fbpx

Lília Cabral

Biografia

Lília Cabral Bertolli Figueiredo, em arte conhecida como Lilia Cabral, é uma atriz brasileira nascida em São Paulo (SP) no dia 13 de julho de 1957.

Filha única de pai italiano (Gino Bertolli) e mãe portuguesa (Almedina Cabral, natural da São Miguel, Arquipélago dos Açores), Lília Cabral passou necessidades até os dez anos de idade, quando seu pai decidiu ser industrial e a partir daí sua vida melhora. Perdeu a mãe por volta dos 20 anos de idade, antes de começar atuar na TV, fato que lamenta bastante, já que esta nunca teve a oportunidade de a ver trabalhar como atriz. É paulistana do bairro da Lapa, mas vive no Rio de Janeiro há mais de vinte anos.

Seu pai, o empresário Bertolli Gino, não queria que ela fosse atriz. Faz de tudo um pouco, aos 18 anos entra para Faculdade de Jornalismo, mas não termina, faz curso de Belas-Artes, tenta ser manequim.

Em 1977, decide entrar para a Escola de Arte Dramática (EAD) da Universidade de São Paulo (USP) e começa a dar aula de arte para crianças.

Estreou como profissional ao lado de Clodovil na peça Seda Pura e Alfinetadas. Fez muito teatro infantil, tendo recebido dois Prêmios Mambembes. Começou a sua carreira no teatro, com a peça Feliz Ano Velho, baseada num livro de Marcelo Rubens Paiva, com muito sucesso.

Estreou na televisão, em 1981, com a novela Os Adolescentes, escrita por Ivani Ribeiro e produzida pela TV Bandeirantes, mas destaca-se logo em seguida em Os Imigrantes, pela mesma emissora.

Em 1984, transferiu-se para a Rede Globo para atuar em Corpo a Corpo, de Gilberto Braga, vindo em seguida De Quina pra Lua (1985), Hipertensão (1986), Mandala (1987).

Em 1988, atuou em Vale Tudo, de Gilberto Braga e Aguinaldo Silva, no papel da secretária Aldeíde Candeias, que sofria nas mãos do patrão Marco Aurélio (Reginaldo Faria).

Em 1989, viveu a beata Amorzinho no grande sucesso de Aguinaldo Silva, Tieta. Depois atuou em Pedra sobre Pedra (1992), Pátria Minha (1995), História de Amor (1997), como a neurótica Sheila, ex-esposa do médico e protagonista da história, Carlos (José Mayer), Meu Bem Querer (1998), Laços de Família (2000), Chocolate com Pimenta (2003), Começar de Novo (2005).

Depois, em 1998, participou em Anjo Mau, como Goreti, interpretou a perua Verena na novela Meu Bem Querer e, em 1999, foi a mãe de Tati, a protagonista da primeira temporada da novelinha teen Malhação.

Estreou no cinema em 1989 numa ponta como secretária no filme Dias Melhores Virão, mas seu grande momento acontece vinte anos depois, como a protagonista de Divã, em 2009.

Em 2000, atuou na novela Laços de Família, como Ingrid, mulher do interior que se muda para a cidade e acaba morta num assalto.

Em 2001, viveu a perua Daphne da novela Estrela-Guia e, no ano seguinte, apareceu em Sabor da Paixão, como a bondosa Edith.

Em 2003, participou de Chocolate com Pimenta, como a vilã cômica Bárbara. Posteriormente, integrou o elenco de Começar de Novo, como Aída, dona de um famoso spa.

Em 2006, foi antagonista principal, vivendo a fria a calculista Marta, uma mulher sem sentimentos que renega a própria neta, em Páginas da Vida. Pela sua brilhante atuação, ganhou o Trofeu Imprensa de melhor atriz daquele ano e foi também indicada ao Emmy Internacional de 2007, na categoria de melhor atriz. Contudo, perdeu a estatueta para a atriz francesa Muriel Robin, pela sua participação em Marie Besnard – The Poisoner.

Em 2007, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, pela Coleção Aplauso, lançou sua biografia, Lilia Cabral: descobrindo Lilia, de autoria de Ana Lúcia Ribeiro.

Em 2008, mostrando toda sua versatilidade, viveu mais um papel de grande impacto na sua carreira, na novela A Favorita, de João Emanuel Carneiro, onde deu vida à sonhadora e também sofredora Catarina.

No ano de 2009, estreou o filme Divã, no qual interpretou a protagonista Mercedes. O filme teve uma boa recepção nacional e chegou a faturar mais de dois milhões de reais nos cinemas. Posteriormente, realizou mais um papel de destaque na Rede Globo, como a ex-modelo Tereza, em Viver a Vida.

Em 2011, atuou em Fina Estampa, onde interpretou a protagonista Griselda Pereira, a Pereirão.

O seu primeiro casamento, ainda muito jovem, foi com o cineasta João Henrique Jardim, mas este matrimônio durou pouco tempo. É casada desde 1994 com o economista e empresário Iwan Figueiredo, pai da sua única filha, Giulia, que nasceu em 1997, quando Lília tinha 38 anos.

Filmografia

2014 :: Júlio Sumiu
2011 :: Família vende tudo
2009 :: Divã
2001 :: A Partilha
1998 :: Como ser solteiro
1991 :: Assim na tela como no céu
1989 :: Stelinha
1989 :: Dias Melhores Virão

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

RIBEIRO, Ana Lúcia. Lilia Cabral: descobrindo Lilia. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, .
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Lilia Cabral. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/lilia-cabral/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Lília Cabral

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.