fbpx

Não nasci para deixar meus olhos perderem tempo (2020)

O ocaso da carreira do compositor Zé Keti. O triste retrato do plenário da Câmara com o fechamento do Congresso em 1977. A dor de uma mãe que perdeu a filha num acidente de trânsito. Os presidentes do Brasil desde o golpe de 1964.

Personagens e cenários registrados pelo olhar aguçado e sensível do fotógrafo Orlando Brito ao longo de 55 anos de profissão. Dos bastidores da política à vida dos brasileiros do interior, Brito relembra experiências e fala sobre o papel do fotógrafo e sobre a dor de registrar a dor de alguém.

Elenco

Orlando Brito

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Não nasci para deixar meus olhos perderem tempo (2020) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Claudio Moraes

Brasil | Documentário | cor | 72 min. | 2020

Lançamento: 28 de setembro de 2020

Bibliografia

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Não Nasci Para Deixar Meus Olhos Perderem Tempo. Disponível no endereço: https://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/nao-nasci-para-deixar-meus-olhos-perderem-tempo/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.