fbpx

Louise Cardoso

FOTO Louise CardosoLouise Ferreira Cardoso, em arte conhecida como Louise Cardoso, é uma atriz brasileira nascida no Rio de Janeiro (RJ) no dia 17 de abril de 1954.

Formada pelo Teatro Tablado sob a direção de Maria Clara Machado, lá participou como atriz de vários espetáculos, dentre eles, o sucesso Pluft, o Fantasminha, com texto e direção de Machado. Estudou Letras até os vinte e um anos, quando passa a frequentar grupos experimentais como Dependências e Asdrúbal Trouxe o Trombone. Em 1975, foi convidada por Ziembinski para participar da peça O Quarteto. Trabalhou intensamente no teatro e paralelamente dá aulas no curso do Tablado. Recebeu o prêmio de revelação como atriz em 1975 por O Dragão, ainda no Tablado. Deu aula por doze anos no Tablado.

No teatro fez ainda inúmeros espetáculos, dentre eles, A Mente Capta, de Mauro Rasi, com direção de Wolf Maia; Um Bonde Chamado Desejo, de Tennessee Williams, com direção de Maurice Vaneau; Fulaninha e Dona Coisa, de Noemi Marinho, com direção de Marco Nanini; e Velha é a Mãe, com direção de João Fonseca e texto de Fábio Porchat.

Na televisão, estreia no programa Ciranda, Cirandinha, na década de 1970, e depois nas telenovelas Gina (1978), Marron Glacê (1979), Champagne (1983), Cambalacho (1986), Felicidade (1991), Cara & Coroa (1996), Porto dos Milagres (2001) e, mais recentemente, Páginas da Vida (2006). Participa também de minisséries e casos especiais.

Fez muito cinema, sendo sua estreia aconteceu em 1976 no filme Marcados para Viver. Entre outros, atuou em Baixo Gávea (1986), Leila Diniz (1987), ganhando o prêmio de melhor atriz por dois anos consecutivos no Festival de Brasília, Apolônio Brasil, Campeão de Alegria (2003) e Irma Vap – o Retorno (2006).

Em 2008, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, pela Coleção Aplauso, lançou sua biografia, Louise Cardoso: A Mulher do Barbosa, de autoria de Vilmar Ledesma.

2020 :: Tudo bem no natal que vem
2020 :: 45 do Segundo Tempo
2009 :: Do começo ao fim
2009 :: Tempos de Paz
2008 :: O Diário de Tati
2007 :: Corpo
2006 :: Irma Vap – O Retorno
2006 :: Desviados (CM)
2003 :: Gaijin – Ama-me como Sou
2003 :: O Ovo (CM)
2003 :: Apolônio Brasil, Campeão de Alegria
2002 :: Viva Sapato!
2001 :: Copacabana
1998 :: For All, o Trampolim da Vitória
1997 :: Miramar
1991 :: Matou a Família e Foi ao Cinema
1988 :: Por Dúvida das Vias (CM)
1988 :: O Escurinho do Cinema (CM)
1987 :: Sonhos de Menina Moça
1987 :: Urubus e Papagaios
1987 :: Leila Diniz
1986 :: Baixo Gávea
1983 :: A Próxima Vítima
1982 :: Os Trapalhões na Serra Pelada
1982 :: Bar Esperança, o Último que Fecha
1982 :: Os Vagabundos Trapalhões
1981 :: O Sonho não Acabou
1980 :: Cabaret Mineiro
1980 :: Gaijin, os Caminhos da Liberdade
1980 :: Teu, Tua (Episódio: O Corno Imaginário)
1980 :: Parceiros da Aventura
1979 :: O Coronel e o Lobisomem
1978 :: Alô Teteia (CM)
1978 :: Mal Incurável (CM)
1978 :: Heróis (CM)
1978 :: Se Segura, Malandro
1977 :: Chocolate ou Morango? (CM)
1977 :: Gente Fina é Outra Coisa
1976 :: O Seminarista
1976 :: Marcados para Viver

Fontes de Referência

Livros:

LEDESMA, Vilmar. Louise Cardoso: A Mulher do Barbosa. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Louise Cardoso. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/louise-cardoso/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Louise Cardoso

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.