fbpx

Leilah Assumpção

Biografia

Maria de Lourdes Torres de Assunção, em arte conhecida como Leilah Assumpção, é uma atriz brasileira nascida m Botucatu (SP) no dia 18 de junho de 1943.

Formou-se em pedagogia e, em 1963, aos vinte anos de idade, muda-se para São Paulo. Fez cursos de desenho, moda e teatro. Iniciou sua carreira como manequim e modelo e logo em seguida começa a escrever textos teatrais, tornando-se importante dramaturga.

Seu primeiro sucesso foi Fala Baixo Senão eu Grito, em 1969, encenado por Marília Pera e ganhador de vários prêmios, entre eles o APCA e Molière. Já consagrada, escreveu Jorginho, o Machão (1971), Roda Cor de Roda (1975), Vejo um Vulto na Janela (1979), Seda Pura e Alfinetadas (1980), Avenida Paulista (1982), Boogeyman (1988), Adorável Desgraçada (1994), Intimidade Indecente (2001), Ilustríssimo Filho da Mãe (2008), etc.

Para a televisão escreve textos de novelas, minisséries e casos especiais da TV Record, como Venha Ver o Sol na Estrada (1973), e Globo, como Avenida Paulista (1982), Moinhos de Vento (1983) e Primeiro de Abril Brasil (1988).

No cinema, estreou ainda como manequim no filme Anuska, Manequim e Mulher, em 1968.

Foi casada com o diretor Clóvis Bueno. Atualmente está casada com o financista Walter Appel, com quem tem uma filha, Camila.

Em 2007, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, pela Coleção Aplauso, lançou sua biografia, Leilah Assumpção: A Consciência da Mulher, de autoria de Eliana Pace.

Filmografia

1972 :: O Demiurgo
1968 :: Anuska, Manequim e Mulher

Bibliografia

Livros:

PACE, Eliana. Leilah Assumpção: A Consciência da Mulher. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Leilah Assumpção. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/leilah-assumpcao/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.