fbpx

LIVRO – O cheiro do ralo

Sinopse

Não se assuste, o enredo do livro é sobre um ralo de banheiro e o cheiro da privada. O livro narra o dia a dia do herói, “que se parece com aquele cara do comercial do Bom Bril”, dono e único balconista de uma loja de compra e venda de artigos usados, e sua luta contra o simbólico e fedorento cheiro do ralo.

Lourenço Mutarelli, vindo de seus premiados nove livros de histórias em quadrinhos, faz sua estréia no romance. Com uma simplicidade narrativa de agradável leitura, com frases curtas e boas, aliado a uma forte descrição visual com uma prosa urbana moderníssima, O CHEIRO DO RALO, mostra com carinho a complexidade da vida do “povão” da cidade de São Paulo. Isso com uma beleza e humor que não se via na literatura brasileira desde Antônio de Alcântara Machado.

O Cheiro do Ralo, em síntese, é a história da busca. Fazendo justiça ao título, os caminhos trilhados pelo protagonista só serão percorridos se o leitor tiver a capacidade de suportar o odor.

No caso deste “protagonista”, deveremos chamá-lo desta forma em virtude da ausência de nome, não só ele como nenhuma das personagens têm nome, ou melhor, algumas possuem mais são “impronunciáveis”…

O “protagonista” é, de repente, magnetizado por uma característica física de uma das personagens que o deixa completamente obcecado. Esta será sua busca, em síntese, este será o enredo. O “protagonista” é um homem calvo, beirando os quarenta anos e muito semelhante a um ator de comercial de televisão. Dono de um estabelecimento de compra e venda de artigos usados, diverte-se humilhando os humilhados e ofendendo os ofendidos.

Autor

Lourenço Mutarelli é Autor de O cheiro do ralo (2002), obra adaptada para o cinema em 2007, Jesus Kid (2004) e O teatro de sombras (2007).

Dados Técnicos

Título: O cheiro do ralo
Autor: Lourenço Mutarelli

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.