fbpx

Lígia Cortez

Lígia Maria Camargo Silva Cortez, em arte conhecida como Lígia Cortez, é uma atriz, diretora teatral, arte-educadora e pesquisadora brasileira nascida em São Paulo (SP) no dia 31 de agosto de 1960. É formada em Educação Artística, é doutora no Programa de Pós-Graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP).

É filha dos atores Raul Cortez (1932-2006) e Célia Helena (1936-1997).

Aos seis anos de idade quase morreu, ao contrair uma pericardite, doença rara do coração. Iniciou cedo sua carreira no teatro, fazendo aulas na escola da mãe.

Participou nos anos de 1980 do Grupo de Teatro Macunaíma, sob a direção de Antunes Filho, representante do Brasil nos festivais internacionais de países da América Latina e Europa. Nas viagens, uniu ao exercício profissional como atriz, visitas a instituições e escolas com cursos de teatro para a infância e juventude, e em 1983, fundou a Casa do Teatro.

Em 1988, estreou no cinema no curta-metragem História Familiar. Fez carreira cinematográfica regular, atuando em filmes importantes como Um Céu de Estrelas (1996), O Príncipe (2002), Vida de Menina (2003), entre outros.

Ao contrário dos pais, fez pouca televisão, sendo sua estreia em 1990, em A História de Ana Raio e Zé Trovão, pela extinta TV Manchete. Depois fez Esperança (2002), Metamorphoses (2004) e mais recentemente Páginas da Vida, como a professora de teatro Cecília, função que conheceu tão bem, pois dirige em São Paulo duas escolas de arte Casa do Teatro e Teatro Escola Célia Helena, este último fundado por sua mãe, em 1977.

Em 2007, participou da novela Sete Pecados e, em 2009, da série Som e Fúria.

É idealizadora de projetos para o intercâmbio, reconhecimento e estudos sobre as aproximações e diferenciações entre os países da América Latina. É editora dos livros Conexões: Nova Dramaturgia para Jovens, publicação bilíngue anual do Projeto Conexões e, desde 2009, da revista acadêmica Olhares.

Acumula vasta experiência como atriz no cinema, televisão e teatro, tendo trabalhado com grandes diretores nacionais como Antunes Filho, José Celso Martinez Corrêa, Ron Daniels, Fauzi Arap, Flávio Rangel, Flávio de Souza, Roberto Lage, Hamilton Vaz Pereira, Sérgio Bianchi.

Também se dedica ao trabalho voluntário de arte-educação em comunidades carentes de São Paulo. Dirigiu o espetáculo Mulheres que Bebem Vodka.

Desde 1985, está casada com o diretor teatral e artista plástico Ulisses Cohn, com quem tem duas filhas, Vitória Cohn (1986) e Clara Cohn (1999).

Filmografia

2016 :: Amores Urbanos
2014 :: Sete Anos Depois
2014 :: A Cidade Imaginária
2014 :: Dia Estranho
2012 :: O Fim do Filme (CM)
2009 :: Bonitinha, Mas Ordinária …. Dona Lígia
2003 :: Vida de Menina …. Tia Iaiá
2002 :: O Príncipe
1999 :: Cronicamente Inviável
1998 :: Os Três Zuretas (Reunião de Demônios)
1996 :: Um Céu de Estrelas
1994 :: O Efeito Ilha
1994 :: A Causa Secreta
1992 :: Oswaldianas (Episódio: A Princesa Radar)
1991 :: Wholes (CM)
1991 :: Viver a Vida (CM)
1990 :: Amargo Prazer
1989 :: Dov’è Meneghetti?
1988 :: História Familiar (CM)

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

CÉLIA HELENA CENTRO DE ARTES E EDUCAÇÃO. Lígia Cortez. Disponível no endereço: https://www.celiahelena.com.br/sobre/ligia-cortez/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Lígia Cortez. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/ligia-cortez/
MONTENEGRO TALENTS. Lígia Cortez. Disponível no endereço: https://montenegrotalents.com.br/talentos/ligia-cortez/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]