fbpx

Mário Bortolotto

Biografia

Mário Bortolotto é um ator, dramaturgo, cineasta e compositor brasileiro nascido em Londrina (PR) no dia 29 de setembro de 1962. Estudou em seminário e, na adolescência, iniciou sua carreira no teatro e literatura.

Cresceu tendo contato com as revistas em quadrinhos, em seguida suas leituras são os autores da geração beat generacion, como Charles Bukowski, Jack Kerouac, além de poetas e escritores brasileiros.

Em 1981, fundou, em Londrina, o grupo Cemitério de Automóveis, em que predomina um estilo calcado em histórias em quadrinhos, cinema, blues, rock e o universo beatnik. Peças de que participa: Transas Mil, Brasilians Boys, A Meia-Noite um Solo de Sax na Minha Cabeça, Feliz Natal Charles Bukowski, Será que a Gente Influencia o Caetano, A Louca Balada de Lou Reed, Singapura Slings, Leila Baby, Fica Frio, Fuck You Baby, Para Alguns a Noite É Azul, O Cara que Dançou Comigo, Nossa Vida não Vale um Chevrolet, Cocooning, Uma Fábula Podre, Felizes para Sempre, Vamos Sair da Chuva quando a Bomba Cair, Medusa de Ray Ban, Postcards de Atacama, Getsêmani, Deve Ser do Caralho o Carnaval em Bonifácio, Brutal, Gravidade Zero, Tempo de Trégua, A Frente Fria que Traz a Chuva, O que Restou do Sagrado e O Natimorto.

Além de atuar, escrever e dirigir seus espetáculos, participa como vocalista e compositor das bandas Saco de Ratos Blues e Tempo Instável. Gravou o CD de blues Cachorros Gostam de Bourbon, com composições suas.

Em 1996, resolveu morar na cidade de São Paulo.

Em 2000, ganhou o Prêmio APCA pelo conjunto da obra e o Prêmio Shell de Melhor Autor por sua peça Nossa Vida não Vale um Chevrolet, que em 2008 virou filme.

Estreou no cinema em 2001 no curta Do Amor. Seu primeiro longa foi O Invasor (2001), em que fez o papel de um investigador.

Em 2006, lançou o livro Atire no Dramaturgo, coletânea de textos publicados no blog que mantém desde 2004.

No dia 04 de dezembro de 2009, Mário Bortolotto e seu amigo, o músico Carlos Carcarah, foram baleados numa tentativa de assalto no centro de São Paulo. Por sorte, ambos escapam com vida.

Atualmente, é considerado um dos maiores escritores teatrais do Brasil, com linguagem próxima da de Plínio Marcos, porém, Bortolotto tem seu próprio estilo, ao mergulhar no caos urbano com ironia e sarcasmo.

Filmografia

2016 :: A Frente Fria Que a Chuva Traz
2010 :: Augustas
2007 :: A Cauda do Dinossauro (CM)
2004 :: Balaio (CM)
2003 :: Enjaulados (CM)
2001 :: O Invasor
2001 :: Do Amor (CM)

Publicações

BORTOLOTTO, Mário. Atire no Dramaturgo. : , 2006.

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Mário Bortolotto. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/mario-bortolotto/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.