fbpx

Nair Bello (1931-2007)

Biografia

FOTO Nair BelloNair Bello Souza Francisco, em arte conhecida como Nair Bello, foi uma atriz brasileira nascida em São Paulo (SP) no dia 28 de abril de 1931.

Desde os oito anos de idade ouve rádio e quer ser atriz. Em 1949, aos dezoito anos faz teste na Rádio Excelsior e é aprovada, lá permanecendo por seis meses como locutora. Essa primeira fase dura pouco, pois Nair se casou e acaba se afastando-se por três anos, já que teve, em sequência, três filhos. Não dava, num primeiro momento, para conciliar a maternidade com o trabalho. Em 1956, voltou à ativa, na Rádio Record e inicia carreira de atriz e depois locutora.

Em 1958, foi para a TV Record e sua primeira oportunidade é como garota-propaganda, num tempo em que os comerciais eram ao vivo. Como atriz, estreia no especial Anos de Ternura no mesmo ano. Em 1959, Blota Jr., percebendo seu potencial cômico, convida-a para fazer um humorístico. Nair Bello criou então uma italiana, a Santinha, ao lado de Roberto Corte Real, que fazia Epitáfio, e o programa Show Ideal foi um sucesso.

Estreou no cinema em 1951 no filme Liana, a Pecadora. Tem destaque também em Simão, o Caolho, ao lado de Mesquitinha, em 1952. Fez pouco cinema, apenas seis filmes, sendo o último Fogo e Paixão, em 1988.

Estreou no teatro em 1976, na peça Alegro Desbum, de Oduvaldo Vianna Filho. Mas é na televisão que tem momentos memoráveis em especiais, telenovelas, casos especiais e minisséries. Carlos Manga, em 1962, a levou para o Rio de Janeiro, onde estreia no quadro O Riso é o Limite, no programa de J. Silvestre. Destacam-se depois João Brasileiro e o Bom Baiano (1978), ainda pela TV Tupi.

Na TV Bandeirantes, brilha no seriado Dona Santa (1981), talvez seu maior sucesso na televisão. Já na TV Globo, sempre interpretou personagens de humor, como a Dona Gema de Perigosas Peruas (1992), a Carlotinha de Torre de Babel (1998), a Pierina de Uga Uga (2000), a Dolores de Kubanacan (2003) e a viúva Lake de Bang Bang (2006). A atriz participou ainda de Vira-Lata (1996) e O Mapa da Mina (1993), entre outras. Nos últimos anos retorna ao sucesso como a Dona Santinha no humorístico Zorra Total, em sua primeira fase ao lado de Rogério Cardoso.

Foi casada desde 1953 com o publicitário Irineu Souza Francisco, com quem teve quatro filhos, Zezinho (1954), Manoel (1955) (falecido em 1975 em um acidente automobilístico aos 20 anos de idade), Maria Aparecida (1957) e Ana Paula (1967).

Supersticiosa, Nair não usava marrom e adorava roupas coloridas, unhas pintadas de vermelho sangue, batom, cílios postiços, brincos grandes. Deveria integrar o elenco da então nova novela das sete da Globo, Pé na Jaca, de Carlos Lombardi, interpretando Dona Gioconda, mas, por problemas de saúde, foi substituída por Arlete Salles.

Nair Bello faleceu no dia 17 de abril de 2007, aos 75 anos de idade, 14 dias antes de completar 76, depois de ficar 157 dias internada por causa de uma parada cardíaca, sofrida enquanto estava em um salão de cabeleireiro no bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Filmografia

1988 :: Fogo e Paixão
1982 :: Das Tripas Coração
1971 :: Tô na Tua, ô Bicho
1962 :: Os Apavorados
1952 :: Simão, o Caolho
1951 :: Liana, a Pecadora

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.