fbpx

LIVRO – Jeremias Moreira: o cinema como ofício

Sinopse

O que torna qualquer cinema forte e importante é sua diversidade, os diferentes tipos de filme que são produzidos, para diferentes públicos. No cinema brasileiro há espaço também para os filmes com temática rural, sertaneja endereçado para as grandes platéias que residem no interior do brasil. O mais conhecido e importante diretor dedicado a esse gênero é Jeremias Moreira.

Autor

Celso Sabadin é Publicitário e Jornalista, especialista em jornalismo cinematográfico a partir de 1979. Foi crítico de cinema em diversos veículos, entre eles Folha da Tarde, Jornal do Vídeo, cadernos de vídeo dos jornais O Estado de São aulo e Folha de S. Paulo, além das revistas Cláudia, Vídeo Mercado, Vídeo Business, Íris Foto, Vídeo News, Classe News e Ver Vídeo. Produziu e apresentou programas sobre trilhas sonoras de cinema nas rádios USP, Brasil 2000 e 89FM.

Foi apresentador, roteirista e crítico de cinema na Rede Bandeirantes de Televisão, Band News e Canal 21. Realizou a cobertura jornalística de dezenas de festivais de cinema nacionais e internacionais. Foi Curador e produtor da Mostra Cine Santander España e do Festival Cinema do Coração.

Atualmente é crítico de cinema da TV Cultura (Programa Zoom), dos sites Cineclick, Yahoo, 100% Vídeo e Planeta Tela, da Revista de Cinema, e da Rádio Bandeirantes. Presta também serviços de Assessoria de Imprensa para filmes brasileiros e Festivais de Cinema.

É curador do Brazilian Film Festival of Toronto, membro da APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte, e Patrono do IBAC – Instituto Brasileiro de Arte e Cultura no segmento de Cinema.

É autor dos livros Vocês ainda não ouviram nada: a barulhenta história do cinema mudo (atualmente na 3a. edição, pela Summus Editorial) e “Éramos Apenas Paulistas”, pela Imprensa Oficial do Estado.

Dados Técnicos

Título: Jeremias Moreira: o cinema como ofício
Coleção: Coleção Aplauso – Série Cinema Brasil
Autor: Celso Sabadin
Editora: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
Especificações: Brochura | Dimensões 14 cm x 19 cm | 228 páginas
Ano da Edição: 2010
ISBN: 9788570608703

Compre agora o seu exemplar

Coleção

A Coleção Aplauso, concebida pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, visa resgatar a memória da cultura nacional, biografando atores, atrizes e diretores que compõem a cena brasileira nas áreas de cinema, teatro e televisão. Foram selecionados escritores com largo currículo em jornalismo culturalparaesse trabalho em que a história cênica e audiovisual brasileiras vem sendo reconstituída de maneira singular. Em entrevistas e encontros sucessivos estreita-se o contato entre biógrafos e biografados. Arquivos de documentos e imagens são pesquisados, e o universo que se reconstitui a partir do cotidiano e do fazer dessas personalidades permite reconstruir sua trajetória.

A decisão sobre o depoimento de cada um na primeira pessoa mantém o aspecto de tradição oral dos relatos, tornando o texto coloquial, como seo biografado falasse diretamente ao leitor.

Um aspecto importante da Coleção é que os resultados obtidos ultrapassam simples registros biográficos, revelando ao leitor facetas que também caracterizam o artista e seu ofício. Biógrafo e biografado se colocaram em reflexões que se estenderam sobre a formação intelectual e ideológica do artista, contextualizada na história brasileira.

São inúmeros os artistas a apontar o importante papel que tiveram os livros e a leitura em sua vida, deixando transparecer a firmeza do pensamento crítico ou denunciando preconceitos seculares que atrasaram e continuam atrasando nosso país. Muitos mostraram a importância para a sua formação terem atuado tanto no teatro quanto no cinema e na televisão, adquirindo, linguagens diferenciadas: analisando-as com suas particularidades.

Muitos títulos exploram o universo íntimo e psicológico do artista, revelando as circunstâncias que o conduziram à arte, como se abrigasse em si mesmo desde sempre, a complexidade dos personagens.

São livros que, além de atrair o grande público, interessarão igualmente aos estudiosos das artes cênicas, pois na Coleção Aplauso foi discutido o processo de criação que concerne ao teatro, ao cinema e à televisão. Foram abordadas a construção dos personagens, a análise, a história, a importância e a atualidade de alguns deles. Também foram examinados o relacionamento dos artistas com seus pares e diretores, os processos e as possibilidades de correção de erros no exercício do teatro e do cinema, a diferença entre esses veículos e a expressão de suas linguagens.

Se algum fator específico conduziu ao sucesso da Coleção Aplauso: e merece ser destacado –, é o interesse do leitor brasileiro em conhecer o percurso cultural de seu país.

À Imprensa Oficial e sua equipe coube reunir um bom time de jornalistas, organizar com eficácia a pesquisa documental e iconográfica e contar com a disposição e o empenho dos artistas, diretores, dramaturgos e roteiristas. Com a Coleção em curso, configurada e com identidade consolidada, constatamos que os sortilégios que envolvem palco, cenas, coxias, sets de filmagem, textos, imagens e palavras conjugados, e todos esses seres especiais: que neste universo transitam, transmutam e vivem: também nos tomaram e sensibilizaram.

É esse material cultural e de reflexão que pode ser agora compartilhado com os leitores de todo o Brasil.

Coleção Aplauso

Série Cinema Brasil

Alain Fresnot: um cineasta sem alma
Alfredo Sternheim: um insólito destino
Agostinho Martins Pereira: o idealista
O ano em que meus pais saíram de férias
Ana Carolina: cineasta brasileira
Anselmo Duarte: o homem da Palma de Ouro
Antonio Carlos da Fontoura: espelho da alma
Ary Fernandes: sua fascinante história
O Bandido da Luz Vermelha
Batismo de Sangue
Bens Confiscados
Braz Chediak: fragmentos de uma vida
CabraCega
O Caçador de Diamantes
Carlos Coimbra: Um Homem Raro
Carlos Reichenbach: O Cinema Como Razão de Viver
A Cartomante
Casa de Meninas
O Caso dos Irmãos Naves
O Céu de Suely
Chega de Saudade
Cidade dos Homens
Como Fazer um Filme de Amor
Críticas de B.J. Duarte: paixão, polêmica e generosidade
Críticas de Edmar Pereira: Razão e Sensibilidade
Críticas de Jairo Ferreira: Críticas de invenção: os anos do São Paulo Shimbun
Críticas de Luiz Geraldo de Miranda Leão: Analisando Cinema: críticas de LG
Críticas de Ruben Biáfora: A Coragem de Ser
De Passagem
Desmundo
Djalma Limongi Batista: livre pensador
Dogma Feijoada: o Cinema Negro Brasileiro
Dois Córregos
A Dona da História
Os 12 Trabalhos
Estômago
Fernando Meirelles: biografia prematura
Fim da Linha
Moon e Gabriel Bá
Fome de Bola: Cinema e Futebol no Brasil
Francisco Ramalho jr.: éramos apenas paulistas
Geraldo Moraes: o cineasta do interior
Guilherme de Almeida Prado: um cineasta cinéfilo
Helvécio Ratton: o cinema além das montanhas
O Homem que Virou Suco
Ivan Cardoso: o mestre do terrir
Jeremias Moreira: o cinema como ofício
João Batista de Andrade: alguma solidão e muitas histórias
Jorge Bodanzky: o homem com a câmera
José Antonio Garcia: em busca da alma feminina
José Carlos Burle: drama na chanchada
Liberdade de Imprensa: o cinema de intervenção
Luiz Carlos Lacerda: prazer & cinema
Maurice Capovilla: a imagem crítica
Mauro Alice: Um Operário do Filme
Miguel Borges: um lobisomem sai da sombra
Não por Acaso
Narradores de Javé
Onde Andará Dulce Veiga
Orlando Senna: O Homem da Montanha
Pedro Jorge de Castro: O Calor da Tela
Quanto Vale ou É por Quilo
Ricardo Pinto e Silva: rir ou chorar
Rodolfo Nanni: um realizador persistente
Salve Geral
O Signo da Cidade
Ugo Giorgetti: o sonho intacto
Vladimir Carvalho: pedras na lua e pelejas no planalto
VivaVoz
Zuzu Angel

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.