fbpx

Lila (2018)

Trailer

Sinopse

História de Liliana Syrkis, dama da alta-costura carioca que viveu na pele a saga do povo judeu, o drama dos poloneses deportados para a Sibéria e as dificuldades de migrar para o Brasil. O filme é baseado em livro do mesmo nome, escrito por ela ao se aposentar, em 2009.

Lila nasceu Liliana Binensztok, em 1923, em Pinsk, então uma pacata cidadela de maioria judaica na Polônia, hoje na Bielorússia. Tornou-se Liliana Sirkis ao casar-se no final da década de 40, já no Rio de Janeiro, com o também judeu polonês Herman. Liliana é a mãe do escritor, jornalista, ambientalista e ex-deputado federal Alfredo Sirkis, que foi o único filho do casal. Herdou o prenome do avô materno, assassinado pelos soviéticos no massacre de Katyn na Polônia de 1940.

Para filmar a extraordinária saga de sua mãe, Alfredo trabalhou em parceria com o tarimbado documentarista Silvio Da-rin, seu contemporâneo de militância contra a ditadura de 1964.

Pouco depois de completar 90 anos, Lila voltou pela primeira vez a Pinsk, ao lado da irmã Janete, do filho e da equipe do filme, 73 anos depois de elas terem deixado a cidade. Com a mãe, foram transferidas à força pelos soviéticos para a Sibéria, onde sobreviveram por quatro anos até o final da Segunda Guerra. Escaparam assim, quem diria, da dizimação de mais de 30 mil judeus de Pinsk pelos nazistas durante o confronto.

Durante a jornada de retorno, em entrevistas para a câmera e acompanhando o depoimento de seu namorado do pós-guerra, Vladimir Lewin, também ele judeu de Pinsk, Lila reconstitui, com riqueza de detalhes e sem qualquer acento autopiedoso, sua duríssima trajetória. Foi no Rio de Janeiro de 1947 que ela finalmente encontrou seu porto seguro e liderou uma das primeiras “maisons” de alta costura da então capital.

Trata-se de um documentário particularmente oportuno numa atualidade marcada por uma nova onda de intolerância, imigração, por guerras terríveis como a da Síria e pela reemergência em diversos quadrantes de novas variantes do fascismo.

Lila é a história de uma geração com infância feliz sobre a qual desabou a hecatombe da II Guerra e da dupla opressão do nazismo e do stalinismo. Aborda a complexa problemática da ocorrência do anti-semitismo na Polônia. É também uma ode à geleia geral brasileira, a esse “meeting pot”de raças, culturas e línguas que nos formou como nação.

Um filme é o mínimo que merecia, ainda mais com uma bela canção tema de Gilberto Gil.

Elenco

Liliana Syrkis
Janete
Alfredo Sirkis
Vladimir Lewin

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Lila (2018) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Alfredo Sirkis e Silvio Da-rin
Roteiro: Alfredo Sirkis
Produção: Belisário Franca

Brasil | 2018 | 76 min.

Bibliografia

Livros:

SYRKIS, Liliana. Lila. : Tix, 2011.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Lila. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/lila/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.