilombo (1984), Orfeu (1999), As Filhas do Vento (2005) e, mais recentemente, Um dia com Jerusa (2019).

Na televisão, estreou em Acorrentados (1969). Na TV Globo, fez sua estreia em 1970, na novela Assim na Terra Como no Céu, de Dias Gomes. Nos anos seguintes, entre muitas outras novelas e personagens singulares, destacam-se Selva de Pedra (1972); brilhou em Escrava Isaura (1976); Marina (1980), A Viagem (1994); Suave Veneno (1999) e O Clone (2001), todas pela TV Globo.

Trabalhando em teatro, TV e cinema, Léa Garcia consolidou uma carreira de papéis marcantes como a Rosa, de Escrava Isaura (1976), novela que a tornou conhecida do público, e venceu a barreira dos personagens tradicionalmente destinados a atrizes negras. Tornou-se, assim, uma referência para jovens atores e admirada pela qualidade de suas atuações.

Pela TV Record, atuou em Cidadão Brasileiro (2006), Luz do Sol (2007) e A Lei e o Crime (2009). É uma grande atriz brasileira.

Filmografia

:: Filmografia como Atriz ::

2019 :: Um dia com Jerusa …. Jerusa Anunciação Mamede
2019 :: Pacificado
2019 :: Boca de Ouro
2018 :: Nada Além da Noite
2016 :: Pedacinho do Céu (CM)
2012 :: Billi Pig …. Tia Ludmila
2012 :: Sudoeste …. Dona Iraci
2012 :: Acalanto …. Luzia
2009 :: Dias Amargos …. Mira
2007 :: Remissão …. Anita
2006 :: O Maior Amor do Mundo …. Zezé
2006 :: Memórias da Chibata (CM) …. Avó de Juca
2006 :: Mulheres do Brasil …. Eunice
2006 :: Atabaque Nzinga …. Mãe de Santo
2005 :: As Filhas do Vento …. Maria da Ajuda “Jú”
2002 :: Viva Sapato! …. Mãe de Santo
1999 :: Orfeu …. Mãe de Maicol
1998 :: Cruz e Sousa – O Poeta do Desterro …. Carolina
1984 :: Quilombo
1979 :: A Noiva da Cidade …. Manuela
1979 :: A Deusa Negra (Nigéria/Brasil)
1977 :: Ladrões de Cinema …. Carlota Escrava
1976 :: Feminino Plural
1975 :: Compasso de Espera …. Zefa
1974 :: O Forte …. Damiana
1964 :: Santo Módico (Brasil/França)
1964 :: Ganga Zumba …. Cipriana
1960 :: Os Bandeirantes (França/Itália/Brasil) …. Hermínia
1959 :: Orfeu Negro (Orphée Noir) (França) …. Serafina

:: Filmografia como Ela Mesma ::

2009 :: Em Quadro – A História de Quatro Negros nas Telas
2005 :: Vinícius

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

BALLERINI, Franthiesco. Cinema Brasileiro no Século 21. São Paulo: Summus Editorial, 2012.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Lea Garcia. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/lea-garcia/
MEMÓRIA GLOBO. http://memoriaglobo.globo.com/perfis/profissionais/lea-garcia.htm

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]