fbpx

Longo Caminho da Morte (1971)

Sinopse

A vida e a morte do Coronel Orestes, fazendeiro de café decadente, que perpassa três gerações entre o desespero, as alucinações e o socorro de três esposas distintas. A cidade, síntese da modernização do país, enterra definitivamente o oligarca construindo prédios sobre o solo que, anteriormente, fizera o prestígio do personagem.

Elenco

Dionísio Azevedo …. Cel. Múcio
Othon Bastos …. Cel. Orestes
Perez, Assunta (Dona Mariazinha)
Thumin, Cecília (Zina)
Pinheiro, Rosangela (Irene)
Mahr, Vivian (Pomba-Gira)
Silva, Benê (Benedito)
Mauri, Ana (Lazinha)
Gésio Amadeu …. Zózimo
Pellegrino, Vicente (Cel. Vicente)
Moreira, Ari (Aemodeus)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Longo Caminho da Morte (1971) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Júlio Calasso Jr.
Argumento: Polopoli, Claudio A. e Júlio Calasso Jr.
Roteiro: Polopoli, Claudio A. e Júlio Calasso Jr.
Diálogos: Polopoli, Claudio A. e Júlio Calasso Jr.
Assistência de direção: Savietto, Tania e Claudio Mamberti
Produção executiva: Costa Filho, Renê Martins
Direção de produção: Facciolla Jr., Vito
Assistência de produção: Calasso, Tania M. C.
Direção de fotografia: Peter Overbeck
Câmera: Peter Overbeck
Assistência de câmera: Sasse, Errol; Wagner, Djair
Fotografia de cena: Baum, Marjorie
Eletricista: Souza, Antonio
Maquinista: Garcia, Antonio
Figurinos: Equipe
Cenografia: Equipe
Títulos de apresentação: Marjorie Baum
Direção de som: Marjorie Baum e Júlio Calasso Jr.
Técnico de som: Macedo, Orlando
Som direto: Lopes, Sidney Paiva
Montagem: Dias, Jovita Pereira e Júlio Calasso Jr.
Assistente de montagem: Santos, Mirian Taques dos e Marjorie Baum
Companhias Produtoras: PS Produções Cinematográficas | Teatro S.C. Ltda.

35mm, COR, 90 min., 2.460m, 24q, Eastmancolor, 1:1’37

Prêmios

Prêmio de Melhor Argumento, da Associação Paulista de Críticos de Arte, 1974, SP.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/Ficha Complementar
CB/Ficha Catalográfica
O Estado de S. Paulo, 08.09.1974
Jornal da Tarde, 10.09.1974
Diário da Noite, 22.09.1972
Guia de Filmes, 52, 53, 54
ALSN/DFB-LM

Fontes consultadas:
ACPJ/II
Brasil Cinema, 72

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Longo Caminho da Morte (1971). Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/longo-caminho-da-morte/

Observações:
Letreiros iniciais apresentam o seguinte trecho de A Educação Pela Pedra, de João Cabral Melo Neto: “Duas das Festas da Morte / Recepções de Cerimônia que dá a morte: / O morto, vestido para um ato inaugural; / E ambiguamente: com a roupa do orador / E a da estátua que se vai inaugurar. / No caixão, meio caixão meio pedestal, / O morto mais se inaugura do que morre; / Ora seu própria vivo, em dia de posse.”
Guia de Filmes indica 85 minutos de duração e censura 18 anos.
ACPJ/II aponta CASA MALDITA como outra produção.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.